Há alguns dias nós analisamos a ASUS Radeon HD 7970, a GPU mais poderosa da AMD da atualidade. A placa foi lançada no início do ano com uma nova arquitetura e muitos recursos que fizeram dela a líder de mercado por algum tempo.

Dessa vez, nós vamos analisar a Radeon HD 7950, que é uma versão mais simples da HD 7970. Assim como o modelo anterior, esta placa também utiliza a tecnologia de construção de 28 nm. A placa possui, basicamente, a mesma gama de recursos, sendo que alguns deles foram diminuídos para justificar o posicionamento de mercado do equipamento.

Caso você já tenha visto a análise de outras placas da série HD 7000 aqui no Tecmundo, é possível que algumas partes deste artigo sejam um pouco repetitivas, uma vez que as placas pertencem à mesma família e elas compartilham muitos recursos. Contudo, não podemos deixar de abordar esses tópicos.

Mais barata mas com menos recursos

Como é comum no ramo das placas de vídeo, tanto AMD quanto NVIDIA fabricam modelos de referência, ou seja, as empresas desenvolvem os modelos e comercializam os chips gráficos para que outros fabricantes montem as suas placas.

(Fonte da imagem: Divulgação/ASUS)

A placa que vamos testar agora é a ASUS HD 7950 DirectCU II TOP. O modelo é semelhante à sua irmã maior, a HD 7970. A placa perdeu alguns recursos e consequentemente é um pouco mais barata que o modelo top de linha da série. Esse equipamento também é grande: ela ocupa três slots dentro do gabinete e possui 30 centímetros de comprimento.

Uma das principais diferenças desse modelo para a sua irmã maior é a velocidade da memória, que diminuiu de 5,6 GHz para 5 GHz. A GPU também teve a sua frequência de trabalho levemente diminuída, passando de 1.000 para 900 MHz (mesmo assim, ainda é maior que o dos modelos de referência, que trabalham a 850 MHz).

(Fonte da imagem: Divulgação/AMD)

A placa possui 3 GB de memória RAM, trabalhando a 384 bits, assim como a HD 7970. Essa banda de memória permite uma transferência de dados de até 240 GB por segundo — um fator que é muito importante na hora de exibir imagens em alta resolução sem que ocorram quedas nas taxas de transferência.

Durante os testes, vamos examinar o desempenho da placa de vídeo e compará-la diretamente com a Radeon HD 7970. O objetivo principal dos testes é tentar entender se a diferença de preço é proporcional à velocidade apresentada pela placa dentro dos jogos.

Especificações

  • Graphics Engine: AMD Radeon 7950;
  • Conexão: PCI Express 3.0;
  • Memória: 3 GB GDDR 5;
  • Engine Clock: 900 MHz;
  • Clock de memória: 5.000 MHz (1.250 MHz GDDR 5);
  • RAMDAC: 400 MHz;
  • Interface de memória: 384 bits;
  • Banda de memória: 240 GB por segundo;
  • Consumo: 200 W;
  • Taxa de preenchimento de pixels: 25,6 gigapixels por segundo;
  • Taxa de preenchimento de texturas: 118,4 gigatexels por segundo;
  • Poder de computação: 2,87 teraflops;
  • Unidades de textura: 112;
  • Processadores Stream: 1.792;
  • Resolução máxima D-Sub: 2048x1536;
  • Resolução máxima DVI: 2560x1600;
  • DVI Output : 1 x DVI-I;
  • HDMI Output : 1;
  • Display Port : 2 (mini);
  • Dimensões: 30 x 12 x 5,8 centímetros.

A Radeon HD 7950 está preparada para trabalhar com DirectX 11 e com os mais modernos recursos disponíveis pela tecnologia atual. A placa suporta OpenGL 4,2, Shader Model 5.0 e utiliza a tecnologia PCI Express 3.0, que garante até o dobro de velocidade de transmissão — entre a placa e o restante do sistema — se comparada com a geração anterior.

Conteúdo da embalagem

Assim como aconteceu com a Radeon HD 7970, a caixa da HD 7950 também é grande. Isso porque as duas placas possuem praticamente o mesmo tamanho. Dentro da embalagem encontramos uma segunda caixa, na cor preta.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Logo que abrimos a embalagem encontramos uma folha de isopor antiestático para proteger os componentes; junto dele, um estojo carrega o disco de instalação com os drivers e softwares específicos da ASUS e o manual de instalação rápida da placa.

No canto da caixa fica um compartimento que acomoda um cabo de força, uma ponte CrossFire e um adaptador mini DisplayPort para DVI.

A placa fica acoplada no centro da caixa, envolta em um plástico antiestático.

Design da placa e sistema de refrigeração

A placa desenvolvida pela ASUS utiliza uma solução de arrefecimento exclusiva da ASUS: o DirectCU II. Esse sistema é eficiente na hora de remover o excesso de calor gerado pela GPU, contudo, o espaço físico exigido pelo equipamento é acima da média.

No DirectCU II o dissipador de calor não entra em contato direto com a GPU; o responsável por isso é o sistema de heatpipes, que transfere o calor diretamente do processador para os dissipadores que ficam suspensos na placa.

(Fonte da imagem: Divulgação/ASUS)

Segundo a ASUS, esse modelo de refrigeração pode ser até 20% mais eficiente que os concorrentes testados. Como o calor é transferido mais rápido e de forma mais eficiente, os dois ventiladores posicionados sobre os dissipadores podem trabalhar mais lentamente, diminuindo muito o ruído produzido pela placa.

Família HD 7000: menos consumo e mais poder

Uma bem-vinda novidade da nova série de GPUs é a tecnologia AMD ZeroCore Power, que foi trazida diretamente dos processadores para notebooks produzidos pela AMD. Quando o monitor é desligado, a placa de vídeo também desliga, fazendo com que ela não fique consumindo energia à toa enquanto você não utiliza o computador.

(Fonte da imagem: Divulgação/AMD)

A tecnologia ZeroCore Power também funciona com configurações multi-GPU. Caso você tenha um sistema com mais de uma placa de vídeo e elas estejam ligadas pelo sistema CrossFire, o componente que não estiver sendo utilizado no momento é desligado para economizar energia.

Aumentando o tamanho da tela com o AMD Eyefinity 2.0

Qualquer jogador mais dedicado já deve ter sonhado em ter um sistema de jogo em que é utilizada mais de uma tela simultaneamente. O recurso Eyefinity permite que isso seja feito de maneira simples.

(Fonte da imagem: Divulgação/AMD)

A Radeon HD 7950 da ASUS aceita até quatro telas independentes conectadas na mesma placa. Apesar disso, o sistema suporta que até seis telas independentes possam trabalhar em conjunto através de um adaptador específico.

Tessellation: mais detalhes com mais eficiência

A qualidade dos gráficos nunca foi tão importante. A partir do DirectX 11, a Microsoft incluiu muitas ferramentas que buscam, especificamente, melhorar o visual as aplicações. Talvez uma das mais impactantes seja o Tessellation.

Mas como funciona esse efeito e por que ele pode melhorar a definição dos gráficos? Dentro dos games, a maioria dos itens é construída por polígonos, ou seja, são milhares de quadrados e triângulos posicionados lado a lado para formar os objetos que vemos na tela. Para ampliar os detalhes, é preciso aumentar o número de polígonos.

(Fonte da imagem: Divulgação/AMD)

O que o Tessellation faz é quebrar cada um desses quadrados em centenas ou até milhares de pequenos triângulos, suavizando as formas e deixando os objetos com uma definição muito melhor.

A nova linha de GPUs da AMD pode trabalhar com esse recurso de uma maneira muito mais eficiente que as versões anteriores, chegando a um aumento no desempenho que vai de 79% até incríveis 350% de mais velocidade na hora de renderizar os modelos, segundo a AMD. Graças a isso, você tem uma imagem muito detalhada sem que o desempenho seja prejudicado.

Graphics Core Next

A nova linha de GPUs da AMD possui uma nova arquitetura, chamada Graphics Core Next (GCN). O que esse recurso faz é ampliar a capacidade do computador como um todo, não se resumindo a oferecer alto desempenho apenas durante os games. A arquitetura GCN é o primeiro sistema da AMD desenvolvido especialmente para a computação em geral.

(Fonte da imagem: Divulgação/AMD)

Com isso, as GPUs da série 7000 são capazes de gerenciar processos até então exclusivos da CPU principal dos computadores, aumentando o desempenho do sistema como um todo.

Preparação dos testes

Durante a análise da placa, executamos diversos testes diferentes. Procuramos analisar não somente a capacidade da placa, mas o seu design, durabilidade, temperatura máxima, recursos extras e design dos componentes.

Apesar de termos utilizado a mesma máquina para testar diversas outras placas anteriormente, dessa vez vamos nos focar na comparação entre a 7970 e a 7950. Com isso, pretendemos ver qual das duas possui uma relação custo x benefício maior.

Configurações da máquina de testes

  • CPU: Intel Core i7 920 (primeira geração);
  • Memória: 6 GB RAM Triple Channel;
  • SO: Windows 7 Professional 64-bits.

Todos os testes foram executados na resolução Full HD, ou seja, 1920x1080. Os games foram configurados para rodar com o máximo de detalhes possível, sendo que todos eles estavam com todas as atualizações instaladas, incluindo pacote de texturas, como é o caso de Crysis 2.

Batman: Arkham City

Em Batman Arkham City, o Homem-Morcego deve invadir a prisão de mesmo nome para desvendar o misterioso protocolo 10. Durante os eventos, Batman deverá enfrentar seus piores inimigos. O jogo apresenta um mapa grande para ser explorado, incluindo muitos detalhes e objetos para interação. Tudo isso acaba exigindo bastante das placas de vídeo.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

A taxa de quadros foi medida dentro do jogo durante todas as situações, ou seja, não foi utilizada a ferramenta de benchmark fornecida pelo game. O objetivo, com isso, é testar a placa em situação real de uso e não apenas com testes hipotéticos de velocidade, já que os benchmarks programados quase sempre mostram uma taxa de velocidade diferente do que a encontrada durante as partidas.

No primeiro teste, a Radeon HD 7950 mostrou que pode competir de igual para igual com a sua irmã maior. Apesar de a taxa de quadros por segundo ficar em 51, ela apresentou picos de até 80 frames por segundo.

Crysis 2

O motor de Crysis 2 é o CryENGINE 3, desenvolvido pela Crytek. Essa engine gráfica consegue ser superior à anterior (utilizada no primeiro Crysis) em vários aspectos. Além de oferecer uma qualidade gráfica superior, ela é otimizada e oferece um desempenho melhor.

(Fonte da imagem: Divulgação/Electronic Arts)

Em nossos testes, nós utilizamos a resolução 1920x1080 com os gráficos na melhor configuração de qualidade possível, incluindo o patch de atualização que permite que o jogo utilize o DirectX 11 e o pacote de texturas que tem por objetivo melhorar a qualidade gráfica do game.

Em Crysis 2 o desempenho também foi satisfatório. O game possui muitas texturas em alta resolução, entretanto, os 3 GB de memória RAM com uma banda de 384 bits mostraram que não é impossível manter altas taxas de quadros por segundo. A diferença para a HD 7970 não é tão grande assim. Na prática seria quase impossível distinguir o desempenho uma da outra apenas olhando o jogo.

Battlefield 3

Battlefield 3 é um jogo de tiro em primeira pessoa com excelentes gráficos. Os detalhes, principalmente no momento em que a ação é frenética, são impressionantes.

(Fonte da imagem: Divulgação/Electronic Arts)O game utiliza quase todos os recursos mais modernos das placas de vídeo atuais, sendo um ótimo “termômetro” para medir a qualidade das VGAs.

 

Battlefield 3 ainda se mostra um pouco mais favorável às placas da NVIDIA. Durante os testes, vimos que a HD 7950 mostrou um desempenho similar à GTX 660. Contudo, ela pertence a uma categoria superior e deveria ter obtido um resultado mais expressivo. Mesmo assim a placa não deixou a desejar e trouxe um desempenho satisfatório no game.

3D Mark 11

O 3D Mark é, talvez, o mais conhecido software de benchmark do mercado. No mundo todo, pessoas utilizam esse software para medir o desempenho de suas máquinas. É claro que não poderíamos deixar de testar nosso equipamento com este aplicativo.

Para efetuar os testes, nós utilizamos a versão Basic do 3D Mark 11. Os exames foram feitos no modo-padrão, ou seja, nenhuma configuração foi alterada antes de rodar os testes.

Os testes executados com o 3D Mark 11 mostraram resultados muito próximos entre as placas. Isso acontece porque esse tipo de análise depende muito do processador. Com isso, percebemos que a placa ficou “amarrada” justamente por causa desse item.

A conclusão que podemos tirar disso, com esse e com os testes anteriores, é que essa placa é capaz de mostrar muito mais do que conseguimos extrair dela. Basta colocar uma CPU mais potente e teremos, certamente, um grande potencial futuro.

FurMark

FurMark é um aplicativo que tem como objetivo principal estressar as placas de vídeo em busca de falhas no hardware. O programa também leva a placa à sua máxima temperatura de trabalho. Com isso, é possível medir a temperatura máxima atingida e o ruído emitido pela peça.

Durante os testes de stress, a placa mostrou que é capaz de manter uma temperatura relativamente estável, mesmo trabalhando com toda a sua capacidade. A GPU atingiu pouco mais de 60 graus e manteve-se silenciosa durante todo o tempo, mostrando que o sistema de arrefecimento da ASUS é muito eficiente, o contrário do que ocorreu com a HD 7970, que sofreu com problemas de superaquecimento.

(Fonte da imagem: Divulgação/Bethesda)

Apesar disso, é importante notar que a placa é extremamente grande e precisa de um gabinete igualmente grande e capaz de eliminar o calor gerado pelo componente. Afinal de contas, esse é um tipo de problema que não pode ser negligenciado.

Vale a pena?

A ASUS HD 7950 DirectCU II é uma placa poderosa. Ela pode rodar todos os jogos atuais com uma velocidade razoável, além de que, possivelmente, ela deve oferecer uma boa performance por alguns anos.

O design da placa é exagerado. Isso se dá por conta do grande dissipador de calor utilizado pela ASUS na linha DirectCU II. Apesar de ser eficiente e mostrar que pode eliminar as altas temperaturas sem fazer barulho, o mecanismo é absurdamente grande, até mesmo para os padrões das placas de vídeo atuais.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Não é todo mundo que pode abrir mão de três slots dentro do gabinete apenas para acomodar uma placa. Por isso, antes de investir em um equipamento como esse, veja se é possível acomodá-lo dentro do seu computador.

Assim como já citamos durante a análise da HD 7970, é preciso que o computador tenha um processador que possa acompanhar o desempenho da placa. Caso contrário, você estará desperdiçando dinheiro ao não permitir que a GPU trabalhe com toda a sua capacidade.

(Fonte da imagem: Divulgação/ASUS)

No Brasil, essa placa pode ser encontrada por R$ 1.100. Se levarmos em conta que a HD 7970 custa em torno de R$ 1.600 atualmente, a diferença de preço já é quase suficiente para a aquisição de um novo processador para o computador , o que, na maioria dos casos, acaba sendo mais interessante pelo conjunto da obra.

Em resumo: a ASUS HD 7950 DirectCU II não é a placa de vídeo mais poderosa do mercado, contudo, pelo seu preço e desempenho, é um equipamento que possui uma ótima relação custo x benefício a curto, médio e, podemos até arriscar, longo prazo.

Fonte: ASUS, Guru3D, Overclockers, Hartware, PC Games Hardware

Cupons de desconto TecMundo: