A Warner Bros. e a DCP (uma companhia de proteção de conteúdo digital criada pela Intel) deram início a um processo contra a companhia chinesa LegendSky. O motivo? A empresa estaria facilitando a cópia ilegal de conteúdo em qualidade 4K, devido a sua linha de aparelhos de captura e streaming de vídeo HDFury, que duplicam o sinal recebido e burlam a encriptação HDCP desse tipo de vídeo.

Segundo o site Torrent Freak, a briga na justiça teve início após uma série de vazamentos de filmes e séries em 4K dos serviços da Netflix e Amazon – algo considerado incomum, dada a alta proteção que esse tido de conteúdo possui. Os casos teriam começaram em novembro, mesmo mês em que as primeiras unidades do HDFury Integral 4K60 (único aparelho com suporte a essa resolução) teriam sido enviadas aos compradores.

Empresas diferentes, acusações diferentes

As queixas feitas por ambas as empresas diferem, vale notar. A Warner Bros., por exemplo, alega que o dispositivo ameaça prejudicar os direitos autorais das companhias, por facilitar o compartilhamento online de vídeos em 4K. Já a DCP afirma-se lesada, uma vez que o aparelho burla o padrão HDCP e isso, por sua vez, diminui o valor do sistema de encriptação.

Ambas, no entanto, estão acusando a LegendSky de violar as regras anti-cirvuncenção estabelecidas pela DMCA, além de acusá-la de afirmar falsamente que os dispositivos HDFury estão de acordo com os requisitos de licença HDCP.

Embora as informações indiquem que a HDFury realmente tem envolvimento no caso, é preciso deixar claro que ainda não há informações confirmando essas suspeitas. Assim, resta a nós aguardar para saber como esse caso vai se desenrolar – e torcer que outras marcas de dispositivos de captura não sejam alvo dessas companhias.

Você já assiste a muitos vídeos por streaming na resolução 4K? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: