Google tem recebido cada vez mais pedidos de exclusão de URLs (Fonte da imagem: Reprodução/Google)

A guerra contra a pirataria tem crescido cada vez mais e, já que o mecanismo de busca da Google é um dos principais caminhos para se chegar aos arquivos ilegais, é de se esperar que a empresa tenha que tomar algumas medidas em relação ao assunto. Por isso, milhares de URLs são excluídas dos resultados de pesquisas, todos os meses, a pedido das indústrias de software e entretenimento.

Seguindo sua política de transparência, a Google divulgou, recentemente, uma nova edição do  relatório com diversos dados sobre essas exclusões, demonstrando que o número de pedidos de remoção tem aumentado exponencialmente nos últimos meses.

De acordo com um post publicado em seu blog, o consultor de copyrights da empresa, Fred von Lohmann, ressalta que, “hoje em dia, é normal recebermos mais de 250 mil requisições de exclusão por semana. Só no mês passado, foram 1,2 milhões de pedidos feitos em nome de mais de mil proprietários de copyright”.

Microsoft lidera ranking de pedidos

Nos últimos dois anos, a maior parte desses pedidos de exclusão foram enviados por órgãos governamentais, mas, hoje, as indústrias de software e entretenimento dominam o ranking. Quem lidera a lista de empresas com mais solicitações é a Microsoft. No total, foram 2,5 milhões de URLs removidas dos resultados das pesquisas a pedido da Gigante de Redmond, afetando 23,4 mil domínios.

Em seguida, vem a NBCUNIVERSAL, com 1 milhão de URLs de 15,6 mil domínios. Apesar de todo o barulho que a RIAA faz acerca da pirataria, a organização foi responsável, até o momento, por apenas 416 mil URLs excluídas, afetando 6,9 mil domínios. Os três sites mais visados pela cruzada antipirataria são filestube.com, torrentz.eu e 4shared.com.

Fontes: CNET, Transparency Report, Google Official Blog

Cupons de desconto TecMundo: