(Fonte da imagem: ThinkStock)

Se você já comprou ou utilizou um programa pirata em seu computador, saiba que a maioria da população não condena sua atitude. Ao menos é que diz uma pesquisa realizada pela Business Software Alliance, que indica que 57% das pessoas admite o uso de softwares obtidos ilegalmente.

Outro detalhe interessante é que o valor comercial que os desenvolvedores deixam de ganhar com os softwares piratas subiu de US$ 58,8 bilhões em 2010 para US$ 63,4 bilhões em 2011, um novo recorde para a categoria.

De acordo com o CEO da BSA, Robert Holleyman, os números são preocupantes, mas podem significar um alerta às autoridades. Ele acredita que medidas como educação ao público e aplicações mais rígidas da lei diminuiriam a taxa, mas isso exige que as autoridades tenham conhecimento dos dados sobre a pirataria.

Para o estudo, foram utilizados dados de quase 15 mil computadores em 116 países. Confira mais dados sobre a pesquisa:

  • Os países em desenvolvimento são líderes na pirataria de softwares: a taxa deles é o triplo da contabilizada em nações mais ricas.
  • Jovens do sexo masculino. Esse é o perfil médio do consumidor desse tipo de produto.
  • Quem consome softwares piratas é também quem usa mais esse tipo de serviço, instalando programas com uma frequência 55% maior do que quem vive na legalidade.
  • A China é o país mais problemático. O mercado ilegal arrecada cerca de US$ 9 bilhões sozinho, contra US$ 3 bilhões na área dos softwares pagos. A taxa de pirataria por lá é de 77%.

Fonte: BSA

Cupons de desconto TecMundo: