(Fonte da imagem: Telegraph)

Kim Dotcom era um morador tranquilo de uma mansão em Coatesville, na Nova Zelândia, até que 70 agentes da polícia local invadiram a residência para dar voz de prisão ao rapaz. O crime? Ele é o fundador de um dos sites mais populares da internet, o Megaupload, que foi fechado ontem por acusações que vão de pirataria à lavagem de dinheiro.

Além de expor as falcatruas do site de compartilhamentos, a prisão fez com que o mundo voltasse os olhos para o responsável por tudo aquilo, um rapaz milionário que levava uma vida cheia de luxo e excentricidades típicas de ricaços.

Curtindo a vida adoidado

Nascido Kim Schmitz, o fundador do Megaupload é alemão e tem 37 anos. Fora a vida empresarial, que alternava entre Honk Kong e Nova Zelândia, ele já foi reconhecido como “o hacker mais notável” de seu país de origem. O sobrenome “.com” veio anos atrás, uma homenagem ao sufixo mais famoso da internet.

Essa não é a primeira vez que ele passa por apertos por desafiar a lei: em 1998, ele invadiu sistemas de segurança de uma série de indústrias e roubou alguns dados, o que o deixou sob uma pena de dois anos de prisão (que não foram cumpridos, pois ele se comportou bem durante a investigação). Tempos depois, ele resolveu criar o próprio site de compartilhamento para hospedar arquivos de diversos tipos. Nascia aí o Megaupload.

A humilde residência do proprietário do Megaupload. (Fonte da imagem: Telegraph)

A captura foi uma ação cinematográfica: Dotcom estava escondido em um cofre e portando uma espingarda, mas não reagiu à prisão. E tudo isso aconteceu em sua mansão neozelandesa, que vale US$ 30 milhões (cerca de R$ 55 milhões) e conta com uma vasta área verde – o suficiente para abrigar animais de estimação, como uma girafa, que pode ser observada em uma das fotos.

Além do site fechado, outro orgulho do sujeito é a coleção de 18 carros de luxo mantida na mansão, o que inclui diversos modelos de Mercedes, um Rolls Royce Phantom e um Cadillac rosa de 1959 – todos apreendidos pela Justiça local.

(Fonte da imagem: Flickr / Elliot Kimber)

As fotos do local e das apreensões na mídia são bastante escassas, mas o álbum de Elliot Kember no Flickr mostra com detalhes os veículos de Dotcom, que receberam placas como “CEO” e “Police”. Caso a ligação com o crime organizado seja comprovada, o empresário vai ter muito tempo de cadeia para pensar em suas próximas falcatruas.

A vida boa de Kim Dotcom, o milionário por trás do Megaupload
Ações hacker, carros de luxo e uma girafa de estimação estão entre as excentricidades do empresário.
Kim Dotcom era um morador tranquilo de uma mansão em Coatesville, na Nova Zelândia, até que 70 agentes da polícia local invadiram a residência para dar voz de prisão ao rapaz. O crime? Ele é o fundador de um dos sites mais populares da internet, o Megaupload, que foi fechado ontem por acusações que vão de pirataria à lavagem de dinheiro.
Além de expor as falcatruas do site de compartilhamentos, a prisão fez com que o mundo voltasse os olhos para o responsável por tudo aquilo, um rapaz milionário que levava uma vida cheia de luxo e excentricidades de ricaços.
Curtindo a vida adoidado
Nascido Kim Schmitz, o fundador do Megaupload é alemão e tem 37 anos. Fora a vida empresarial, ele já foi reconhecido como “o hacker mais notável” de seu país de origem. O sobrenome “.com” veio anos atrás, uma homenagem ao sufixo mais famoso da internet.
Essa não é a primeira vez que ele passa por apertos por desafiar a lei: m 1998, ele invadiu sistemas de segurança de uma série de indústrias e roubou alguns dados, o que o deixou sob uma pena de dois anos de prisão (que não foram cumpridos, pois ele se comportou bem durante a investigação).
A captura foi uma ação cinematográfica: Dotcom estava escondido em um cofre e portando uma espingarda, mas não reagiu à prisão. E tudo isso aconteceu em sua mansão neozelandesa, que vale US$ 30 milhões (cerca de R$ 55 milhões) e conta com uma vasta área verde – o suficiente para abrigar animais de estimação, como uma girafa, que pode ser observada em uma das fotos.
(screen)
Além do site fechado, outro orgulho do sujeito é a coleção de 18 carros de luxo mantida na mansão, o que inclui diversos modelos de Mercedes, um Rolls Royce Phantom e um Cadillac rosa de 1959 – todos apreendidos pela Justiça local.
As fotos do local e das apreensões na mídia são bastante escassos, mas o álbum de Elliot Kember no Flickr mostra com detalhes os veículos de Dotcom, que receberam placas como “CEO” e “Police”.

Cupons de desconto TecMundo: