O Alibaba, gigante do comércio online chinês, iniciou no dia 5 deste mês um processo contra dois vendedores acusados de usar o sistema para vender itens falsificados. A empresa afirma que os acusados vendiam relógios Swarovski falsos através da plataforma online Taobao — a ação deve servir como precedente para processos semelhantes em um futuro próximo.

No processo, aberto na corte distrital de Shenzend Longgang, a empresa exige que os vendedores Liu Huajun e Wang Shenyi paguem uma multa equivalente a US$ 201.631 (R$ 648 mil) por “violação de contrato e da boa vontade”. Para chegar à acusação, a companhia usou dados relacionados a compras suspeitas de itens falsificados e as ligou às localizações em que os vendedores operavam.

Vender produtos falsificados arruína a confiança e reputação do Alibaba com seus consumidores

Durante o processo, a Alibaba adquiriu algumas unidades de produtos que foram enviados à Swarovski para atestar sua autenticidade. “Vender produtos falsificados não somente viola nossos termos de serviço, mas também infringe a propriedade intelectual dos detentores do dono da marca, coloca produtos inferiores nas mãos de consumidores e arruína a confiança e reputação do Alibaba com seus consumidores”, afirmou Jessie Zheng.

O site afirma dedicar uma equipe com mais de 2 mil pessoas a combater a venda de produtos falsificados, que é ajudada por um time de 5 mil voluntários. A companhia espera que o uso de processos legais seja o suficiente para impedir que outros vendedores tentem se aproveitar de sua plataforma para vender itens falsos no futuro.

Cupons de desconto TecMundo: