A NASA publicou um novo estudo no qual afirma que a plataforma de gelo Larsen B, que fica na Península Antártica, está se desfazendo rapidamente e pode desaparecer antes do final da década.

Em 2002, houve um colapso parcial e, atualmente, o que restou dela está ficando cada vez mais fragmentado. "Esses são sinais de alerta de que o restante [da Larsen B] está se desintegrando", afirmou Ala Khazendar, do Jet Propulsion Laboratory da NASA.

"Embora seja fascinante em termos científicos, estar na primeira fila para ver a Larsen B ficar instável e quebrar é uma má notícia para o planeta. Essa plataforma existe há pelo menos 10 mil anos e logo vai se despedir de nós", continuou. Essas estruturas de gelo são como guardiões que impedem as geleiras de irem para a direção do oceano. Sem elas, o gelo flui rápido e aumenta o ritmo de subida do nível do mar.

Último ato

A estimativa para o restante da vida da plataforma é baseada numa suposição de que uma fenda gigante se formou no nível do contato entre o gelo e o fundo do mar e vai atravessar até a superfície. A Larsen B (ou o que restou dela) possui uma área de 1,6 mil km² e 500 metros de espessura na parte mais grossa.

As geleiras afluentes da plataforma ganharam os nomes de Leppard, Flask e Starbuck, sendo que estes dois últimos são personagens do livro "Moby Dick". Nos últimos anos, os dois primeiros perderam de 20 a 22 metros de sua espessura.

A parte da Flask que se move mais rápido acelerou 36% até 2012, tendo se deslocado 700 metros em um ano. No entanto, quando os restos dela se quebrarem por completo, a velocidade de deslocamento será aumentada em oito vezes.

"Esse estudo das geleiras da Península Antártica nos dá ideia de como as plataformas mais ao sul, que possuem muito mais gelo, vão reagir ao aquecimento do clima", afirmou Eric Rignot, especialista em geleiras e coautor do estudo.

Cupons de desconto TecMundo: