Análise aponta as situações que fazem as pessoas tristes ou felizes em diferentes países (Fonte da imagem: Reprodução/World Happiness Report)

O Earth Institute, da Universidade de Columbia, produziu um relatório de 155 páginas denominado “World Happiness Report” para uma conferência das Nações Unidas sobre felicidade. No documento, foram apresentadas algumas questões que levam as pessoas a serem mais satisfeitas, além dos motivos mais comuns que causam frustrações e tristezas. 

Alguns pontos, por exemplo, foram baseados na situação econômica e o impacto que isso causa na vida das pessoas nos diferentes locais analisados: EUA, países da União Europeia, Suíça, América Latina, Rússia, Europa Oriental e Ásia.

Felizmente, você não vai precisar ler mais de cem folhas do relatório para saber os assuntos abordados: um breve resumo foi disponibilizado e traz questões como pobreza, desemprego e padrão de vida. Confira abaixo:

  • Em média, as pessoas mais ricas são mais felizes do que as pessoas mais pobres, mas a riqueza é apenas um fator de felicidade geral. O mesmo vale para países, onde fatores como a liberdade pessoal, ausência de corrupção e apoio social são mais importantes.
  • Desemprego obviamente reduz a felicidade, mas não pelos motivos que você imagina. Não é a perda de rendimento, mas a perda de coisas como autoestima, vida social e local de trabalho é que leva a uma queda de felicidade. Ainda segundo o estudo, mesmo os empregos de baixa qualidade rendem mais satisfação do que estar desempregado.
  • Padrões de vida mais elevados correspondem ao aumento da felicidade em alguns países, mas não em todos. Nos Estados Unidos, por exemplo, os níveis de felicidade permaneceram estagnados enquanto os padrões de vida aumentaram nos últimos 50 anos.
  • A vida familiar estável contribui para a felicidade: pessoas casadas ao redor do mundo afirmam que são mais felizes.

Cupons de desconto TecMundo: