O pendrive Kingston DataTraveler Locker+ é um dispositivo de armazenamento que se difere dos demais por trazer um software de segurança que protege os seus dados com uma senha, para que apenas você tenha acesso aos documentos armazenados nele.

O seu tamanho e aparência são bastante parecidos com os outros modelos de pendrive da marca, porém ele parece mais resistente, com um acabamento melhor e mais forte - com a parte móvel de metal parafusada, ao invés de simplesmente encaixada - mostrando que é um produto voltado para quem precisa realmente proteger os dados que forem inseridos no dispositivo, não apenas de outras pessoas, mas de eventuais danos físicos no pendrive.

Ao inseri-lo no computador pela primeira vez ele pede que a pessoa que está usando o pendrive rode o software de segurança e configure uma senha para o acesso. Nos usos posteriores, ao rodar o software (não é possível ter acesso direto à pasta) é preciso sempre inserir essa combinação de letras e números para acessar o conteúdo.

APROVADO

O pendrive DataTraveler Locker+, à primeira vista, parece apenas mais um dos tantos modelos que a Kingston fabrica, porém os detalhes na sua construção e no seu interior o fazem único. Confira o que nós mais gostamos e aprovamos nesse pendrive!

Design e construção

Um dos primeiros aspectos que chamam a atenção ao segurar o pendrive DataTraveler Locker+ é a diferença de construção dele para os modelos mais comuns da Kingston. Ele é bem mais resistente e a aparência é de um produto melhor acabado, contando com um cuidado maior de fabricação. Veja uma comparação entre ele e um dos modelos mais vendidos dessa mesma marca:

Comparação visual da construção externa entre modelos mais comuns e o DataTraveler Locker+

A parte móvel, que protege a saída USB, é de um material mais firme e, em vez de ser apenas encaixada no corpo do pendrive, ela é parafusada, garantindo a integridade física do seu dispositivo por mais tempo. O seu corpo também mostra um cuidado de fabricação mais apurado, com as duas partes bem coladas e sem partes internas que se movem, mesmo que levemente.

Proteção dos dados

Ao inserir o pendrive no computador a sua diferença mais marcante fica clara: para ter acesso ao seu conteúdo é preciso estar autorizado a isso, já que ele conta com uma proteção por senha. O processo de escolha da senha é feito, necessariamente, da primeira vez que o pendrive é colocado no computador e dura poucos instantes.

Tela de configuração da senha para o pendrive

Após configurar a combinação de caracteres que abre as pastas do pendrive não é possível ter acesso sem que essa senha seja digitada. Chamou bastante atenção o fato de que, para usar o pendrive sem essa palavra chave, é preciso formata-lo, apagando todos os dados. Isso é uma grande garantia de que, mesmo que ele caia em mãos erradas, se a pessoa não souber o código de acesso não terá meios de burlar o sistema e visualizar o seu conteúdo.

REPROVADO

Nem tudo no pendrive DataTraveler Locker+ da Kingston, porém, agradou-nos, já que alguns detalhes e processos observados poderiam ser melhores ou mais práticos. Conheça todos os aspectos observados que foram reprovados no nosso teste.

Limitações da senha

Pode ser uma maneira de realmente proteger os dados do pendrive, mas algumas limitações na hora de cadastrar a senha podem ser frustrantes. Existem algumas regras que precisam ser observadas e isso quer dizer que a sua combinação precisa preencher pelo menos três dos quatro requisitos a seguir: é necessário conter letras em caixa alta (maiúsculas), em caixa baixa (minúsculas), números ou caracteres especiais.

Limitações da senha para o pendrive da Kingston

Porém, o que mais é limitador é o fato de que a senha pode conter no máximo 16 caracteres. Esse não é um número realmente baixo (o mínimo é seis, também um número razoavelmente alto), porém essa imposição pode frustrar quem está acostumado com senhas maiores que isso. Por se tratar de um dispositivo de proteção, espera-se que não existam limites para a segurança, mas nesse caso isso não é verdade.

Cadastro em inglês

Tanto a tela com o primeiro cadastro (inclusive as regras para a senha) quanto a tela inicial a cada vez que o pendrive é usado possuem o texto totalmente em inglês. Não é algo difícil de entender para quem tem um certo domínio da língua, porém isso é limitante para as pessoas que não são familiarizadas com o idioma. Por se tratar de uma marca mundial, o software poderia dar a escolha ao utilizador.

Preço

Esse é um fator que se complica por se tratar de um produto importado. O modelo de 16 GB de armazenamento foi encontrado em algumas lojas online custando em média 200 reais. Tendo em vista que um pendrive Kingston normal, sem a proteção, custa aproximadamente 50 reais, essa é uma diferença grande e que pode pesar na hora de decidir se vale a pena ou não.

VALE A PENA?

Para responder a essa pergunta é preciso antes se perguntar se o tipo de dados que você pretende proteger realmente precisa dessa segurança adicional. Pessoas que querem apenas esconder dos curiosos os seus arquivos do dia a dia não são exatamente o público alvo da Kingston, já que todo esse processo de encriptação é voltado para o meio empresarial, no qual o vazamento de dados é algo mais sério e que pode trazer grandes prejuízos.

É preciso pensar se a proteção adicional é realmente necessária, se isso compensa o custo razoavelmente alto do pendrive, ou se isso não é suficiente para justificar o seu uso. Os outros aspectos (a construção mais reforçada, por exemplo), são pontos positivos, mas que também não vendem o produto sozinhos. Ele vale a pena para quem precisa realmente de proteção aos seus dados, e nesse caso ele cumpre o seu papel satisfatoriamente.

Cupons de desconto TecMundo: