Você já deve ter visto máquinas poderosas recebendo overclock para disputar campeonatos, alcançando marcas incríveis. Mas mesmo toda essa demonstração de força pode não ser suficiente para impressionar os gamers. Será que uma placa de vídeo com overclock extremo faz muita diferença na hora de jogar?

O overclocker Ronaldo Buassali veio a Curitiba e, na sede da TeraByte, realizou um comparativo para tirar essa dúvida de uma vez por todas. A equipe do TecMundo estava lá para acompanhar o passo a passo do duelo. O resultado dessa disputa é o que você confere agora.

As máquinas do duelo

As máquinas utilizadas para a comparação em vídeo foram cedidas por empréstimo pela TeraByte para a realização desse teste. Confira a configuração de cada uma delas:

PC sem overclock

  • Placa-mãe: Gigabyte X99-Gaming G1
  • Memória: 16 GB Corsair Dominator Platinum 3200
  • GPU: Galax GeForce GTX 980 HOF
  • Processador: Intel Core i7 5960X
  • Watercooler Corsair Hydro H105
  • SSD: Corsair Neutron GTX 480 GB
  • Fonte: Corsair

PC com overclock

  • Placa-mãe: Gigabyte X99 Champion
  • Memória: 16 GB SK Hynix N3400
  • GPU: Galax GeForce GTX 980 HOF
  • Processador: Intel Core i7 5960X
  • SSD: Corsair Neutron GTX 480 GB
  • Fonte: Corsair

Os resultados

Para colocar à prova o poder de fogo das duas máquinas, foram submetidos aos testes do Fraps dois jogos: Battlefield 4 e Crysis 3. Os resultados finais mostraram uma diferença considerável na média de frames por segundo nos dois jogos. Todos os jogos foram configurados no máximo em todos os quesitos.

Agradecimento especial à TeraByte pelo empréstimo das máquinas e pela cessão do espaço para as gravações. Agradecemos ainda a colaboração do TecLab na realização dos testes. 

Cupons de desconto TecMundo: