Um ônibus movido a esterco ou cocô de vaca conseguiu nesta semana atingir o “recorde” de velocidade para ônibus que utilizam dejetos animais como combustível. A velocidade mais alta alcançada no teste do veículo foi de 123,57 km/h. Ao que parece, fezes de animais servem sim finalidades mais avançadas que a produção de adubo.

Contudo, essa marca alcançada na Inglaterra foi, na verdade, o primeiro registro de um veículo movido a dejetos correndo em alta velocidade. Portanto, não é exatamente uma quebra de recorde, mas sim uma definição inicial. O reconhecimento oficial não deve ser feito no Guinness Book, que exige pelo menos 241 km/h para marcar um recorde de velocidade.

O real combustível do ônibus é o “gás biometano”, extraído das fezes bovinas através de digestão anaeróbica, sem a necessidade da presença de ar. John Bickerton, engenheiro chefe do projeto, disse à BBC que a intenção é criar o primeiro recorde de velocidade dessa natureza para dar visibilidade à tecnologia. “Nós queríamos acabar com essa fama de ônibus sujo, fedorento e lento. Nós somos modernos, rápidos e estamos na vanguarda da inovação”, explicou Bickerton.