A Sony aparentemente acha que televisores com mais pixels e preços mais baixos são uma aposta mais acertada do que aparelhos com cores mais vivas e tons de preto mais intensos. Segundo informações do veículo japonês Nikkei, a empresa está suspendendo o desenvolvimento de novas TVs OLED comerciais e mudando seu foco para dispositivos 4K com telas LED e LCD.

Esses tipos de televisores possuem um custo menor de produção, podem ser vendidos por preços mais baratos e já compõem quase metade dos aparelhos que a Sony planeja oferecer ao público ao longo do próximo ano. O Nikkei acrescenta que outra razão importante é que as TVs 4K já estão vendendo bem nas lojas, enquanto as OLED ainda não estão.

A Sony foi pega de calças curtas por rivais grandes como LG e Samsung, que agiram de maneira muito mais rápida e agressiva com relação aos dispositivos OLED. Segundo informações divulgadas em dezembro de 2013 pelo Wall Street Journal, a dona do PlayStation havia acabado de cancelar um acordo com a Panasonic para a produção de TVs com a tecnologia, o que a levou a se concentrar nos sistemas baseados em LCD.

Prós e contras

A principal vantagem de usar a tecnologia OLED em televisores e outras telas é sua ótima reprodução de cores e seu contraste elevado. No entanto, foram necessários anos até que essa técnica pudesse alcançar resultados em tamanhos grandes e com custos menores – e mesmo hoje esse preço ainda não é tão baixo assim, com TVs custando três ou quatro vezes mais do que as que usam plasma, por exemplo.

Essa mudança de estratégia obviamente não vem sem prejuízo para a Sony, que se vê forçada a reduzir em 20% sua força de trabalho na divisão de aparelhos eletrônicos para consumidores. Os funcionários do grupo de produção de OLED que resistirem aos cortes serão distribuídos entre as outras partes da companhia, segundo o Nikkei.

Cupons de desconto TecMundo: