Você provavelmente se lembra de uma notícia publicada em junho deste ano afirmando que material erótico estaria proibido no Oculus Rift — logo um equipamento que poderia revolucionar essa indústria. Porém, uma nova luz no fim do túnel surgiu para fazer a alegria de quem não vê a hora de consumir esse tipo de conteúdo de realidade virtual.

Em entrevista ao site Polygon, Mate Mitchell, da Oculus, mais ou menos confirmou a existência de uma brecha no sistema. "Nós estamos ativamente barrando e proibindo conteúdo de entretenimento adulto da loja, pronto. Se você está na plataforma Oculus, não há esse conteúdo. Temos uma política de tolerância zero para isso", afirmou.

Porém, o o que pode parecer uma resposta negativa tem outro lado: como o kit de desenvolvimento do sistema do Oculus Rift é aberto, é perfeitamente possível criar conteúdo pornográfico para o hardware e distribuir material "por fora" — ou seja, não necessariamente dentro da loja oficial e das parceiras. Ou seja, se você procurar sacanagem para a plataforma e tiver os contatos certos, com certeza vai encontrar. Claro que Mitchell não iria falar isso na entrevista, mas é possível interpretar as palavras do executivo dessa forma.

Há quem acredite que a popularização da tecnologia dos óculos de realidade virtual pode acontecer graças ao uso da pornografia e de conteúdos que infrinjam direitos autorais — mais ou menos o que acontece com a pirataria e o cinema, por exemplo.

Cupons de desconto TecMundo: