A Oculus VR, empresa que está desenvolvendo o visor de realidade virtual Oculus Rift, anunciou a contratação de mais duas executivas. A primeira é Mary Lou Jepsen, ex-chefe de display da Google X, a divisão de tecnologias do futuro da Google. A segunda é Anna Sweet, que trabalhava como chefe de desenvolvimento de negócios na Valve.

Jepsen já foi indicada como uma das 100 pessoas mais influentes pela revista Time e trabalhou com executiva-chefe de tecnologia do projeto One Laptop Per Child, cuja proposta é criar um computador portátil de US$ 100.

Na Oculus VR, seu trabalho será desenvolver telas cujas propostas são de ampliar os limites da tecnologia do Rift. "A realidade virtual tem sido vista como um produto de nicho para ricos", comentou. "Como a visão do One Laptop per Child para as crianças mais pobres, imaginamos a realidade virtual como uma tecnologia capacitadora, uma plataforma de adoção de massa, para mulheres e homens, adultos e crianças, ricos e pobres, em todos os lugares".

Mary Lou Jepsen

Ecossistema

Já Anna Sweet será chefe de estratégia para desenvolvedores, cujo foco é a construção de um ecossistema que recompense quem criar as melhores experiências de realidade virtual. "Desde a primeira vez que coloquei um visor de realidade virtual na cabeça, soube que essa era a próxima coisa na qual queria trabalhar. Foi a mesma sensação que tive quando meus pais me compraram um Tandy (um computador de década de 80) quando era criança", disse.

"As maneiras como a realidade virtual pode impactar nossas vidas não têm limites, e estou muito entusiasmada para trabalhar com o time de nível mundial na Oculus e construir as plataformas e experiências que moldarão o futuro da tecnologia. Estou ansiosa para dar suporte e capacitar parceiros e desenvolvedores de vários setores para serem parte disso", finalizou.

Agora, só resta saber quando tudo isso vai se materializar.

Anna Sweet

Cupons de desconto TecMundo: