Quando o Facebook comprou a empresa Oculus VR por US$ 2 bilhões, muita gente se preguntou que tipo de negócio a rede social tinha em mente. Além do óbvio interesse em investir em uma empresa com grande potencial de mercado, imaginar o que poderia acontecer com o cruzamento das duas plataformas também não deixa de ser curioso.

Uma prévia do que pode vir por aí pôde ser percebida nas declarações de Brendan Iribe, CEO da Oculus VR. Em uma palestra ao TechCrunch Disrupt, ele falou sobre a ideia de criar uma experiência multiplayer massiva para um bilhão de usuários simultâneos. “Temos a ideia de colocar um bilhão de pessoas em um MMO no Oculus Rift”, explicou.

Um bilhão de pessoas, aliás, parece ter sido o maior dos argumentos para que a Oculus VR decidisse se associar ao Facebook em vez de outra companhia de jogos. “Você quer construir uma plataforma para um bilhão de usuários ou para 10, 20 ou 50 milhões?”, explicou.

A ideia é dar um passo de cada vez, mas a empresa está de olho em um mercado em especial: a possibilidade de convencer os usuários de que eles podem ter uma “conversa real” com outra pessoa utilizando um Oculus Rift. “Este é o Santo Graal que queremos alcançar”, detalhou. 

Cupons de desconto TecMundo: