(Fonte da imagem: Reprodução/EyeTap)

Sair pelas ruas com óculos de realidade aumentada, como prega o projeto do Google Glass, pode não ser uma ideia tão boa assim. Ao menos é o que pensa agora o engenheiro Steve Mann, que foi agredido em Paris justamente por usar o EyeGlass, como é a chamada a engenhoca da imagem acima.

O problema é que, durante um almoço com sua família em uma unidade do McDonalds, o rapaz sofreu uma tentativa de agressão: três homens, aparentemente empregados do local, cercaram o inventor e tentaram puxar seu acessório, que não saiu porque esse estava bem acoplado à cabeça de Mann e só pode ser removido com ferramentas especiais – o que significa que, por mais bizarro que isso seja, ele sai às ruas todos os dias com o visor.

A imagem dos três agressores, capturada pelo EyeGlass (Fonte da imagem: Reprodução/EyeTap)

Em seguida, a vítima teria sido empurrada para fora da loja, não sem antes capturar imagens do rosto de seus agressores e postar o relato completo do caso em seu blog. O problema teria sido o equipamento fotográfico, já que tirar retratos do interior das lojas é proibido por lá. Mann tentou entrar em contato com a lanchonete para cobrar os danos, mas não recebeu retornos até agora.

Pré-Google

De acordo com ele, a tecnologia é de sua autoria e está em uso há 13 anos. Bastante similar aos óculos da Google, o acessório é feito de alumínio e silicone (para proporcionar conforto ao encaixe do nariz). Há ainda um EyeTap (sensor que incorpora uma câmera e um display no mesmo aparelho, como pode ser visto no olho direito de Mann), responsável por gravar vídeos e tirar retratos que ficam armazenados no próprio equipamento.

Fonte: EyeTap

Cupons de desconto TecMundo: