Embora a NVIDIA tenha revelado alguns detalhes escassos da arquitetura Pascal em março deste ano, foi somente nesta semana que a companhia decidiu revelar informações mais interessantes. Durante a conferência GTC Japan, a empresa confirmou que sua nova geração de GPUs vai abandonar a solução GDDR5 e adotar o sistema HBM2, sucessora da opção usada na série Fury X da AMD.

Com isso, a fabricante deve ser capaz de disponibilizar novos modelos de placas de vídeo com até 16 GB de memória VRAM. A vantagem da tecnologia HBM2 é oferecer o dobro de velocidade efetiva por pino de conexão, além de introduzir novos recursos de baixo nível que aprimoram o desempenho em aplicações relacionadas a gráficos.

Apesar de a configuração de memória adotar um sistema com configuração semelhante ao da Fury X, a maior densidade das novas memórias pode fazer com que uma GPU Pascal de alto desempenho tenha quatro vezes mais memória que a alternativa atual da AMD. No entanto, essa opção deve ficar restrita somente aos produtos top de linha da empresa, enquanto modelos mais convencionais devem adotar somente 4 GB de VRAM.

A NVIDIA também afirmou que pretende trabalhar com a banda de 1 TB/s em suas novas placas, o dobro do oferecido pela série Fury X. Além disso, tanto a empresa quanto a concorrente AMD afirmam que a tecnologia HBM2 combinada a técnicas de fabricação em 14 e 16 nanômetros vai gerar o dobro de performance por watt consumido.

Até o momento, a fabricante de soluções gráficas ainda não informou quando os primeiros produtos baseados na arquitetura Pascal devem ser lançados. No entanto, a expectativa é de que os primeiros produtos com as novas características comecem a chegar às lojas entre o final do primeiro trimestre fiscal de 2016 e o início do segundo trimestre.

Você está ansioso pela nova geração de GPUs? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: