(Fonte da imagem: Reprodução/Selling Your Diamond Now)

Diamantes são eternos, mas o processo de lapidação de uma peça está demorando cada vez menos para ficar pronto. Uma das indústrias mais rentáveis do mundo, a produção de diamantes hoje gera cerca de US$ 71 bilhões (o equivalente a R$ 142 bilhões) por ano.

Para garantir cortes mais precisos nas peças comercializadas, desde a década de 90 a indústria de diamantes utiliza a computação pra garantir uma lapidação perfeita e simétrica entre as peças. Essa característica fez também com que o número de peças produzidas diariamente subisse para pelo menos 70.

Para tornar esse processo mais rápido e a indústria ainda mais rentável, a indústria de diamantes agora começa a utilizar GPUs para aumentar a capacidade de processamento. “O desafio é aumentar o número de peças processadas ao mesmo tempo”, explicou Rupali Deshpande, que atua na NVIDIA com soluções de arquitetura de processamento.

Durante a GTC 2013, realizada na última semana em San José, nos Estados Unidos, ele explicou que hoje as GPUs são utilizadas para reconstruir projetos 2D de diamantes em 3D em questão de minutos, mapear imperfeiçoes em uma pedra ou agilizar processos que preveem como será a reflexão da luz nos cortes projetados.

Cupons de desconto TecMundo: