Será o fim dos computadores de mesa?

Fonte da imagem: Divulgação/iBuyPower

"Não há qualquer razão para alguém querer ter um computador em casa". Ken Olson, presidente e fundador da fabricante de mainframes Digital Equipment, não poderia estar mais errado. Dos anos 70 para cá os computadores pessoais ganharam destaque nas casas de milhões de pessoas, tornando para alguns impossível a tarefa de imaginar uma vida sem PC.

Até alguns anos atrás, não havia muita dúvida: o primeiro computador era sempre de mesa. Já que os laptops custavam muito mais, eles acabavam restritos a executivos e outros profissionais que faziam questão de um computador pessoal móvel, para levar em suas viagens de negócios.

Com o passar do tempo, essa diferença de preço acabou ficando menor e, hoje em dia, é possível encontrar tanto computadores de mesa quanto notebooks por menos de 1 mil reais. Resultado: os notebooks se tornaram mais populares e agora são a porta de entrada de muita gente para o mundo da informática.

Todos esses modelos de notebooks e, recentemente, de netbooks e tablets, sendo lançados mensalmente, podem ameaçar o posto dos computadores de mesa. Há quem diga que os desktops estão com os dias contados.

Mas será que os portáteis podem mesmo substituir um computador de mesa? Confira as principais vantagens e desvantagens de cada modelo e tire suas próprias conclusões. E caso queira trocar ideias com outros usuários do Baixaki, deixe seu comentário no fim do artigo e promova o debate!

Desempenho

Jogos 3D exigem máquinas mais robustas

Quando o assunto é desempenho, não há muito que dizer a favor dos netbooks e tablets. Se por um lado eles podem suprir as necessidades de usuários que usam o computador apenas para navegar na internet e jogar um ou outro game mais simples, eles ainda deixam a desejar em outros cenários. Mesmo os modelos mais recentes possuem recursos de hardware muito mais modestos do que os desktops atuais.

Porém, pode ser que isso seja questão de tempo. Durante muitos anos os notebooks também possuíam configuração de hardware inferior ao padrão dos computadores de mesa. Mas essa situação tem mudado e os portáteis estão cada vez mais velozes.

Agora é possível encontrar modelos de laptops desenvolvidos para usuários específicos, como aqueles que gostam de explorar recursos multimídias avançados ou jogar os últimos lançamentos da indústria de games.

Atualmente, os notebooks já não ficam tão para trás em relação à configuração dos desktops. Embora ainda tenham recursos de hardware um pouco inferior, eles são capazes de executar softwares e games de última geração, repletos de efeitos 3D e tecnologia de ponta.

Upgrade

Upgrades em notebooks se resume a memória RAM e disco rígido

O principal empecilho nos notebooks, para aqueles que gostam de ter uma máquina sempre bem atualizada, é a possibilidade limitada de upgrade. Placas de vídeo, pentes de memória, processadores novos, drives óticos mais velozes: isso e muito mais costuma sair primeiro para desktops e, apenas mais tarde, acaba sendo incorporado pela indústria de notebooks.

Além disso, trocar esses componentes em um computador de mesa acaba sendo uma tarefa mais simples. Além das inúmeras empresas de manutenção espalhadas por aí, usuários com um pouco mais de conhecimento já podem se a arriscar a instalar um HD ou a trocar a fonte de um computador desktop.

Já no caso dos notebooks, a situação é um pouco mais complicada e, normalmente, o usuário acaba contratando mão de obra especializada na hora de fazer alguma mudança na máquina. Além disso, as opções de upgrade também são mais limitadas e se resumem basicamente a pentes de memória RAM e novos discos rígidos.

Mais do que o essencial

Componentes opcionais para desktops estão embutidos em laptops

Fonte: ASUS

Por padrão, computadores desktop costumam vir sem alguns componentes, como placa de acesso à rede wireless, suporte para transferência de dados via Bluetooth, leitor de cartões de memória, leitor biométrico para autenticação por meio da impressão digital do usuário, webcam etc. Quem realmente precisa de um desses dispositivos precisa comprá-lo à parte e então conectá-lo ao PC.

No caso dos notebooks, alguns desses componentes são requerimentos básicos de qualquer modelo, como é o caso do acesso a redes Wi-Fi. Outros, por mais que sejam opcionais, constam como padrão na maioria dos portáteis. É o caso da webcam e do Bluetooth, por exemplo. E mesmo sem esforço o usuário consegue encontrar modelos com leitores biométricos e outros dispositivos, evitando assim ter que comprar periféricos adicionais para a máquina.

Mobilidade

Acessar a internet em espaços públicos já virou rotina

Esse é um ponto em que não temos muito que discutir. A principal vantagem dos notebooks fica por conta da mobilidade. Usuários que precisam do computador pessoal sempre por perto já estão acostumados com a praticidade dos portáteis.

Por mais que existam algumas alternativas de desktops mais fáceis de carregar, nenhuma se iguala à facilidade de transporte e uso dos notebooks. Por conta dessa característica, muitas pessoas acabam usando a mesma máquina tanto em casa quanto no trabalho, tendo seus dados sempre disponíveis para acesso.

Ergonomia

É importante cuidar da postura ao usar o PC

Convenhamos: notebooks são ótimos para você usar deitado na cama, sentado no sofá em frente à TV ou para ler as notícias na mesa daquele café esperto enquanto a companhia não chega. Mas passar de seis a oito horas seguidas diariamente em um notebook pode prejudicar a sua postura e causar danos físicos.

Nesse ponto, os computadores de mesa favorecem mais o usuário. Por isso, muitos profissionais acabam conectando seus notebooks a um monitor maior e adotando o uso de teclados e mouses USB para compensar os equivalentes do portátil. Dessa forma, acabam evitando as dores de uma lesão por esforço repetitivo (LER).

Caso tenha mais interesse pelo assunto, recomendamos a leitura do artigo sobre ergonomia publicado pelo Baixaki.

Economia de energia

Embora muitos usem o notebook conectado sempre na tomada, o fato é que ele consome menos energia do que o PC de mesa. Além disso, a bateria proporciona algumas horas de uso no caso de um blackout.

Conectividade

Nesse quesito os computadores de mesa não podem competir. Quem precisa estar sempre conectado à internet precisa de um portátil, e pode ser notebook, netbook, tablet ou smartphone. Com a popularização de pontos de acesso gratuitos em estabelecimentos comerciais e áreas públicas, só fica offline quem quer.

Durabilidade

No geral os computadores pessoais são muito resistentes, tanto no caso dos desktops quanto no caso dos portáteis. Mas não há como negar que carregar uma máquina para cima e para baixo tem seus custos. Por estarem mais expostos, os notebooks possuem uma durabilidade menor, já que componentes podem sofrer os desgastes de tanto sacolejar. Sem falar no impacto de possíveis quedas.

Segurança e privacidade

Leitor biométrico em notebook

Fonte da imagem: Swipe Card

Ter os arquivos e dados tão estimados sempre por perto é o sonho de qualquer geek que se preze. Mas é sempre bom lembrar que ao carregar a sua “vida virtual” na mochila, ela acaba exposta a perigos que são mais remotos para os computadores de mesa, como a possibilidade de ser assaltado ou de simplesmente esquecer a máquina na praça de alimentação de um shopping.

Felizmente alguns dispositivos já usam a tecnologia para lidar com esse tipo de situação. Em caso de roubo de um smartphone, por exemplo, usuários podem bloqueá-lo a distância, fazendo com que os dados sejam corrompidos se a senha para desbloqueio for digitada incorretamente durante muitas tentativas. Além disso, leitores biométricos também oferecem uma segurança a mais para os proprietários de notebooks.

...

E então? O que você acha? Com base nessas diferenças, a vida do computador de mesa pode chegar ao fim? Responda a nossa enquete e deixe seu comentário, gostaríamos de saber a sua opinião!

Cupons de desconto TecMundo: