Alan Chlamers, coordenador da pesquisa na Universidade de Warwick. (Fonte da imagem: Reprodução/Phys.org)

Vídeos em HDR: essa pode ser a próxima novidade a pintar no mundo dos notebooks. A sigla, que significa High Dynamic Range, permite exibir vídeos com um brilho mais realista, chamado “True Brightness”, proporcionando uma experiência de visualização muito mais otimizada.

Até então, o maior problema da captura de imagens em HDR era a quantidade de dados necessários, uma vez que apenas um segundo de imagem poderia ocupar até 100 MB de espaço. A novidade é que agora os pesquisadores descobriram um meio de comprimir os fotogramas em uma relação de 150:1, com perda mínima de qualidade.

Essa característica deve permitir que os conteúdos em HDR sejam codificados na íntegra e transmitidos em tempo real para uma tela. “Anteriormente, essa compressão tinha que ser feita offline, o que tornava o processo muito mais lento e caro”, explica Alan Chalmers, coordenador da pesquisa na Universidade de Warwick.

Os primeiros beneficiados com a nova tecnologia devem ser os jogadores de games online e aqueles que utilizam sistema de segurança. Isso deve resultar, por exemplo, em jogos com maior qualidade de brilho, proporcionando qualidade de imagem superior mesmo em condições de luminosidade adversas.