Computadores voltados para jogos costumam custar “os olhos da cara” e os notebooks para games então, nem se fala!

Se você é um afortunado que ganhou na Mega-Sena e pode comprar uma máquina poderosa dessas — seja no cash ou no plano “minha máquina gamer, minha vida” — para levar sua plataforma de jogos na mochila, talvez seja válido pensar bem antes de investir seu suado dinheirinho em um produto tão caro.

A verdade é que, quando falamos em laptops para jogos, detalhes como design, marca e outros parâmetros nem sempre são fatores que implicam em melhorias para a jogatina — que é o principal objetivo da máquina. Às vezes, é melhor planejar para adquirir um dispositivo realmente equipado para jogos, do que apostar em um aparelho que tenha um show de luzes.

Além disso, é válido considerar que não é qualquer hardware que vai entregar o desempenho pretendido. Muitas vezes, uma máquina com configuração boa o suficiente para rodar um título como League of Legends não necessariamente tem capacidade para enfrentar games mais modernos como um Ghost Recon Wildlands.

Pode parecer óbvio falar que basta pensar no hardware para adquirir um computador potente para suas tarefas. Contudo, essa dica é importante, já que os dispositivos voltados para laptops costumam ter limitações, de modo que nem sempre uma CPU para notebook desempenha igual à outra para desktop.

Dessa forma, para garantir que você faça a escolha certa, nós separamos algumas dicas espertas que podem ser válidas antes de fechar aquela compra na sua loja favorita. É importante notar que, neste artigo, vamos tratar essencialmente de informações sobre as peças dos laptops, mas não daremos recomendações de marcas ou modelos.

Processador – atividades, modelos, especificações

Muitos jogadores esbravejam que o processador não tem tanto impacto na performance durante a jogatina. Todavia, nós já comprovamos em reviews de componentes para desktops que a CPU tem grande impacto no processamento gráfico — sendo que até mesmo o chipset e a placa-mãe podem apresentar diferenças na execução de games.

Sim, é verdade que o processador não é o principal componente para um desempenho superior em jogos, porém a escolha de um modelo minimamente competente para acompanhar a placa de vídeo é primordial para uma experiência satisfatória. Assim, antes de mergulhar na escolha da GPU, vale uma pausa para entender melhor a CPU.

No atual cenário, pensando que estamos em julho de 2017, a maioria esmagadora de notebooks gamers vêm com processadores Intel, então não vamos abordar detalhes quanto aos chips da AMD. Basicamente, para PCs de jogos, você tem três opções de componente: Intel Core i3, Intel Core i5 e Intel Core i7.

Como você já deve imaginar, esse número nas séries indica a capacidade dos produtos, de modo que o Intel Core i3 atende ao público de entrada (mas já pensando em alto desempenho), o Intel Core i5 foca em atividades mais pesadas (e já deve ser suficiente para acompanhar placas de vídeo robustas) e o Intel Core i7 apresenta o máximo em tecnologia e performance.

Intel Core i3 e Core i5 – laptops para jogos de entrada

Bom, considerando que as fabricantes de notebooks limitam as opções de personalização dos aparelhos, é provável que você não encontre um laptop gamer com um chip da linha Intel Core i3. Todavia, há modelos que até podem rodar games (seja com placas dedicadas ou onboard), mas que não são focados nessa atividade – muitos que inclusive trazem opções de Intel Core i3.

Se você pretende curtir games leves com uma placa do tipo GeForce 940MX ou de alguma série antiga similar, possivelmente um Intel Core i3 ou um modelo Intel Core i5 de entrada já devem dar conta das suas necessidades.

Agora, se você quer realmente alto desempenho nos jogos, a sugestão é adquirir uma máquina que tenha no mínimo um processador Intel Core i5. Entretanto, antes de você digitar os dados do seu cartão, vale verificar com atenção as informações sobre o chip em questão, pois nem todo componente vai oferecer a performance adequada para os games.

Intel Core i5 – laptops para jogos intermediários

Há modelos de laptops com processadores Core i5 de dois ou quatro núcleos (todos são capazes de processar até quatro threads simultaneamente, mas peças com quatro núcleos reais apresentam melhor desempenho).

Para jogos, o recomendado é apostar em um Intel Core i5-7300HQ – que é um quad-core com clock de 2,5 GHz – ou em um modelo mais avançado. Algumas máquinas usam o Intel Core i5-7300U (repare na similaridade dos nomes), que é um dual-core com clock de 2,6 GHz.

Vale notar que somente essas especificações podem dar uma impressão errada, já que o Intel Core i5-7300U até tem frequência mais elevada, porém é válido consultar a ficha dos produtos para ficar por dentro de outros detalhes. O Intel Core i5-7300HQ pode até ter um clock mais baixo, mas sua característica quad-core e a memória cache com o dobro do tamanho podem fazer diferença nos games.

Uma dica bastante importante nesta parte de processador é ficar de olho nos sufixos dos modelos. Componentes do tipo HQ ou HK são voltados para alta performance em gráficos (sendo que o modelo K leva a vantagem de ter facilidades para overclocking). Os produtos da série U são mais focados em baixo consumo energético.

Intel Core i7 - Laptops para jogos top de linha

Com as dicas acima, você pode estar pensando que basta apostar em um Intel Core i7 para ter o máximo desempenho, certo? Pois bem, também não adianta simplesmente optar por um modelo da série i7 e pensar que você terá o máximo da performance, pois, mesmo entre esses chips mais poderosos, há componentes que podem não ser os mais indicados para jogos.

Novamente, aqui temos uma pegadinha, pois um Intel Core i7-7500U, por exemplo, não é voltado para games. Apesar de ser um componente de alto desempenho, conforme já comentamos acima, ele é focado em economia de energia. Esse processador, especificamente, tem dois núcleos e possivelmente não vai ter uma performance tão boa quanto o Core i5-7300HQ.

Pensando em notebooks, as melhores opções para ter a máxima performance são o Intel Core i7-7700HQ, o Intel Core i7-7820HK ou o Intel Core i7-7920HQ. Todos esses modelos são quad-core, podem processar até oito threads simultaneamente e trazem especificações similares (somente o i7-7700HQ perde na questão da memória cache reduzida), de modo que as grandes mudanças ficam por conta dos clocks regulados diferentemente em cada peça.

Placa de vídeo – Jogos, modelos, memória e mais

Agora que você já sabe como escolher seu processador, é hora de se preparar para pensar em uma placa de vídeo capaz de rodar seus jogos favoritos. Esse processo é um pouco mais demorado e demanda um pouco de paciência, pois além de você precisar pensar em coisas como especificações, é válido consultar reviews para conferir o desempenho na prática.

Contudo, antes de verificar a lista de componentes disponíveis, é importante definir quais títulos você quer rodar no notebook, já que não é preciso exagerar nesse aspecto se você já tem uma máquina mais poderosa em casa para os jogos mais avançados e busca um laptop apenas para games modestos.

Máquinas simples e jogos básicos

Se os seus games favoritos são jogos indie, títulos do tipo plataforma ou games com gráficos simples, há chances de que até mesmo a Intel HD Graphics 620 (presente em CPUs como Intel Core i3-7100U ou Intel Core i5-7300U) já dê conta do recado. Conforme já comentamos em um artigo aqui no TecMundo, essas GPUs rodam até games como Dead Space 3 e outros títulos com gráficos avançados — desde que a qualidade seja devidamente ajustada.

Quem busca algum nível adicional de performance e já quer curtir algum game mais recente, uma placa de vídeo dedicada já é recomendada. Modelos de entrada como a GeForce 940MX (que já traz memória própria e tem capacidades avançadas para processamento de texturas) já devem ser uma boa opção para executar gráficos com bom nível de detalhe na resolução HD (1366x768 pixels).

Máquinas quase gamers e mais robustas

Os jogadores que já pensam em máquinas gamers de verdade devem se concentrar em aparelhos equipados com chips mais poderosos, o que inclui modelos como GeForce GTX 950M, GeForce GTX 960M, GeForce GTX 965M, GeForce GTX 970M, GeForce GTX 980M, GeForce GTX 1050, GeForce GTX 1050 Ti, GeForce GTX 1060, GeForce GTX 1070 ou GeForce GTX 1080.

É importante notar que entre as placas indicadas acima, as peças da série 900 são dedicadas para notebooks (elas são rotuladas com o sufixo M para indicar a especificidade "Mobile"). Na prática, isso significa que uma GeForce GTX 960M tem limitações quando comparada a uma GeForce GTX 960.

A razão para tal distinção se deve ao fato de a arquitetura anterior da NVIDIA não permitir a extração máxima de desempenho nos notebooks da época, de modo que a limitação na performance do produto acarretava em uma diminuição da temperatura e do consumo de energia, o que garantia a boa eficiência do componente em um laptop.

Os gamers que têm mais condições já devem optar por uma placa da série GeForce GTX 10, que vem com as tecnologias mais recentes e apresenta o mesmo desempenho das placas dedicadas para desktops. Todavia, conforme já comprovamos em testes, por conta de limitações nos projetos energéticos dos notebooks, você não deve esperar exatamente a mesma performance nos chips gráficos de laptops.

Agora, tão importante quanto potência é a quantidade de memória da placa de vídeo. É válido ficar de olho nesse quesito, pois muitos aparelhos trazem 4 GB de memória dedicada, mas, na prática, isso não quer dizer muita coisa se o chip gráfico não tem capacidade para processar (com rapidez e qualidade) todas as texturas armazenadas na memória.

Falando nisso, exceto pela GTX 950M, todas as placas citadas acima são compatíveis com memórias do tipo GDDR5, o que significa muito mais velocidade para os seus jogos. Na hora de escolher um modelo para jogos, é importante averiguar tal informação, pois memórias DDR3 limitam muito a performance do componente gráfico.

Qual GPU escolher para uma jogatina de qualidade?

Dito tudo isso, você talvez ainda esteja com algumas dúvidas sobre qual placa de vídeo escolher para conseguir uma boa qualidade nos jogos. Falando especificamente da série GeForce GTX 10, podemos garantir que até mesmo o modelo mais simples da série (a GTX 1050) é capaz de rodar qualquer game da atualidade.

Conforme já comprovamos em testes com notebooks recentes (incluindo modelos Dell Gaming, Acer Aspire e Samsung Odyssey), basta alguns ajustes na qualidade gráfica dos games (o que geralmente inclui a desativação de filtros) para conseguir um desempenho satisfatório na resolução Full HD.

Se você é refinado e quer uma qualidade elevada nas texturas ou se já pensa em manter filtros ativados, pode ser que a GeForce GTX 1060 já seja uma placa mais recomendada para o seu laptop de jogos.

Agora, para aqueles que buscam folga no desempenho, a melhor solução é a GeForce GTX 1070, que já é capaz de rodar qualquer jogo na qualidade máxima e ainda sobra desempenho para testes na resolução 4K.

Por fim, temos a GeForce GTX 1080, que chega como a solução máxima em notebooks para jogos. Há poucos modelos com esse chip gráfico aqui no Brasil, sendo que você deve estar ciente que o alto desempenho vem com o custo de um grande consumo de energia. Todavia, se a ideia é experimentar 4K, Realidade Virtual e garantir um bom desempenho para os próximos anos, esta é a aposta mais segura!

Memória e armazenamento

Para finalizar este artigo, temos mais dois assuntos importantes: memória RAM e armazenamento. Bom, novamente, temos a questão do propósito da máquina.

Sobre memória RAM, é bem possível que quase todos os cenários de execução de jogos possam ser resolvidos facilmente com duas configurações: 8 GB ou 16 GB.

Se a sua praia é curtir games simples (seja no chip gráfico onboard ou mesmo em uma placa mais simples), você provavelmente não vai precisar de 16 GB de memória RAM. Assim, pode apostar seguramente em 8 GB, pois isso é mais do que suficiente para quase todas as atividades que uma máquina desse porte pode executar (às vezes, vale conferir se há opção para expansão futura).

Agora, se você é um gamer exigente (e apostou em uma GTX 1050 ou superior) e quer jogar seguro, então 16 GB de memória é a melhor opção, pois assim há espaço suficiente para armazenar todos os dados temporários dos jogos. Há fabricantes que oferecem configurações com 32 GB de RAM (e até mais), mas, tirando raríssimos casos, tal opção é um desperdício de dinheiro e componente.

Na parte de armazenamento, conforme já criticamos inúmeras vezes as fabricantes, a melhor solução para jogos é uma combinação de SSD (pelo menos um componente com 120 GB para guardar o sistema e os jogos principais) e HD (com 1 TB para salvar os demais games e arquivos).

Existem muitos laptops que contam com espaço para apenas um drive, então você precisará definir se prefere espaço ou velocidade. Jogadores que curtem apenas alguns poucos games ou que jogam esporadicamente (e vão manter apenas um ou outro título instalado), às vezes, vale trocar o HD de 1 TB por um SSD de 240 GB.

Uma escolha complexa

Pois bem, como você pôde conferir acima, não é fácil encontrar uma configuração gamer que agrade em todos os aspectos. Muitas vezes, você até consegue um notebook bem robusto em processamento e gráficos, mas aí ele deixa a desejar em armazenamento. A alternativa é buscar a melhor solução possível e, então, incrementar posteriormente.

Além de todos esses detalhes, vale pensar e consultar reviews e até mesmo os sites das fabricantes para averiguar outros quesitos, como design, peso, duração de bateria, sistema de refrigeração, qualidade da tela e potência sonora. É um processo longo e que exige atenção, mas é importante ficar de olho em cada parâmetro para não se arrepender.

Então, você tem mais alguma dica para os amigos que vão comprar notebooks gamers? Deixe seu comentário e compartilhe suas informações e experiências.

Cupons de desconto TecMundo: