Finalmente estamos em janeiro. Mês em que a Nintendo prometeu apresentar um novo vídeo do Switch, no qual, teoricamente, serão mostrados os detalhes que todos desejam saber: especificações do console, informações sobre o produto (botão Share?), interface, recursos online e, é claro, line-up de jogos, que deve acontecer no Treehouse, agendado para as 12h30 desta sexta-feira 13 (BIIIIRL).

O evento mais quente rola na madrugada de hoje para amanhã, às 2h da manhã, quando a Big N vai mostrar o Switch em si. Esse é o nosso anseio! E como isso deve mudar o panorama da Nintendo? Que visões, sejam elas conservadoras ou mudancistas, podem mexer no mercado com base na filosofia da dona do Mario? E a resposta à concorrência?

A nossa equipe (TecMundo e TecMundo Games) adotou uma abordagem diferente e trouxe, aqui, expectativas pessoais de vários redatores, além de pessoas de outros departamentos. Afinal de contas, Nintendo é família – fez parte da infância de todos, praticamente. Confiram nossos pitacos sobre o futuro da Big N!

Douglas Vieira, redator

Talvez seja um tiro longo, mas, de verdade, eu espero que a Nintendo anuncie nesta sexta-feira o retorno de ao menos uma de suas franquias clássicas que estão adormecidas. Ficaria extremamente feliz se isso acontecesse com EarthBound, mas como as chances são poucas eu me contentaria com F-Zero.

Será que enfim teremos a chance de ver um novo F-Zero no Switch? Dedos cruzados!

Nilton Kleina, redator

Adorei a primeira apresentação do Switch e não poderia estar mais empolgado para esta revelação mais detalhada. O primeiro trailer foi muito otimista e esse evento precisa ser mais pé no chão, mostrar ele em funcionamento em condições naturais. Ah, e questões que surgiram sobre o funcionamento do modo tablet (como tempo de bateria e qualidade da tela) precisam ser respondidas para o consumidor não ter uma surpresa negativa só depois de comprar.

Deixei de comprar consoles da Nintendo depois de vender meu querido GameCube, mas a empresa fez parte de absolutamente toda a minha infância e tem toda a minha admiração. Se as franquias esquecidas forem reabilitadas (um Metroid decente, por favor!) e o preço do Switch for camarada, vou ficar bem tentado por um.

Gabriel Soto Bello, apresentador

Eu estou muito, mas muito empolgado com o Switch. Acho que essa é a chance de ver a Nintendo fazendo o que ela faz de melhor: sacudir o mercado de games. Além do preço e da data (eu chuto US$ 249 e março), estou torcendo para ver também mais informações sobre o console em geral. Será que a gente vai ter Joy-Cons personalizados e contextualizados de acordo com títulos específicos? E a bateria, vai aguentar? E o poder fora do Dock vai ser aceitável? Isso sem falar, é claro, nos games.

A Nintendo nem precisa mostrar seus tesouros, como Zelda e um novo Mario, que já sabemos que vão ser incríveis, mas sim a parte das third-parties. E é aí que meu coração treme com a possibilidade de jogar Dark Souls em qualquer lugar, quem sabe até um remake do primeiro game!

Nosso apresentador ficaria feliz em ver Dark Souls no Switch, e você?

Paulo Bonilauri, redator

Como Nintendista declarado, o que eu espero? Infelizmente, decepção. Por um lado, tenho certeza de que o conceito trazido por eles vai estar incrível como já vimos em sua apresentação original. Por outro, visto que a Nintendo aparentemente não aprendeu que consoles não são só uma boa ideia, espero um hardware fraco demais para conseguir se comparar ao PS4/XOne – o que o deixaria de fora de muitos lançamentos da indústria – e um firmware medíocre que ainda vai parecer preso à era do Wii.

Bruno Micali, redator

Quem me conhece sabe que ando meio ácido com a Nintendo, mas isso só acontece por um motivo: minha decepção com ela nos últimos anos. E é a decepção de fã, não de hater. Uma pena que muitos confundam isso. Como dono de um SNES, do N64, do Game Boy Advance SP, GameCube, Wii, Wii U e 3DS XL, bem, acho que dá para se sentir no direito de estar magoado. Desculpem, mas o Wii U foi um cocô!

Só espero que o Switch seja a redenção de fracassos anteriores. Cadê Metroid? Cadê F-Zero? Amo Mario e Zelda, mas quero ver outras franquias resgatadas e espero um console minimamente poderoso. A Nintendo precisa aprender a se adaptar aos tempos modernos e ser menos arrogante com aquele Reggie Fils-Aime que é BEM prepotente. Com um serviço online robusto, sistema de conquistas, sem essa palhaçada de friend codes. Tomara que, ao menos, o mercado dê uma sacudida...

Fábio Jordão, redator

Eu não espero nada além do que já foi apresentado. O Switch parece ser apenas um portátil que poderá rodar jogos com alguma melhoria gráfica em seu dock. O hardware que saiu nos rumores até agora é bem fraco para minhas expectativas, então não sei se pretendo apostar minhas fichas no Switch.

Gosto muito dos consoles da Nintendo, inclusive apostei no Wii e Wii U, mas essa pegada portátil não é muito a minha praia. Espero de verdade ver potencial no produto, com muito mais do que apenas uma telinha e algumas inovações na jogabilidade. A Big N já tentou várias dessas inovações e nem sempre deu certo.

Em questão de jogos, a Nintendo prometeu mundos e fundos, incluindo títulos de terceiros, mas tenho os dois pés atrás quanto a toda essa falácia. Isso já aconteceu previamente e não sei se vai ser diferente agora. Torço de verdade para que não seja apenas mais um console com Mario, Pokémon e afins — até porque já deu né?! A Nintendo tem que se reinventar. Essa é a hora e espero grandes novidades.

Todos os detalhes que você espera do Switch serão revelados em menos de 24 horas

Lorena Estevam, de Social Media

Acredito que o Switch pode ser a chance de um novo relacionamento entre a Nintendo e as crianças. Não da mesma forma que o Super Nintendo (óbvio), mas pode chegar próximo, afinal ser um console de mesa e portátil é a cara da nova geração de "minigamers".

Felipe Valente, redator

A Nintendo tem muito a responder para fazer uma apresentação convincente. Mais do que a linha de jogos de lançamento, me interessam aspectos como a rede online do console e o funcionamento de seu sistema operacional — a implementação de um sistema que finalmente não me obrigue a recomprar o mesmo jogo várias vezes seria genial.

Acredito que é a atenção a esse tipo de detalhe que deve ajudar a definir o sucesso da apresentação, especialmente se a companhia mantiver sua filosofia de não apostar em hardwares top de linha. Afinal, de nada adianta ter jogos geniais caso a plataforma ofereça uma experiência de uso ruim a seus usuários.

Vinícius Munhoz, redator

Creio que o Switch não deve fazer feio na apresentação, mas confesso que o hardware mobile me deixa preocupado. Caso o poder de fogo esteja muito próximo ao do Wii U, o pulo de geração será pequeno demais e limitará as possibilidades do console. No melhor cenário possível, espero ver uma máquina que faça bonito e com uma boa seleção de jogos no lançamento; no pior, creio que possamos receber um aparelho defasado e sem grandes títulos de estreia, criando um começo turbulento. Particularmente, torço para que as previsões pessimistas estejam erradas e rezo para ver um novo Mario Galaxy e um Metroid Prime.

Danilo Boros, editor de vídeos

Confesso que fiquei muito decepcionado com o Wii U, seja pela falta de jogos que me empolgassem (entenda-se a falta de um novo F-Zero) ou também pela triste saída da Nintendo oficialmente do Brasil. O que eu espero do Switch? Não só dele, bem como da “nova Nintendo” sob comando do Kimishima: mais ouvidos aos fãs e à imprensa especializada, menos arrogância por parte da Nintendo, e principalmente, um novo F-Zero (na verdade o que eu mais quero, rs).

Marcelo Rodrigues, redator

Apesar de as pessoas subestimarem a Nintendo, acredito que uma empresa centenária acaba tendo uma visão bem interessante do mercado e com um conhecimento bem superior ao de meros mortais. Sendo assim, tenho uma boa expectativa sobre o evento de apresentação do Switch, provavelmente com a Big N realmente mostrando a capacidade do console e que fatia do mercado ela quer abocanhar com o seu novo filhote.

Pessoalmente, espero que a empresa emplaque uma boa lista de títulos para acompanhar o lançamento do video game, entre jogos que todo mundo espera – de Mario a Zelda e de Metroid a Star Fox – e algumas boas surpresas. Afinal, quem não gostaria de ver um novo Mega Man ou Mega Man X fazendo história no Switch ou uma reconciliação definitiva com a Square Enix, resultando em um novo episódio das franquias Final Fantasy ou Chrono Trigger, hein?

Mega Man retornando em um novo game no Switch... Isso seria algo fantástico, não?

Erick Sposito, administrador de sistemas

Confesso que no anúncio do Switch eu fiquei muito com o pé atrás. Um hardware que, mais uma vez, parece já começar defasado perto dos outros consoles que temos hoje. Mas, ao mesmo tempo, ainda tenho esperanças de ver um console da Nintendo voltar a reinar e principalmente conto muito com os novos jogos das franquias como Mario, Zelda, Metroid etc., todos sempre apaixonantes e com aquele ar nostálgico que só quem cresceu jogando sabe.

Rafael Farinaccio, redator

Sempre fui um grande fã da Nintendo na época no SNES e do Nintendo 64 e adoro os títulos exclusivos da marca. Acredito que o Switch não se destaque entre os gamers mais hardcore, que têm os concorrentes como seus favoritos pela grande gama de jogos, mas o console deve agradar bastante os "nintendistas" e certamente vai apresentar grandes versões de seus exclusivos. Estou bastante ansioso para ver os novos Super Mario, Mario Kart, Zelda e muito mais. Para mim, são eles que vão fazer a real diferença na hora de decidir se vale a pena levar um Switch para casa.

Leonardo Rocha, redator

A Nintendo costuma ser uma caixinha de surpresas, para o bem ou para o mal, mas dessa vez eu torço para eles mostrarem o Switch funcionando para valer com poder de fogo digno da geração atual, tanto no modo mobile quanto no fixo. Fora isso, espero ver third parties de peso e, quem sabe, exclusivos com uma temática mais adulta do que Mario – os jogos dele marcaram minha infância e me dão nostalgia até hoje, mas não me motivariam a comprar um console.

...

E você, concorda com alguém da equipe do TecMundo? Tem uma ideia diferente? Deixe a sua opinião no espaço destinado aos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: