Parece que o pagamento através do NFC finalmente vai começar a se popularizar entre os consumidores. E quem deu um passo importante para a difusão dessa tecnologia foi o Banco do Brasil que, desde a semana passada, começou a ter suporte a compras em lojas físicas por meio de smartphones.

Por enquanto, a novidade está disponível apenas para smartphones equipados com Android, mas deve se estender ao Windows Phone em breve. Além disso, o recurso é válido para operações de crédito e débito, uma vez que se baseia no uso de “cartões virtuais”.

Banco do Brasil passa a oferecer pagamento através do NFC.

Como vai funcionar?

O sistema implementado pelo Banco do Brasil vai funcionar de forma diferente de outros países que usam a tecnologia. Em alguns lugares onde pagamentos através do NFC são aceitos, créditos de celulares são usados para a quitação da dívida.

Por meio de cartões virtuais atrelados ao cartão físico, os usuários poderão usar o aplicativo Ourocard-e – disponível apenas para Android – para fazer compras e pagar contas. O correntista pode ainda criar quantos cartões virtuais desejar, todos vinculados a um cartão de plástico, mas sem a cobrança de anuidade.

Como funciona o pagamento através do NFC?

Pioneirismo no Brasil e no mundo

Segundo o vice-presidente de Negócios de Varejo do Banco do Brasil, Raul Moreira, “essa é uma tecnologia pioneira em todo o mundo”. Desde o ano passado, a instituição oferece cartões virtuais para compras online, mas apenas agora a funcionalidade chega para negociações em lojas físicas.

O vencimento da fatura, os benefícios e os atributos dos cartões virtuais respeitam as regras aplicadas ao cartão principal do correntista. Para realizar um pagamento através do NFC, o cliente só precisa abrir o aplicativo do banco, escolher o cartão virtual e a forma de pagamento (débito ou crédito) e aproximar o smartphone da máquina. Compras abaixo de R$ 50 dispensam a necessidade de senha.

Tecnologia suporta transações com crédito e débito.

Segurança

Segundo Moreira, o suporte ao pagamento através do NFC não oferece risco de clonagem. Durante a transação, o sistema emite para a máquina uma chave de segurança que elimina qualquer possibilidade de captura do número do cartão do cliente.

“A segurança é a mesma dos chips instalados nos cartões de plástico. Para o lojista, a tecnologia NFC reduz as filas nos caixas porque as transações são mais rápidas que no sistema tradicional”, explica o vice-presidente. No caso de roubo ou extravio do smartphone, o usuário deve seguir os mesmos procedimentos para bloqueio do aparelho. A utilização de uma senha para desbloqueio pode minimizar a chance de haver o uso indevido da conta do correntista.

Pagamento com o NFC.

Só Android? Por enquanto...

“Decidimos dar prioridade ao Android, que responde por 80% do mercado brasileiro de smartphones. A utilização da ferramenta nos iPhones exige a definição de que solução a Apple pretende adotar para o NFC”, conta Moreira sobre a estratégia de entregar a funcionalidade apenas para o sistema operacional da Google.

Entretanto, o vice-presidente afirma que a instituição pretende estender a tecnologia para iOS e Windows Phone. No caso do Android, é preciso ter um smartphone com suporte ao NFC, Android 4.4.2 (KitKat) e acesso à internet móvel ou WiFi.

Só no Android? Por enquanto...

Aprovado

A novidade já está disponível e podendo ser testada por clientes com cartões Ourocard Visa. Em maio, o Banco do Brasil espera entregar esse recurso para os cartões Elo. Há uma semana usando os cartões virtuais no smartphone, o engenheiro Guilherme Rodrigues, 31 anos, aprova a iniciativa.

“Além de agilizar o pagamento, acho mais seguro que o cartão tradicional porque o risco de clonagem é menor”. Ainda segundo ele, a maior dificuldade encontrada até agora são os lojistas que não sabem usar o NFC. “É uma questão temporária, que vai ser resolvida quando os comerciantes se habituarem ao sistema”.

.....

E aí, já testou essa novidade? Conte para nós as suas impressões!

Cupons de desconto TecMundo: