Recentemente, a Google anunciou seu primeiro tablet. O aparelho compacto chamou a atenção por se tratar de um modelo que vem para competir com o Kindle Fire. Pois é, a simplicidade do aparelho não o coloca na briga com o Galaxy Tab e o iPad de 3ª geração, mas isso não quer dizer que ele não tem poder de fogo suficiente para competir com os grandes.

O Nexus 7 chegou à redação do Tecmundo e, como de costume, destrinchamos o aparelho para compartilhar com você tudo o que ele tem a oferecer. Descubra agora se o tablet com Jelly Bean é tão bom quanto foi prometido. Confira as especificações do aparelho:

  • CPU: NVIDIA Tegra 3 Quad-core 1,3 GHz ARM Cortex-A9
  • GPU: GeForce ULP
  • Memória RAM: 1 GB
  • Sistema Operacional: Android 4.1 (Jelly Bean)
  • Memória interna: 8/16 GB
  • Tamanho da tela: 7 polegadas (800x1280 pixels)
  • Câmera: Apenas frontal (1,2 MP)
  • Som: Alto-falantes e conector de fones de 3,5 mm
  • Conectividade: Wi-Fi 802.11b/g/n, Bluetooth, NFC
  • 3G: Não possui
  • Bateria: Li-Ion 4325 mAh
  • Autonomia da bateria: Até 10 horas
  • Peso: 340 g
  • Dimensões (A x L x E): 19,8 x 12 x 1,05 cm

Aprovado

A elegância do pequeno competidor

A primeira impressão é a que fica e, no caso do Nexus 7, a exploração de reconhecimento é fantástica. Apesar de ser complicado retirar o aparelho da caixa, o visual da embalagem e do dispositivo chamam a atenção. O aparelho é leve, confortável, bem acabado e dá a sensação de resistência com a parte de trás emborrachada.

O Nexus 7 é compacto e pode ser utilizado com uma única mão. Se comparado com outros tablets, o dispositivo da Google parece bem pequeno. No entanto, essa característica não o torna inferior. Muito pelo contrário, a tela de 7 polegadas oferece espaço suficiente para navegar, ler e até jogar.

Pronto para jogos

O hardware é mais poderoso do que você imagina. O Nexus 7 traz em seu interior um chip de processamento NVIDIA Tegra 3 T30L. Este componente combina quatro núcleos Cortex A9 que trabalham na frequência de 1,3 GHz com um chip gráfico GeForce ULP. Na prática, este tablet é capaz de encarar os games mais recentes com configurações gráficas elevadas.

Em nossos testes, o Nexus 7 apresentou excelente desempenho nos aplicativos de benchmark. Conseguimos executar jogos como Asphalt 7: Heat, Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge e The Amazing Spider-Man. Títulos mais simples, como Fruit Ninja e Where’s My Perry, não devem representar grandes desafios para o tablet da Google. Confira alguns resultados:

Ampliar (Fonte da imagem: Tecmundo)

Ampliar (Fonte da imagem: Tecmundo)

Ampliar (Fonte da imagem: Tecmundo)

Falando em jogatina, surge a dúvida quanto à autonomia da bateria. Bom, nesse quesito, o dispositivo fabricado pela ASUS dá show! Para navegação, o Nexus 7 aguentou pouco mais de 8 horas com a intensidade de brilho no máximo. Ao executar jogos 3D, o dispositivo conseguiu aproveitar a carga por quase 4 horas.

É interessante notar que, mesmo ao usar o tablet por algumas horas consecutivas, o aparelho aquece pouco. Aliás, essa é a impressão que tivemos ao segurar o aparelho, mas é preciso considerar que o material de revestimento não transmite tanto calor como outros metais.

O charme do Jelly Bean e do preço baixo

Por se tratar de um dispositivo oficial da Google, o Nexus 7 já vem equipado com o Android Jelly Bean. A versão 4.1 do sistema funciona muito bem no tablet e apresenta respostas instantâneas para quaisquer tipos de atividade. Em nossos testes, não presenciamos travamentos. É bom salientar que o aparelho receberá as futuras atualizações do sistema.

Ampliar (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Ampliar (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O Jelly Bean do Nexus 7 já vem com os principais apps da Google, incluindo o YouTube, o Google+, os apps da Google Play (como o software de Biblioteca) e o navegador Chrome. O browser-padrão do Android foi removido. Não há nada do que reclamar do sistema, pois ele é o mesmo que testamos no Galaxy X.

O Google Nexus 7 está disponível em versões de 8 e 16 GB que custam 199 e 249 dólares, respectivamente, ou seja, a Google quer acabar com a popularidade do Kindle Fire e desbancar gigantes que são comercializados na faixa dos 500 dólares.

Reprovado

Onde posso armazenar meus games?

O tablet da Google consegue combinar diversas características por um preço baixo, mas a capacidade de armazenamento deixa a desejar. A versão com mais espaço não deve ocasionar grandes problemas, mas o modelo com 8 GB mal comporta vídeos de alta definição e alguns poucos jogos.

(Fonte da imagem: Divulgação/Google)

Em nossa análise, tivemos que instalar apenas dois jogos, pois o aparelho não comportou um terceiro de grande porte. Considerando que alguns games mais recentes ocupam quase 2 GB, o espaço pode acabar rapidamente.

Além disso, é importante notar que o Nexus 7 desagrada por não trazer um slot para cartão SD. Parte do problema pode ser a falta de espaço físico para a instalação do leitor de cartão, porém desconfiamos que a ausência do componente é parte da ideia da Google em manter tudo na nuvem.

O brilho ofuscado em pequenos detalhes

Apesar de trazer um display de alta definição, o Nexus 7 conta com baixos níveis de brilho, tem contraste reduzido e cores apagadas. Podemos dizer que a qualidade da tela não é a melhor para a reprodução de vídeos e jogos. Usar o tablet em ambientes externos é quase impossível. Felizmente, para a leitura, este gadget faz bonito.

(Fonte da imagem: Divulgação/Google)

Ao comparar a tela do Nexus 7 com a do Galaxy X, notamos que há uma grande discrepância. No smartphone, as imagens ficam mais nítidas e é possível conferir todos os detalhes em vídeos de alta definição. Existe também alteração na tonalidade das cores, sendo que o celular da Google parece reproduzir as imagens com mais fidelidade.

O tablet da Google é focado na simplicidade, por isso ele não traz uma câmera de alta qualidade na parte traseira. Pode não ser um defeito grave, mas, considerando as características de outros aparelhos, um dispositivo de captura seria interessante. Felizmente, o Nexus 7 conta com uma lente frontal para videochamadas, a qual funcionou muito bem.

Faltou potência

Além dos pequenos inconvenientes já citados, o tablet fabricado pela ASUS não é muito rápido na hora de recarregar a bateria. Ele tem capacidade de carregar por USB, porém esse procedimento pode levar mais de seis horas. Na tomada, o aparelho carrega em cerca de três ou quatro horas.

(Fonte da imagem: Divulgação/ASUS)

Por falar em potência, o tablet da Google deixa muito a desejar na reprodução de áudio. O nível de volume é muito baixo, sendo inviável aproveitar os conteúdos sem o uso de fones de ouvido. Por fim, devemos relatar que o Nexus 7 apresentou alguns probleminhas durante a execução de games.

Apesar de suportar os jogos mais recentes, o tablet não conseguiu executar Batman e Spiderman com perfeição. Em alguns momentos, pudemos notar pequenos travamentos e certo atraso no carregamento das texturas. Não é nada sério, mas um alerta sobre o problema é importante!

Vale a pena

Com tantos pontos negativos, você deve estar pensando que tivemos uma péssima experiência com o Nexus 7. Na verdade, a história é bem diferente. O tablet da Google nos agradou de quase todas as maneiras, aliás, para falar a verdade, ele é um dos mais incríveis aparelhos que já testamos.

(Fonte da imagem: Divulgação/Google)

Ele pode não seguir o padrão de beleza do Galaxy X e não ser o tablet mais bonito da atualidade, mas, com certeza, ele tem atrativos de sobra para conquistar qualquer um. E, considerando o preço sugerido, não há aparelho que ofereça desempenho similar.

Não há dúvidas. A compra de um ASUS Google Nexus 7 vale muito a pena!