O Netflix é o maior serviço de streaming de filmes e séries da atualidade, tendo conquistado muitos consumidores por causa de seus preços baixos. Mas o CEO da empresa acaba de afirmar à imprensa internacional que há alguns reajustes sendo programados para os próximos anos, sendo maiores do que os tradicionais ajustes de inflação vistos por todos nos últimos anos.

Reed Hastings (o CEO do Netflix) afirma que os aumentos devem ser gradativos, não acontecendo “da noite para o dia”. Sendo que “durante a próxima década, pensamos que estaremos mais aptos para a inserção de novos conteúdos e também para ter mais valor sobre os materiais, podendo aplicar preços mais apropriados”. E é claro que tudo isso gera mais custos para a empresa.

Mais do que isso, Hastings informou para o The Guardian que a empresa planeja gastar US$ 5 bilhões na produção de conteúdos originais durante 2016 — o que deve incluir os gastos de produção de algumas das principais séries disponíveis atualmente: “Orange is the New Black”, “Sense8”, “Unbreakable Kimmy Schmidt” e “O Demolidor”. Essa expansão também explicaria os custos e os aumentos.

Vale lembrar que o Netflix possui mais de 65 milhões de usuários cadastrados — sendo que 42 milhões deles estão nos Estados Unidos. No último ano o valor das ações da empresa aumentaram em 100% e isso mostra que ela ainda possui muita força para crescer. Será que os aumentos de preço vão manter a companhia com toda essa força?

Até quanto você pagaria pela assinatura do Netflix? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: