O atual esquema de navegação do Netflix, que ganha conteúdo regularmente, se resume a passar por infinitas grades e listas até você achar aquilo a que deseja assistir. Não que isso seja ruim, mas, às vezes, as rolagens horizontais e verticais são tão intermináveis que é relativamente fácil se perder na seleção e acabar não vendo nada. Mas isso deve mudar em breve, de acordo com Neil Hunt, produtor-chefe do serviço de streaming.

De acordo com o executivo, o sistema vai evoluir seu atual esquema de navegação e deve trabalhar com recomendações personalizadas “de luxo”. “Nossa visão é a seguinte: você não vai ver uma grade e um mar de títulos”, sugeriu o executivo em keynote realizado na Internet Week, em Nova York.

A ideia é trazer aos usuários recomendações altamente personalizadas com base no conteúdo consumido por eles. O sistema atual já traz isso, mas de forma “rasa”, analisa o executivo, que também disse que é “não realista” acreditar que alguém ligue o Netflix e simplesmente veja as escolhas perfeitas dispostas na tela – afinal de contas, nossos gostos variam e nem sempre queremos consumir o mesmo tipo de conteúdo. Apresentar aos usuários “três ou quatro escolhas [altamente personalizadas]”, no entanto, é uma “possibilidade poderosa”.

Crescimento do Netflix: hoje, concorrente da HBO

Em palavras audaciosas numa alusão à HBO, Hunt sugeriu que, no futuro, “não haverá mais canais”, mas sim serviços de internet sob demanda. Isso, na visão do executivo, iria “construir um canal diferente para todos”. “As companhias de TV da internet estão experimentando diferentes modelos de negócios e descobrindo que o esquema livre de publicidade parece ser bastante popular entre os consumidores”, acrescentou. Ele enxerga que as empresas devem “achar um lugar diferente para colocar os anúncios”.

O número de adeptos do Netflix cresce em velocidade exponencial e, hoje, o serviço conta com um forte catálogo exclusivo. “Não há programas ruins, e sim aqueles que têm públicos menores e devotos, conteúdos que são específicos”, opinou.

As declarações de Hunt são providenciais para o atual momento pelo qual o Netflix passa. O serviço conta com uma seleção considerável de conteúdo exclusivo, incluindo séries de sucesso como “House of Cards”, “Arrested Development”, “Orange is the New Black”, entre outras, além de documentários elaborados especialmente aos assinantes.

A mudança de interface, portanto, é mais do que bem-vinda. E você, acha que está na hora dessa reformulação no visual do Netflix?

Cupons de desconto TecMundo: