Quem acompanhou a Netflix desde seu início provavelmente sabe que ela teve que se adaptar e modificar um bocado para ser o sucesso que é hoje. Se antes os funcionários da empresa tinham que enviar envelopes de filmes e séries por correio, para só então chegarem ao streaming que tanto apreciamos hoje, muitos devem se perguntar: qual é o futuro que o serviço vê para o entretenimento? Aparentemente, a resposta está em drogas.

Não, nós não escrevemos errado. As palavras vieram de ninguém menos do que Reed Hastings, o CEO da Netflix, em uma entrevista ao The Wall Street Journal, quando questionado sobre possíveis futuros para o mercado de entretenimento. Listado, inclusive, ao lado de sugestões como os games e a realidade virtual.

Obviamente, o comentário sobre usar “drogas de entretenimento” foi apenas uma piada, que gerou muitas risadas durante a conversa. “Em 20 ou 50 anos, é perfeitamente viável que você pegue uma pílula azul personalizada, simplesmente alucine de uma maneira divertida, e então uma pílula branca te traga de volta à normalidade”, brincou ele, expandindo o conceito. “Se a fonte de entretenimento humano em 30 ou 40 anos for farmacológica, nós teremos grandes problemas”, continuou Hastings.

Mesmo assim, não há como negar que muitos vão ficar no mínimo “curiosos” com essa possibilidade, por mais maluca que ela seja.

Cupons de desconto TecMundo: