O presidente de conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, participou nessa terça-feira de uma conferência sobre a indústria televisiva em Londres e revelou dados, informações e curiosidades sobre a maior plataforma de streaming do mundo.

Sarandos comentou um pouco sobre a expansão do serviço em escala global, que já está presente em 190 países e tem obtido sucesso mesmo em regiões que não são familiarizadas com a língua inglesa.

Este ano, a companhia investiu na tradução de conteúdos para as línguas turca e polonesa para melhorar seus serviços nesses países, e já está de olho no crescimento de sua audiência em mercados importantes que não têm o inglês como parte de sua cultura.

O executivo disse que tem interesse em lançar o serviço na China, o mercado mais populoso do mundo, mas enfrenta não apenas a questão da língua, como também a barreira da censura regional que dificulta a disponibilização de conteúdos.

Como sabemos, a Netflix traz em seu catálogo um grande acervo de produções americanas, que precisariam ser aprovadas pelo rígido comitê regulador chinês antes de serem oferecidas pela plataforma digital.

Ainda falando sobre a disponibilização de conteúdos em escala global, Sarandos comentou que, em média, as produções americanas correspondem a 80% de toda a oferta de programas no streaming mundialmente – enquanto os outros 20% ficam com as produções regionais de cada país.

Conteúdos de língua inglesa “viajam muito bem”, disse Sarandos sobre a aceitação mundial, em geral, de produtos americanos.

O executivo resaltou, no entanto, que em países da Ásia, como o Japão, o interesse por produtos locais é maior. Devido a essa procura, 70% da oferta de conteúdo na plataforma nesses países são de produção regional.

Apesar de ser um produto originalmente americano, a Netflix está antenada na diversificação de seus conteúdos e preocupada em atender as diferentes culturas.

Via Minha Série.

Cupons de desconto TecMundo: