(Fonte da imagem: Reprodução/TheVerge)

Talvez você não saiba disso, mas acontece que a NASA encerrou as atividades do programa Space Shuttle em 2011 — e era por meio desse sistema que ela enviava os seus astronautas para missões no espaço, sendo a Estação Espacial Internacional um destino bastante visado. Por conta disso, os Estados Unidos precisam “emprestar” dependências de outros países para executar os seus planos.

Contudo, a Boeing — sim, aquela companhia que anda tendo problema com os seus aviões — criou uma nova cápsula que pode ser a solução da NASA. Chamada simplesmente de CST-100, o projeto consiste em uma nave parecida com os modelos Apollo e está sendo planejada e produzida há vários anos pela empresa.

Contudo, o protótipo do CST-100 foi apresentado à NASA e ao público apenas nesta segunda-feira (22). Dois astronautas, chamados Randy Bresnik e Serena Aunon, avaliaram a parte de mobilidade dentro da cápsula, enquanto engenheiros monitoraram a tecnologia e todo o projeto da nave. E, como já era de se esperar, algumas alterações vão ser necessárias, sendo que o primeiro teste deve ficar somente para 2016 ou 2017.

Não, não tem nada de velho por lá...

(Fonte da imagem: Reprodução/InovacaoTecnologica)

Apesar de ser parecido com as naves Apollo, o projeto da Boeing limita essa semelhança à parte externa da cápsula. O interior está repleto de materiais de última ponta, como tablets — não foi divulgada a marca ou o modelo dos aparelhos escolhidos — para economizar espaço.

Além disso, os responsáveis pelo projeto têm o objetivo de fazer com que a utilização da cápsula seja bem intuitiva e não demande muito tempo de treino. Outro destaque é o fato de que a estrutura é produzida sem soldas e com uma proteção térmica muito eficiente, resultando em uma nave mais leve e que pode ser feita em menos tempo.

Quando pronta, a CST-100 pode transportar até sete astronautas de uma vez só ou cinco deles com carga. E aí, depois de ler tudo isso, você acredita que a Boeing conseguiu acertar a mão ou pensa que a NASA vai acabar percebendo que os problemas com os aviões podem acontecer também com a cápsula?