(Fonte da imagem: Reprodução/Bezosexpedition)

No começo deste ano, o CEO da Amazon e amante de assuntos relacionados a foguetes, Jeff Bezos, encontrou objetos no fundo do oceano Atlântico — tarefa que não foi fácil, já que ele e sua equipe estavam a mais de 4 mil metros de profundidade. No entanto, o mais incrível dessa história toda é o fato de que os achados poderiam ser partes da Apollo 11, nave que ajudou a construir a tecnologia para que o homem pisasse na Lua.

Contudo, o artefato não havia sido investigado até esta semana, de modo que não havia como confirmar a procedência e a veracidade do objeto. Depois de algumas análises, Bezos confirmou que ele encontrou o quinto motor da Apollo 11 — façanha incrível se você considerar o tamanho do oceano Atlântico e a idade dessas peças.

Tudo em uma data importante

Para comprovar a “identidade” do seu achado, Bezos e sua equipe escanearam partes do motor com filtros especiais e luz negra, conseguindo encontrar o número de série 2044, que corresponde ao número 6044, usado no motor de origem da NASA. Em um trabalho secundário, no qual limo e ferrugem foram retirados, as marcações apareceram, feitas com tinta preta.

Além de tudo isso, no blog voltado para as suas expedições, o CEO da Amazon lembrou que hoje — sexta-feira (19) — são comemorados os 44 anos do dia em que Neil Armstrong pisou na Lua, resultando em uma coincidência (ou não) bastante inusitada. Bacana, não é mesmo?