Uma das falsas missões externas dos astronautas. (Fonte da imagem: ESA)

Um grupo de seis astronautas completou uma importante missão espacial para a Agência Espacial Europeia (ESA): passar 520 dias viajando em uma nave espacial em direção ao planeta Marte. Mas calma: a exploração do Planeta Vermelho ainda não começou. Trata-se apenas de uma simulação para avaliar a condição psicológica de uma equipe confinada por tanto tempo em um mesmo lugar.

A pesquisa é parte do projeto Mars500, que custou R$ 36 milhões e vai estudar se uma tripulação pode se manter saudável após as viagens de ida e volta ao planeta vizinho, que durariam os tais 520 dias. Mas não se anime, pois tais expedições não devem acontecer antes de 2030, segundo um funcionário da agência espacial.

Dentro da nave, a tripulação tomava banho uma vez por semana, ingeria apenas comida enlatada e comunicava-se com a “central espacial” com atraso, dependendo de sua falsa localização longe da Terra. Algumas missões simuladas na superfície de Marte também foram feitas durante a experiência.

O foguete falso ficava em um estacionamento em Moscou. Segundo o Arstechnica, a cápsula foi aberta na tarde desta sexta-feira (04) e todos os astronautas pareceram saudáveis, apesar de pálidos, mas precisarão descansar por três dias em uma câmara pressurizada, para evitar o risco de infecções, e ser avaliados pelos psicólogos da ESA.