A sonda Cassini faz nesta quarta-feira, 28, um voo rasante em uma das luas de Saturno que mais intriga os cientistas. A viagem servirá para investigar se o oceano do satélite Enceladus pode abrigar formas de vida. A passagem foi feita a uma velocidade de 30,6 mil km/h e a uma distância de 49 quilômetros, o voo mais perto da lua já feito. Durante a passagem, apenas uma gota d'água será recolhida.

O objetivo da missão é encontrar mais informações sobre o oceano que a lua tem em seu subterrâneo. O local poderia ser propício para o desenvolvimento de formas simples de vida. O voo da sonda foi planejado em uma baixa altitude para que ela tenha acesso a moléculas maiores e pesadas - como o hidrogênio. O objetivo é passar próximo dos jatos d'água emitidos no polo sul do satélite.

"Isso é um grande passo em uma nova era na exploração de mundos oceânicos no nosso Sistema Solar com potencial para oferecer oásis para a vida", disse Curt Niebur, membro da missão. Segundo a Nasa, o objetivo não é buscar formas de vida, mas descobrir o quão habitável é o oceano local.

O norte de Enceladus é coberto por crateras de impacto, como é comum em luas formadas por uma superfície de gelo. Já na região sul, os impactos são mais raros e o terreno é fraturado. Enceladus é uma das 62 luas de Saturno. Construída em uma parceria entre Nasa, Agência Espacial Europeia e a Agência Espacial Italiana, a Cassini está orbitando Saturno desde 2004. A sonda saiu no planeta Terra em 1997 e busca informações sobre Saturno, seus anéis e campo magnético.

São Paulo

Cupons de desconto TecMundo: