(Fonte da imagem: Reprodução/Venture Beat)

A agência espacial norte-americana realizou o primeiro teste de resistência para um componente do motor de foguetes criado a partir de uma impressora 3D. O injetor, uma das peças mais caras e de maior tempo de fabricação, foi criada pela técnica aditiva e passou nas simulações de condições de uso.

O resultado amplia a perspectiva de uso da tecnologia de impressão 3D. “A NASA reconhece que tanto na Terra quanto no espaço a fabricação aditiva pode revolucionar a maneira de ver as próximas missões, reduzindo o tempo e o custo de produção de peças e até mesmo de espaçonaves inteiras, através da impressão 3D”, disse um dos administradores da agência, Michael Gazarik.

Espaçonave impressa em 3D

O tempo de fabricação de um injetor de motor de foguetes, pelo processo tradicional, é de mais de um ano, mas pelo novo processo a produção pode levar apenas quatro meses e ainda reduzir os custos em até 70%.

A NASA não planeja utilizar componentes criados por impressoras 3D em seus foguetes espaciais antes de 2017, mas o sucesso do caso abre a possibilidade de astronautas utilizarem a técnica de fabricação aditiva no espaço, imprimindo suas próprias peças e ferramentas. A impressão 3D pode solucionar muitas questões enfrentadas no espaço, especialmente em termos de equipamentos e materiais dentro das espaçonaves.

Cupons de desconto TecMundo: