Concepção artística do GALEX (Fonte da imagem: Wikimedia Commons)

De acordo com as informações do site SpaceFlight Now, a NASA cortou a verba destinada às operações do Galaxy Evolution Explorer (GALEX), um telescópio espacial ultravioleta que orbita nosso planeta. O motivo é que a agência está cortando gastos devido à oferta limitada de financiamento, e o satélite foi considerado como de menor prioridade por astrônomos seniores da Agência Espacial Americana.

O telescópio ainda funciona a pleno vapor e já completou 80% de sua pesquisa, mas ele ficou posicionado em oitavo numa lista de 11 missões atualmente em operação, e esta baixa colocação significa que a NASA não pode mais sustentá-lo.

Dessa maneira, o GALEX está em “modo de espera” desde o dia sete de fevereiro. Segundo o site DVICE, esses cortes de gastos estão acontecendo porque as tecnologias que a NASA desenvolve acabam durando muito mais tempo do que era programado (o que é algo bom), mas falta dinheiro para continuar mantendo seus funcionamentos.

Transferência de propriedade

De acordo com funcionários da NASA, a agência está em negociações com o Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) para que ele assuma a propriedade do telescópio e continue a pesquisa sobre o cosmos.

Isso só será possível por causa de uma lei americana que permite a transferência de equipamentos do governo para instituições de ensino e organizações não governamentais. De acordo com um executivo da NASA, a agência não pode aceitar o financiamento externo para estender suas missões.

Existe um plano B: se a Caltech não aceitar a tarefa, a NASA pretende desmontar o telescópio, o que seria um enorme desperdício de dinheiro, depois de tanto trabalho para construí-lo e colocá-lo em órbita.

Cupons de desconto TecMundo: