Nanopilares

Fonte da imagem: UC Berkeley News Center

Cientistas da Universidade de Berkeley, na Califórnia,  estão tentando mudar a maneira que se transmite dados em um dispositivo eletrônico. Em vez das já conhecidas conexões físicas, os estudiosos estão usando o nanolaser, aumentado diretamente em um campo de silício.

A intenção é fazer com que estes “obeliscos” transmitam luz com os dados dentro do computador. Entretanto, até agora não se encontrou uma maneira de gerar essa luz sem que ela seja pequena o suficiente para passar o conteúdo e, ao mesmo tempo, não danificar os componentes.

Os nanopilares de arsenieto de índio e gálio (InGaAs) podem resolver o problema, uma vez que crescem e se integram com o silício sem aumentar demais a temperatura. Uma vez em sintonia, eles devem emitir uma luz de até 950 nm, conforme visto no vídeo.

Isso deve abrir a porta para uma nova geração de processadores, aumentando a velocidade ao reduzir o tempo gasto para transmitir as informações.  Os processadores são apenas um uso para a tecnologia, que pode ser também adaptada, por exemplo, para sensores bioquímicos.

Estrutura molecular dos nanopilares

Fonte da imagem: UC Berkeley News Center

As informações sobre a pesquisa foram publicadas na revista "Nature Photonics" e você pode ler mais informações (em inglês) diretamente no site da universidade, clicando aqui.

Cupons de desconto TecMundo: