(Fonte da imagem: Reprodução/MIT News)

Cientistas do Laboratório de Tecnologias em Microssistemas do MIT criaram o menor chip já produzido com outro material que não seja o silício. Usando um material conhecido como arsenato de gálio, os pesquisadores desenvolveram um dispositivo com tamanho de 22 nanômetros — o equivalente a nove filamentos de DNA humano.

A esperança dos envolvidos no projeto é ter encontrado um substituto para o silício usado na fabricação de componentes eletrônicos, cuja eficiência e velocidade diminuem conforme seus tamanhos são reduzidos — algo que põe em risco as previsões da Lei de Moore. Segundo Jesús del Alamo, codesenvolvedor da iniciativa, já estão sendo estudados métodos de aumentar a performance elétrica e a velocidade geral do processador criado com o material alternativo.

Caso essa etapa seja bem-sucedida, em seguida os pesquisadores vão tentar diminuir o componente a um tamanho inferior a 10 nanômetros. A expectativa é que o objetivo só seja alcançado em algum momento de 2018, sem que haja qualquer previsão de quando os novos chips devem começar a ser vendidos em escala comercial.

Cupons de desconto TecMundo: