Car Tech: películas antirriscos

4 min de leitura
Imagem de: Car Tech: películas antirriscos
Avatar do autor

Gatos gostam de deitar sobre capôs de automóveis para se esquentarem, “vizinhos” da sua vaga no estacionamento podem não gostar de bater na porta do seu carro, mas infelizmente o fazem quando saem do próprio automóvel... Existem várias situações do cotidiano que podem fazer com que o seu nervosismo atinja níveis alarmantes, devido a riscos na pintura do seu carro. Não que alguém vá morrer por causa disso, mas a dor no bolso causada pelo conserto nunca é das mais agradáveis.

Para acabar com o problema dos riscos nos automóveis e, por conseguinte, prevenir gastos com pintura corretiva, foi encontrada uma aliada: a nanotecnologia. Utilizando-a, a indústria automobilística está desenvolvendo uma película protetora que regenera a “pele” do seu carro, fazendo a mágica de sumir com os riscos da pintura. Fantástico? Bruxaria? Mentira? Não! Ciência e nanotecnologia. Se você não sabe o que é isso, experimente visitar o artigo que o Baixaki fez, explicando o que é nanotecnologia.

Somem os riscos, aparece a tecnologia

Cientistas malucos inventaram uma película protetora, que a Nissan batizou de “Scratch Guard Coat” (Película Antirriscos), mas também pode ser referido como “Scratch Shield” (Escudo Contra Riscos). Trata-se de uma resina altamente elástica que, quando aplicada sobre a pintura do automóvel, ajuda a prevenir que os riscos cheguem às camadas mais profundas de tinta. Para ter uma boa ideia do que acontece quando seu carro é riscado, assista ao vídeo abaixo.

Perceba nas comparações, que a pintura comum usada atualmente nos automóveis não possui qualquer tipo de proteção. Ou seja, se o seu gato, cachorro ou papagaio passar as unhas na lataria, ou se você deixar a mala do seu notebook sobre o capô, riscos serão inevitáveis e uma pintura corretiva será necessária. Com a resina desenvolvida pela Nissan, além da pintura, é aplicada uma camada protetora ao carro, fazendo com que uma espécie de colchão de proteção não deixe que nada se aproxime da pintura.

A imagem abaixo (retirada do site da Nissan) o capô de um veículo riscado e como ele ficou após a autorrecuperação que a "Scratch Guard Coat" proporciona. No detalhe, você pode ver duas imagens aumentadas, que mostram mais claramente a incrível recuperação, que "apagou" praticamente toda imperfeição causada pelos riscos.

Exemplo da recuperação da pintura com o Scratch Guard Coat.

Ao invés de ter que esperar pelo próximo salário para poder consertar o “rasgo” na pintura (além de fazer um rasgo no orçamento), com a película protetora, você só terá que aguardar que o “colchão” volte à posição normal, fazendo os riscos sumirem completamente. O tempo que a recuperação leva irá depender de fatores como clima e profundidade do estrago, mas pode variar de um dia a uma semana para que o carro pareça novo, de novo.

Lavar seu veículo em serviços com máquinas automáticas costuma ser um tiro no pé do proprietário, pois juntamente com a lavagem, os aparelhos que entram em contato com a lataria do carro fornecem um bônus: uma família inteira de riscos na pintura. Inclusive, a grande maioria dos riscos causados ao seu automóvel é culpa de lavagens mal feitas, com ou sem máquinas. Com a película protetora, os danos poderão ser reduzidos em 20%, se comparados aos automóveis com pintura comum.

Infográfico

O esquema acima mostra o funcionamento do escudo antirriscos, que é muito similar ao de um colchão. Na parte inferior, você poderá comparar com o comportamento de uma pintura comum, sem o "Scratch Guard Coat". Perceba que a camada de tinta comum é rompida quando riscada. Já a parte coberta com a película protetora sofre somente um "afundamento" e volta ao estado normal devido à sua elasticidade.

Quando sai, quanto custa e quanto dura

O primeiro carro a ser fabricado já com a proteção será um utilitário esportivo da marca, mas não há informação de quando estará amplamente disponível em todos os veículos, nem se a tecnologia será licenciada para outras montadoras. No Japão, estima-se que o comprador que desejar a aplicação da película como acessório de fábrica pagará aproximadamente 400 dólares.

Um dos carros da Nissan que poderá receber a película protetora.

No Brasil, quem quiser proteger o carro com a tecnologia provavelmente terá que desembolsar mais de mil reais, levando-se em consideração a carga tributária a que o produto estará sujeito. Caberá aos compradores brasileiros de automóveis avaliarem se realmente vale a pena comprar a aplicação da proteção, já que o preço no Brasil deverá ser alto e a duração do produto é de aproximadamente três anos.

Sustentabilidade

A nanotecnologia está trazendo grandes benefícios para o setor automotivo, já que permite um estudo abrangente na área de materiais, no sentido de minimizar a utilização de matéria prima e melhorar o rendimento dos materiais utilizados na fabricação de veículos. Os defensores do meio ambiente devem apoiar esse tipo de iniciativa, pois usando menos matéria-prima para produzir uma quantidade maior de materiais beneficiados — além de possibilitar a utilização de novos materiais —  a nanotecnologia ajuda a preservar os recursos do planeta, evitando que eles se esgotem.

Sustentabilidade. Preserve o planeta.

A tecnologia nos automóveis

Ter um carro no Brasil está cada vez mais fácil. Os financiamentos oferecem verdadeiros milagres para que o comprador consiga pagar as prestações do carro dos sonhos. Paralelamente, a tecnologia presente nos carros está cada vez mais avançada, proporcionando maior conforto e segurança, mesmo para veículos mais populares. Agora nos resta esperar para ver quando seremos agraciados com mais esta invenção que resolverá muitos problemas e deixará os donos de automóvel mais tranquilos em relação ao estado da pintura.

Car Tech: películas antirriscos