Em azul, a molécula que gira em um eixo. (Fonte da imagem: BBC News)

Pesquisadores criaram o menor motor elétrico já desenvolvido, que funciona a partir de uma única molécula. É o que afirmam a BBC News e o periódico Nature Nanotechnology. O invento poderá ser aplicado tanto na nanotecnologia quanto na medicina.

Trata-se, simplesmente, de uma das menores máquinas já existentes. No contexto da saúde, pode ser utilizada para aplicação de medicamentos controlados em locais específicos — minusculamente específicos. A equipe de pesquisadores, liderada pelo químico Charles Skyes, já entrou em contato com o Guinnes, o livro dos recordes, para certificar o motor como o menor da história.

Não é o primeiro caso de um minúsculo rotor baseado em uma molécula, mas esse é o primeiro movido por uma corrente elétrica. O problema de criar motores movidos a luz ou por reações químicas é que muitos deles são estimulados, chegando a bilhões. A diferença dessa descoberta é a possibilidade de fixar um único mecanismo, observando o que se passa em tempo real.

A molécula, de sulfeto de butil metil, foi colocada em uma superfície de cobre, onde o único átomo de enxofre funcionou como um eixo. Então foi utilizado um microscópio de varrimento de efeito túnel, cuja ponta tem apenas um ou dois átomos de diâmetro, para carregar o motor e também para registrar imagens enquanto a molécula girava.

De acordo com os pesquisadores, ela girou nos dois sentidos e alcançou 120 rotações por segundo. Sykes afirmou que, ligeiramente modificada, a molécula pode ser usada, para o fim de gerar radiação de micro-ondas ou ainda ser incorporada a sistemas nanoeletromecânicos. Ele também ressaltou que o próximo passo é aplicar a descoberta onde é possível medi-la e então acompanhar a propagação da rotação da cadeia.

Cupons de desconto TecMundo: