O Galaxy Tab 10.1 permite a criação de desenhos bem mais interessante, isso é indiscutível. A primeira coisa que chama a atenção é a ausência de botões físicos de menu, voltar e configurações no aparelho. Todo o controle é feito direto na tela, pelo sistema operacional. O legal disso é o visual do aparelho, que fica mais sofisticado com as bordas lisas. O chato pode ser o fato de perder uma região na tela que seria usada durante a criação de um desenho, por exemplo.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Com Android 4.0

Capturar screenshots também ficou mais fácil: agora existe um simples botão na tela capaz de realizar a tarefa, graças ao Android 4.0. Além disso, a existência de uma espécie de dock, com os widgets na homescreen, também facilita a abertura dos apps.

A organização da opção “Aplicações” também mudou. Ao acessá-la, você encontra um separador entre “Apps” e “Widgets”. A de apps já é conhecida dos usuários de Android. Mas a de “Widgets” fica nova para quem é acostumado com versões Gingerbread. O gerenciamento desses widgets fica bem simplificado e mais bonito, com tudo organizado em listas.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Travou...

O programa S Note, para criação de anotações no Galaxy Tab 10.1, não aguentou alguns minutos de brincadeira e travou durante o tempo em que ficamos mexendo no aparelho (cerca de 10 minutos, pois a procura pelo aparelho é grande). Será que foi um fato isolado ou o desempenho do novo modelo vai apresentar problemas futuros?

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Especificações

As configurações do aparelho continuam praticamente as mesmas, só os megapixels da câmera que diminuíram (passaram de 8MP para 3MP) e o SO mais atual agora está presente:

  • Sistema operacional: Android Ice Cream Sandwich 4.0.3;
  • Processador Dual-core 1.4 GHz;
  • Tela de 10.1" WXGA PLS TFT;
  • Câmera de 3 MP;
  • Gravações de vídeo em 1080p;
  • S Pen precisa e fácil de usar.

 

Cupons de desconto TecMundo: