Primeira apresentação ao vivo da Longplayer

Fonte: Divulgação/Longplayer Trust

Existem bandas que gostam de fazer músicas longas, seja por identidade ou pelo próprio estilo musical. Mas nenhum grupo jamais conseguirá bater o tempo de reprodução da fundação por trás da Longplayer: 1000 anos de duração. O projeto já está em andamento desde 31 de dezembro de 1999 e o plano é encerrar a música apenas no final de 2999, totalizando um milênio de reprodução ininterrupta.

A Longplayer está sendo tocada por um computador e é composta em tempo real, por pessoas ou máquinas, utilizando taças tibetanas. O som pode ser ouvido no Trinity Buoy Wharf, um farol em Londres. Trechos da música também podem ser encontrados em outros lugares do mundo, ou pela internet (Acesse o site e baixe o arquivo de streaming).

Mas afinal, qual o objetivo disso tudo? Segundo o idealizador do projeto, a sua preocupação é a falta de compreensão sobre a fluidez e possibilidade de expansão do tempo, e os problemas em se conseguir representar isso. Dessa forma, a música representaria uma vida artificial de mil anos que terá que buscar processos de sobrevivência ao longo do tempo.

Para manter o som em contínua composição, a Longplayer Trust conta com pessoas que estão encarregadas de buscar soluções para que a música continue a existir mesmo com as mudanças imprevisíveis que possam ocorrer no mundo do futuro. Os resultados só serão conhecidos por uma geração muito distante da dos idealizadores da reprodução. Assista ao vídeo para entender um pouco mais sobre a música quase infinita:

Cupons de desconto TecMundo: