Cada vez mais a vida das pessoas está nas nuvens, e com a música não poderia ser diferente. Muita gente já parou de baixar músicas ou de comprá-las de lojas digitais para ouvir diretamente pela internet, em plataformas da web, aplicativos para desktop ou mesmo pelo celular ou tablet.

Muitos dos principais serviços do mundo ainda não estão oficialmente disponíveis no Brasil, como é o caso do Spotify. Em contrapartida, há alguns bons serviços de streaming que já podem ser assinados (ou mesmo utilizados gratuitamente) aqui do nosso país, podendo ser acessados hoje mesmo por qualquer pessoa.

Nós fizemos um comparativo entre todos eles, e você pode conferir na tabela aí em cima e também no restante do texto, aqui embaixo. Você já utiliza algum serviço do gênero? Não deixe de relatar a sua experiência nos comentários.

Rdio

(Fonte da imagem: Reprodução/Rdio)

Com um acervo de 20 milhões de músicas, o Rdio traz três opções de planos para assinatura: Web, com mensalidade de R$ 8,99 e direito a ouvir tudo pela web ou pelo desktop; Unlimited, que custa R$ 14,90/mês pode ser usado da web, desktop ou celular; e ainda o Plano Família Ilimitado, que por R$ 26,90 ao mês dá o direito a duas assinaturas na categoria Unlimited.

O Rdio funciona até mesmo no exterior e conta com versões para web, desktop (Windows e Mac) e portáteis para as plataformas iOS, Android, Windows Phone e BlackBerry. Se você quiser experimentar, pode fazer isso durante sete dias gratuitamente, escutando tudo o que o serviço oferece sem pagar nada neste período.

Este serviço permite a criação de playlists, sincronização para ouvir as músicas offline em seu portátil e oferece um recurso para você seguir perfis famosos ou de amigos também cadastrados no Rdio, mantendo você antenado em tudo o que eles têm ouvido. Há um ranking com as mais ouvidas, estações de rádio, recomendações com base no que você tem escutado e também uma página especial para lançamentos.

Napster

(Fonte da imagem: Reprodução/Napster)

Velho conhecido de quem baixava música na internet no fim dos anos 1990 e começo dos 2000, o Napster voltou à baila totalmente legalizado. No Brasil, ele chegou por meio de uma parceria com o portal Terra e oferece mais de 22 milhões de canções, mais do que o dobro do catálogo do antigo serviço Terra Sonora.

São ofertados três planos diferentes: Napster Web, para ouvir músicas na web por R$ 8,90 ao mês; Napster Premium, para ouvir de forma ilimitada do PC, celular ou tablet, online e offline, por R$ 14,90 por mês; Terra Música Light, tudo do plano anterior mais Terra Mail de 20 GB, por R$ 19,90 ao mês; e Terra Música, com tudo dos planos anteriores mais suporte telefônico 24h por dia, por R$ 29,90 ao mês.

É possível experimentar o Napster por sete dias gratuitamente e qualquer plano aqui dá direito à escutar suas músicas online e offline. Ele não oferece aplicativo para desktop, mas tem versões portáteis para Android e iOS, além de oferecer recursos para descobrir novos artistas, criar playlists, gerenciar uma coleção de favoritos.

Deezer

(Fonte da imagem: Reprodução/Deezer)

Um serviço que vem ganhando bastante popularidade por aqui é o Deezer, que já foi “rádio online” para desktop e agora se consolida como uma plataforma de transmissão online de música digital. Ele oferece um acervo de 25 milhões de músicas que podem ser ouvidas gratuitamente por seis meses (e, depois disso, por 2h por mês).

São dois planos pagos: Premium, que por R$ 8,90/mês dá o direito a escutar tudo a partir do site; e Premium+, que por R$ 14,90/mês oferece a versão de web e também portátil, além de garantir acesso offline às músicas. O app do Deezer tem versões para iOS, Android, BlackBerry e Windows Phone, além de Xbox e alguns modelos de Smart TV.

O serviço oferece transmissão offline nos portáteis, estações de rádio, ranking com as mais tocadas, lançamentos, recomendações com base no que você tem ouvido, coleção de suas favoritas e listas de reprodução. Isso tudo tanto na web quanto no tablet ou no smartphone.

Grooveshark

(Fonte da imagem: Reprodução/Grooveshark)

Um dos mais famosos da lista, o Grooveshark tem ares de “primo pobre” por não apresentar toda a pompa de serviço oficial que os demais concorrentes têm. Mesmo assim, ele oferece um catálogo com mais de 15 milhões de canções ouvidas por mais de 20 milhões de usuários únicos todos os meses.

Atualmente, ele apresenta apenas um plano pago, o Grooveshark Anywhere, que oferece acesso irrestrito a todo o catálogo na web, bem como por meio de um aplicativo para desktop (Windows e Mac) e portáteis (iOS e Android). Os preços são cobrados em dólar e custam US$ 9 (cerca de R$ 20) por mês ou US$ 90 (cerca de R$ 200) por ano.

As versões portáteis do Grooveshark, porém, sofrem com as ações judiciais movidas contra a plataforma por violação de direitos autorais. Elas foram removidas do iTunes e do Google Play e só podem ser instaladas manualmente em aparelhos, fazendo o download da aplicação no site oficial. De qualquer forma, o Grooveshark oferece transmissão offline, estações de rádio, playlists, recomendações e novidades.

Xbox Music

(Fonte da imagem: Reprodução/Xbox Music)

A última dica de nosso comparativo é o Xbox Music, o serviço de streaming de música da Microsoft. Ele já traz interface web, mas no PC só tem aplicativo para Windows 8 — nos portáteis funciona com Windows Phone, iOS e Android. Além disso, como o nome deixa bem claro, é possível usar o serviço a partir do Xbox 360 e também do Xbox One.

Este serviço oferece avaliação gratuita por 30 dias, e o Music Pass, nome da única modalidade de assinatura do Xbox Music, custa R$ 14,90 por mês ou R$ 149 por ano. Os assinantes têm à sua disposição mais de 30 milhões de músicas, com artistas de várias partes do mundo, inclusive muitos brasileiros.

Loja de músicas, sincronização das canções do PC com a web, listas de reprodução, streaming offline, estações de rádio e recursos para descobrir novos artistas também estão presentes por aqui.

Cupons de desconto TecMundo: