Um maestro consegue fazer música utilizando apenas o movimento das mãos – isso controlando a entonação de uma orquestra inteira. Mas e se fosse possível fazer isso direto de um instrumento? Com tecnologias como a do Kinect, já é possível tirar um som de alguma coisa sem precisar tocar no objeto.

A ideia é do compositor Chris Vik, que decidiu tocar o órgão da Prefeitura de Melbourne, na Austrália, que foi construído em 1929. Juntamente com a cantora Elise Richards, ele escreveu uma peça nova só para desfrutar do instrumento histórico, mesmo a alguns metros de distância dele.

O órgão foi escolhido por ter sido modernizado na década de 1990, recebendo suporte ao formato MIDI e aposentado o processo mecânico que traduzia cada tecla pressionada em um som. Apesar de passar a mensagem digitalmente, o que permite a interação com o Kinect, o som do instrumento continua o mesmo.

Primeiro, o músico precisou desenvolver o Kinectar, um software que combina movimentos de seu corpo com uma nota, acorde ou escala musical. Em seguida, foi necessário coordenar esses movimentos com as possibilidades oferecidas pelo instrumento em questão.

De acordo com o Create Digital Music, esse não é o primeiro projeto de Vik envolvendo o sensor de movimentos da Microsoft, com o qual ele já desenvolveu trabalhos de dança eletrônica – mas ninguém sabe qual será o próximo passo de sua revolução digital na música.

Cupons de desconto TecMundo: