Se você é um amante de tecnologia que, por coincidência, também gosta de motos, esta é uma ótima notícia: a Suzuki trouxe para o Brasil dois novos modelos esportivos para uso urbano: a "naked" GSX-S1000A e a carenada GSX-S1000FA. O lançamento das motocicletas marca o aniversário de 35 anos da linha GSX, a mais veloz da marca japonesa.

Caso você não esteja familiarizado, as motos fazem parte de um segmento que tem crescido substancialmente no Brasil nos últimos anos: o de motos esportivas para uso urbano. Sabe as famigeradas "hornet" dos funks ostentação? Pois é.

No caso da GSX-S1000A, o buraco é um pouco mais embaixo, já que é uma moto de mil cilindradas e 147 cv de potência adaptada para o trânsito da cidade – e que pode ser usada com tranquilidade nas estradas e até mesmo nas pistas de corrida por aí. Ela tem a posição de pilotagem um pouco mais ereta, o que deixa as coisas um pouco mais confortáveis.

A GSX-S1000FA tem como grande diferença a carenagem dianteira, que ajuda a quebrar o vento em velocidades um pouco maiores. O motor de quatro cilindros é o mesmo, o que significa que as duas "irmãs" são, atualmente, as motocicletas mais potentes do segmento que ocupam, sendo seguidas de perto por modelos como a Kawasaki Z-1000 e Triumph Speed Triple.

Feitas para a rua, com pedigree das pistas

A Suzuki empregou nos novos modelos o conhecimento trazido das pistas, visto que a marca é presença tradicional nas competições mundo afora – especialmente em 2015, ano que marcou o retorno da montadora à MotoGP, categoria máxima do motociclismo.

Sendo assim, é de se esperar que tanto a GSX-S1000A quanto a GSX-S1000FA sejam motos feitas para a rua, mas que tenham o pedigree daquelas que ocupam os circuitos de corrida. As duas versões vendidas no Brasil vêm com ABS e pesam 209 kg e 214 kg, respectivamente. Além disso, elas vêm equipadas com controle de tração com três níveis de regulagem e painel LCD com RPM em barras.

A "naked" S1000A sai por R$ 44,9 mil, enquanto a S1000FA custa 2 mil a mais, saindo por R$ 46,9 mil. Em tempos de crise, não há nada que uma volta de moto não resolva. Mais detalhes podem ser conferidos diretamente no site da Suzuki.