A Ducati acaba de anunciar dois novos modelos para a sua almejada lista de motocicletas esportivas. Um tanto mais “arisca”, a 1299 Panigale é a escolha mais focada em quem busca velocidade. Já a igualmente potente Multistrada 1200 deve servir para quem busca uma escolha mais para a cidade.

De qualquer forma, ambas possuem de saída uma série de sistemas que devem assegurar uma boa pilotagem — como a jaqueta Ducati D|air Street, que combina estilo e a segurança de airbags embutidos.

Ducati 1299 Panigale

Particularmente, a Panigale inclui suspensão dinâmica que se ajusta à sua posição, de maneira que (caso você saiba o que está fazendo), as “capotagens” devem se tornar ainda mais improváveis. Além disso, a suspensão da Panigale também identifica uma saída de curva e enrijece a sua porção traseira, gerando maior adesão com a estrada e permitindo uma interação mais adequada com o controle de tração.

Ainda no quesito segurança, há também um controle dedicado a prevenir que a Panigale empine. Denominado de “Wheelie Controle”, o sistema mantém a parte frontal da moto mais baixa para compensar as explosões de aceleração — fazendo não apenas com que você fique no chão, mas que também utilize a potência do motor de forma muito mais eficiente.

Já o freio ABS para curvas detecta a sua inclinação nas curvas, compensando com ajustes de frenagem e de tração. E a segurança certamente é algo imprescindível aqui. Afinal, a 1299 Panigale vai fazê-lo montar sobre 205 cavalos de potência.

Ducati Multistrada 1200

A Ducati Multistrada 1200 é o novo lançamento da marca com mais cara de “cidade”. Mas a potência do modelo também se beneficia de diversos sistemas inteligentes focados em segurança e desempenho. “Cornering Lights”, por exemplo, é o nome que a Ducati dá para os faróis dianteiros de LED do modelo, os quais devem mirar sempre na direção em que o guidão estiver virado — sistema que, de fato, é ativado apenas nessas ocasiões.

Já o Electronic Speed Control (controle eletrônico de velocidade) da Multistrada 1200 é, basicamente, o que leve por aqui o nome de “piloto automático”. Trata-se de um controle de velocidade de trânsito — que pode ser mantida constante —, passível de controle diretamente no painel do guidão.

Mas há mais tecnologias proprietárias na 1200. O Ducati Skyhook Suspension (DSS) EVO, por exemplo, é um sistema inteligente que mantém uma configuração “constantemente independente da superfície da estrada”. Trocando em miúdos, trata-se de um mínimo de oscilação, sem comprometimentos entre conforto e desempenho.

Há também aqui o já conhecido sistema de partida automática, de forma que, caso a chave esteja no seu bolso, a motocicleta vai detectar automaticamente a sua presença, dando a partida no motor — tal e qual se vê em várias Harley Davidson, por exemplo. Ademais, assim como a 1299 Panigale, a Multistrada 1200 também inclui freios ABS com detecção de inclinação, controle de tração e também o sistema “anti-empinamento”.

Jaqueta Ducati D|air Street

Caso todos os sistemas de segurança mencionados acima não sejam suficientes e um potencial desastre seja iminente, a Multistrada 1200 inclui ainda um último recurso. Trata-se do sistema D|air, cuja capacidade de detecção de acidentes pode ativar diversos airbags na jaqueta homônima quando for necessário.

E o equipamento realmente infla muito rápido. Os airbags da jaqueta D|air inflam mais rápido do que você pode piscar os olhos. Sem exageros. Conforme mostra o vídeo liberado pela fabricante, o processo de detecção e preenchimentos dos bags não toma mais do que 25 milissegundos — enquanto que uma piscadela típica toma aproximadamente 400 milissegundos.

Alpinestars Tech-Air Street

Embora a jaqueta D|air seja vendida separadamente da moto, a compra seria meio sem sentido, já que o funcionamento é interdependente. Entretanto, há também outras opções independentes, tais como as novas Alpinestars Tech-Air Street. Assim como a vestimenta da Ducati, a Tech-Air também tem como foco produzir uma alternativa um tanto mais “pedestre” aos tradicionais macacões utilizados por pilotos durante as corridas.

A tecnologia, de fato, é a mesma. O sistema foi projetado para, em caso de colisão, fornecer proteções individuais para costas, peito, rins, ombros e cotovelos. A ativação se dá pelo enchimento de câmaras dentro da roupa — enquanto que a velocidade do processo é garantida por um recipiente com gás argônio comprimido, o qual é liberado assim que o sistema eletrônico detecta sinais de um impacto em potencial.

Injeção rápida de argônio

As Tech-Air são moldadas em uma única peça de roupa, cujo tecido retém todos os componentes necessários ao sistema. Nisso se incluem a Unidade de Controle dos Airbags (ACU, na sigla em inglês), o recipiente de argônio e dois cabos adentram a jaqueta. O sistema todo é mantido por uma bateria de lítio com autonomia para 25 horas e carregamento em aproximadamente 6 horas via cabo micro-USB.

Ademais, a Unidade de Controle dos Airbags pode ser atualizada com novas firmwares e inclui proteção contra condições climáticas adversas — tudo devidamente homologado por organismos competentes, como o ECE. Inicialmente, dois modelos foram disponibilizados (Valparaiso e Viper), ambos com painel de LED embutido — de forma a garantir que o sistema esteja sempre operante e devidamente carregado.