Lançado juntamente com o Moto Z, a versão “Play” dessa nova família da Lenovo chegou para fazer o meio de campo entre os intermediários e tops de linha. À primeira vista, o Moto Z Play é bastante parecido com a versão tradicional, trazendo o mesmo design premium que elogiamos bastante.

Mais uma vez o destaque também é a modularidade, algo que a Lenovo aplicou muito bem em seus novos aparelhos. Porém, o preço aqui é bem mais “camarada” com o consumidor, o que acaba favorecendo bastante o fator custo-benefício. Mas será que vale a pena apostar o seu dinheiro no Moto Z Play? É isso que você confere em mais uma análise aqui do TecMundo.

O smartphone Lenovo Moto Z Play foi gentilmente cedido por empréstimo pela Lenovo para a realização desta análise.

Especificações técnicas do Lenovo Moto Z Play

Especificações técnicas do Lenovo Moto Z Play

  • Sistema operacional: Android 6.0.1 (Marshmallow)
  • Tela: Super AMOLED de 5,5 polegadas
  • Resolução de tela: 1920x1080 pixels (Full HD)
  • Densidade de pixels: 403 ppi
  • Chipset: Qualcomm Snapdragon 625
  • CPU: Cota-core de 2 GHz
  • GPU: Adreno 506
  • Memória RAM: 3 GB
  • Armazenamento interno: 32 GB
  • Armazenamento externo: cartão micro SD de até 2 TB
  • Câmera traseira: 16 MP
  • Câmera frontal: 5 MP
  • Bateria: 3.510 mAh
  • Conectividade: WiFi 802.11 a/b/g/n, Bluetooth 4.0, NFC, GPS, dual chip (nano SIM), porta USB-C e porta 3,5 mm (conector de fone de ouvido)
  • Sensores: leitor de impressões digitais, acelerômetro, luz ambiente, giroscópio, magnetômetro e proximidade
  • Altura: 156,4 mm
  • Largura: 76,4 mm
  • Espessura: 6,99 mm
  • Peso: 165 gramas
  • Preço de lançamento: R$ 2.199

Lenovo Moto Z Play

Design

Como já dissemos, um olhar desatento pode facilmente confundir o Moto Z Play com o seu irmão Z. Porém, depois que a gente pega o aparelho, a sensação é outra. A versão Play desse smartphone tem uma espessura um pouco maior, o que acaba resultando em uma pegada mais confortável e firme.

Nada daquela sensação de insegurança ao segurar o smartphone. Isso também possibilitou a manutenção da entrada para fone de ouvido, o que vai ser um alívio para uma boa parte dos usuários que não vão precisar daquele adaptador extra pra escutar músicas.

Na parte de trás, a superfície em vidro é muito bonita, mas um verdadeiro imã de digitais. A câmera bem saltada não vai ser um problema praqueles que vão sempre usar o Moto Z Play com uma capinha customizada.

A parte da frente mostra que a versão preta é realmente mais bonita por esconder aquele monte de sensores que aparecem na versão branca do Moto Z. Mais uma vez reforçamos o nosso elogio pra Lenovo, que entregou uma nova família de smartphones muito bonita e com uma cara bem premium.

Mas ainda temos uma crítica com relação ao Moto Z Play. Parece que nesse smartphone, os módulos não ficam tão bem encaixados como no Moto Z tradicional. Isso fica bem evidente com o módulo de personalização, que sai com relativa facilidade.

Tela

O Moto Z Play traz a tecnologia que deveria estar presente no Moto Z. O aparelho vem equipado com um display Super AMOLED, a evolução da tecnologia AMOLED presente em seu irmão.

Como resultado, temos uma tela com contraste infinito e brilho de alta intensidade, o que oferece uma excelente experiência de utilização mesmo sob luz forte. Para diferenciar do modelo mais potente, houve uma redução na resolução na tela do Z Play, o que não chega a prejudicar a experiência.

Lenovo Moto Z Play

Interface

Mantendo a tradição, a Lenovo entrega a experiência do Android puro no Moto Z Play. Aliado ao bom desempenho, a interface funciona com bastante fluidez e não apresentou engasgos ou travamentos durante o nosso período de testes.

O aparelho também vem com o app Moto e os truques práticos que podem ser realizados com algumas ações. Para conforto de quem pretende comprar o Moto Z Play, a Lenovo já confirmou que o aparelho vai ser atualizado para o Android Nougat.

Desempenho e usabilidade

O Moto Z Play não decepciona com relação à performance. Embora o smartphone venha equipado com um chipset da gama intermediária da Qualcomm – o Snapdragon 625 com CPU octa-core de 2 GHz –, o aparelho lida bem atividades pesadas e atende com tranquilidade usuários com um perfil mais hardcore.

É lógico que a série Snapdragon 800 é mais indicada para esse público, mas o processador do Moto Z Play não fez feio em nossos testes. Aliado aos 3 GB de memória RAM, o aparelho conseguiu executar jogos pesados e obteve boas pontuações em testes de benchmark. Os 32 GB de armazenamento interno ainda podem ser complementados com o uso de cartão micro SD.

Benchmarks

No Brasil, o Moto Z Play é vendido em sua versão com suporte a dois chips nano SIM. O aparelho ainda possui aquele sensor na parte frontal para autenticação das digitais, que funciona de forma extremamente rápida.

Câmeras

Um dos maiores méritos do Moto Z Play é entregar câmeras de qualidade tão boas quanto o do Moto Z. E isso não tem relação direta com a resolução, que é maior no aparelho intermediário.

O Moto Z Play é capaz de tirar fotos com uma nitidez incrível e apresenta um foco muito rápido graças ao sensor laser. Destacamos novamente o modo HDR automático, que consegue equilibrar muito bem a iluminação das imagens capturadas. Fotos noturnas perdem em qualidade por causa da diferença de abertura no sensor, mas ainda assim são aceitáveis.

O novo smartphone da Lenovo também é capaz de gravar em 4K a 30 FPS, algo que muitas fabricantes deixam reservado apenas paro modelo top de linha. A câmera frontal do Moto Z Play também tem qualidade, com destaque para o flash que quebra um ganho em ambientes escuros.

Áudio

O smartphones Moto sempre merecem elogio por trazer o alto-falante na parte frontal. No Moto Z Play isso não é diferente, embora a qualidade sonora não seja das melhores.

O som é alto, mas infelizmente apresenta um pouco de distorção nos agudos quando colocado em volume próximo do máximo. A Lenovo tem como desculpa o módulo da JBL, que dá um banho na saída de som padrão do smartphone. Pelo menos o fone de ouvido que acompanha o kit é bonito e tem qualidade.

Bateria

Mas o verdadeiro destaque do Moto Z Play é a bateria. Ao não se preocupar em tornar o smartphone tão fino quanto um pedaço de papel, a Lenovo conseguiu não somente entregar uma entrada para fone de ouvido como uma bateria de maior capacidade. E a diferença é bem grande quando comparado ao Moto Z.

O resultado é uma autonomia de quase 48 horas de uso misto, o que compreendeu a utilização do aparelho pra conversas no WhatsApp o dia todo, leitura de páginas na web e jogos e vídeos ocasionais. Em nosso teste para verificar a duração sob uso intenso, o Moto Z Play foi capaz de aguentar quase oito horas de reprodução contínua. Imagina só esse aparelho com o módulo de bateria.

Hasselblad True Zoom

Falando em módulo, tivemos a oportunidade de testar o último módulo que ainda não havíamos experimentado para família Moto Z. O Hasselblad True Zoom é um acessório que adiciona zoom óptico 10x, flash Xenon, estabilização óptica para captura de fotos e um botão dedicado para as capturas.

A Lenovo acertou em cheio no visual do módulo, que se parece bastante com uma câmera tradicional. O zoom é o verdadeiro destaque desse acessório, que realmente impressiona e chama atenção por conta da qualidade e estabilidade.

Porém, sentimos falta de um controle manual para ajuste do foco e um conector para encaixe de um tripé ou outros acessórios. Mas ficamos felizes ao ver que o Hasselblad True Zoom vem acompanhado com uma bolsa de transporte.

Vale a pena?

Antes de mais nada, vamos reforçar os nossos elogios a Lenovo por ter implementado tão bem a ideia de modularidade. É lógico que esse conceito ainda tem que se provar consistente, com mais módulos disponíveis e preços mais atraentes.

Mas não tem como não mencionar a facilidade de utilização desses acessórios. Com relação ao Moto Z Play, estamos diante do aparelho da família com o melhor custo-benefício.

Preço de lançamento

  • Moto Z: R$ 3.199
  • Moto Z Play: R$ 2.199

Ele é mil reais mais barato que seu irmão mais velho e entrega uma experiência de uso bastante semelhante. Durante nossos testes, encontramos o smartphone sendo vendido por até R$ 1.979,10 (pagamento à vista com 10% de desconto no boleto). É verdade que o pacote do Moto Z já vem com o módulo de bateria, mas a grande capacidade e autonomia do Z Play acaba compensando a ausência desse acessório.

A ideia de um aparelho que fica entre os intermediários e tops de linha geralmente não agrada, especialmente por causa do preço. Porém, o Moto Z Play consegue roubar várias características de um flagship e ainda não custar tão caro quanto um. Com certeza estamos diante de um dos smartphones com o melhor custo-benefício, uma ótima pedida para quem está pensando em trocar de celular.

Cupons de desconto TecMundo: