Análise: smartphone Motorola Novo Moto X

30 min de leitura
Imagem de: Análise: smartphone Motorola Novo Moto X
Fonte: TecMundo
Avatar do autor

O lançamento do primeiro Moto X pela Motorola foi realmente um grande marco para a indústria de smartphones. O aparelho tinha funções exclusivas realmente úteis e, mesmo com um processador um pouco antigo, conseguia bater de frente com outros top de linha.

Isso foi resultado de um trabalho diferenciado que a empresa fez na arquitetura interna do smartphone e, pelo que parece deu muito certo. Apesar de não ter se tornado um grande campeão de vendas mundo afora, o antigo Moto X agradou muito a quem o adquiriu.

E agora, com todo esse legado para honrar, será que o Novo Moto X consegue surpreender? Não há dúvidas de que, numericamente, ele melhorou absolutamente todos os aspectos presentes no primeiro aparelho da linha, mas, para fazer jus ao nome, ele precisa ser um ótimo conjunto e deixar o usuário “apaixonado”.

Nessa superanálise, vamos mostrar todos os aspectos desse smartphone e explicar para você onde ele é exemplar e onde ele não manda tão bem assim. O aparelho cresceu, ficou mais resistente, mais parrudo e principalmente mais elegante. No fim das contas, dá para dizer que estamos diante de uma evolução de verdade.

O que mudou?

Fazer comparações do Novo Moto X com seu modelo original é algo inevitável. Estamos falando de dois smartphones muito bonitos, mas o aparelho mais recente realmente se destaca. Ele ainda consegue manter aquela simplicidade agradável que a Motorola tem dado a seus smartphones, mas traz um pouco mais de refinamento.

A identidade visual do primeiro Moto X foi conservada, mas tivemos várias mudanças no design. Prova disso são as bordas em alumínio, a saída de áudio frontal e a espessura. No geral, o acabamento ficou bem melhor. Segurando esse smartphone nas mãos, você tem a sensação de segurança muito maior. Ele é basicamente mais sólido que o primeiro modelo, feito todo em plástico.

Por dentro, o smartphone teve um grande salto evolutivo. O processador agora é um Snapdragon 801 de quatro núcleos (2,5 GHz), acompanhado por uma GPU Adreno 330, os mesmos detalhes encontrados nos principais concorrentes. A tela cresceu meia polegada e a resolução agora é Full HD, com isso, a densidade de pixels saltou de 316 ppi para 426 ppi, um aumento considerável e que faz a diferença.

O mais interessante é que, no Brasil, o smartphone só será vendido em sua versão com 32 GB de armazenamento interno. No antigo modelo, só tínhamos a opção de 16 GB, o que eventualmente acabava sendo pouco, uma vez que ele não tinha expansão com cartões micro SD. O modelo deste ano também não tem.

DESIGN

O Novo Moto X é um aparelho muito chamativo. Ele tem um visual bastante elegante e uma construção de qualidade. O metal nas bordas colabora para isso e passa uma sensação muito boa nas mãos. Você sente logo a diferença ao segurar esse aparelho e algum outro com o corpo de plástico ao mesmo tempo.

Na verdade, essa sensação é o resultado de um trabalho bem ergonômico em toda a carcaça do dispositivo. A curvatura da traseira melhora o conforto na pegada e ainda dá a impressão de que ele é um smartphone bem mais fino do que as especificações denunciam. As bordas são muito magrinhas e, nos cantos, chegam a impressionar. Parece que você está lidando com um aparelho muito mais fino do que ele realmente é.

Apesar disso, na altura da câmera, o Novo Moto X é bem grosso, e é essa medida que aparece nas especificações. Por isso, você pode ficar preocupado ao comprá-lo pela internet, por exemplo, achando que se trata de um grande “tijolar”. No fim das contas, ele pode até ser considerado fino se você fizer uma média de espessura entre todos os pontos da carcaça. Ainda assim, o que vale mesmo é a sensação dele nas mãos e no bolso.

Organização dos elementos da carcaça

Na face frontal do Novo Moto X, temos um display que ocupa quase toda essa dimensão. Em cima e embaixo, temos duas saídas de som com um microfone escondido em cada. Somente uma delas é um alto-falante de verdade. Você ainda consegue ver câmera frontal, e, escondidos, ficam os sensores de movimento, luminosidade e de proximidade.

A face traseira possui a câmera rodeada pelo anel de difusão do sistema de flash duplo. Abaixo, você encontra a logo da Motorola com acabamento em metal, da mesma cor das bordas do smartphone. Há ainda dois buraquinhos que escondem os microfones.

Nas laterais, temos os botões de energia e controle de volume na direita. A parte esquerda não tem nada e, no topo, você encontra o plugue do fone de ouvido e a gaveta para o nano SIM. No fundo, há a conexão USB e as inscrições da Anatel e do modelo do aparelho.

Acabamento

Não foi dessa vez que o MotoMaker chegou ao Brasil e, por isso, ainda não podemos personalizar a aparência do Moto X por aqui. Boatos dizem que lá pela metade de 2015 já será possível comprar um smartphone da Motorola feito no MotoMaker brasileiro. O problema é que, até lá, praticamente todo mundo que queria comprar um Novo Moto X já deve ter comprado. Por isso, qual seria o real propósito de tal decisão?

Apesar da falta do MotoMaker, a Motorola oferece três versões bem distintas.

  • Preto: parte frontal preta e traseira feita em resina de toque macio
  • Bambu: parte frontal branca e traseira em bambu de verdade
  • Couro: parte frontal preta com traseira em couro legítimo preto

No quesito “qualidade de construção”, o aparelho da Motorola não tem maiores problemas. O que notamos foi o fato de aquele disco metálico com a logo da empresa na traseira não estar 100% preso. Apesar disso, você só consegue movê-lo fazendo muita força.

Na parte da frente, um pedacinho de plástico ou papel branco entrou na fresta que existe no encontro do vidro com o metal. Foi bem difícil de tirar aquilo dali, mas não podemos considerar isso um grande defeito. Todos os smartphones possuem esse tipo de espaço no encontro de materiais diferentes. Isso se repete na traseira.

O que vale comentar positivamente é a maciez do alumínio das bordas, muito agradável ao toque. O plugue para fones de ouvido ainda recebe um acabamento especial brilhoso que deixa o aparelho mais elegante. O botão Power, posicionado na lateral direita, tem uma textura diferente dos controles de volume, que ficam logo abaixo dele.

As proteções das saídas de som frontais são feitas de um metal texturizado bem resistente, mas elas são um tanto proeminentes. De início, você pode se incomodar com isso até se acostumar.

HARDWARE

O maior avanço em hardware do Novo Moto X foi em seu chipset. Esse modelo vem com um processador de quatro núcleos, todos funcionando a 2,5 GHz. O antigo tinha uma CPU principal com dois núcleos rodando a 1,7 GHz. A nova GPU, que garante um aumento significativo na performance de vídeo, foi de 450 MHz para 578 MHz de uma geração para a outra.

Para deixar tudo isso ainda mais interessante, uma variação daquela arquitetura Motorola X8 Mobile Computing System está presente na segunda geração do Moto X. Por isso, espere um desempenho exemplar.

Tudo isso se reflete nos benchmarks, e o aparelho da Motorola superou o HTC One M8, o Galaxy S5 e o LG G3 em vários testes. Confira os gráficos para ter uma visão mais precisa do que estamos falando.

Benchmarks

Para a realização desta análise, submetemos o Motorola Novo Moto X a cinco aplicativos de benchmark. São eles: 3D Mark (Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 5, Basemark X, GFXBench (T-Rex HD Off Screen) e Vellamo Mobile Benchmark (HTML5 e Metal).

3D Mark (Ice Storm Unlimited)

O teste Ice Storm Unlimited, do 3D Mark, é utilizado para fazer comparações diretas entre processadores e GPUs. Fatores como resolução do display podem afetar o resultado final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

AnTuTu Benchmark 5

Um dos aplicativos de benchmark mais conceituados em sua categoria, o AnTuTu Benchmark 4 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e geram uma pontuação final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Basemark X

O Basemark X tem como foco principal mensurar a qualidade gráfica dos dispositivos. Baseado na engine Unity 4, o app aplica testes de alta densidade, mostrando qual dos aparelhos se sai melhor na execução de jogos. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

GFX Bench (T-Rex HD)

O GFX Bench é voltado para mensurar a qualidade gráfica. Isso inclui itens como estabilidade de desempenho, qualidade de renderização e consumo de energia. Os resultados são revelados em média de frames por segundo (fps). Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Vellamo Mobile Benchmark

O Vellamo Mobile Benchmark aplica dois testes ao aparelho: HTML5 e Metal. No primeiro deles é avaliado o desempenho do celular no acesso direto à internet via browser. Já no teste Metal, o número final indica a performance do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Desempenho em jogos

Em jogos, o aparelho se saiu muito bem com títulos pesados, como Real Racing 3, Asphalt 8 e Injustice. Isso quer dizer que você pode rodar qualquer app presente na Google Play sem dificuldades no Novo Moto X. Ele certamente vai dar conta de todos os jogos existentes para Android.

Ainda assim, é notável que, ao jogar esses títulos mais parrudos, você gasta a bateria mais rápido e o smartphone chega esquentar. Com o tempo ele incomoda um pouco nas mãos. Apesar disso, notamos que a quantidade de calor parece menor que a emitida pelo antigo Moto X em momentos de alto stress.

Nós chegamos a medir a temperatura da carcaça com um termômetro infravermelho e, depois de rodar três benchmarks seguidamente, o smartphone da Motorola chegou aos 34° C. Essa é uma boa média, considerando que 40° C seria uma temperatura alta.

Desempenho do cotidiano

Como você já sabe que o Novo Moto X se sai muito bem em atividades mais exigentes, é natural que isso seja ainda mais notável em atividades cotidianas. Em nossos testes, o aparelho da Motorola não mostrou engasgos ou lentidão em momento algum. A velocidade para a navegação web é exemplar. O teste Vellamo Mobile mostra isso em números mais precisos.

O aparelho tem 2 GB de RAM e isso é suficiente para praticamente qualquer tarefa que você tente realizar no Android. Quando você começa a encher esse espaço com apps abertos, o SO começa a fechá-los automaticamente para não comprometer o desempenho. Assim que você inicia o Novo Moto X, todos os recursos do sistema e da interface ocupam 771 MB de RAM. No antigo modelo, essa marca era de 730 MB.

Fizemos esse mesmo teste, mas agora com alguns apps usuais abertos. Reiniciamos os aparelhos e, em seguida, abrimos: cinco abas do TecMundo no Chrome, o WhatsApp, o Facebook Messenger, o YouTube, o Fotos, o Calendário e a Play Store. Os resultados foram 790 MB para o antigo Moto X e 820 MB para o Novo Moto X. Ambos conseguiram lidar com a alternação entre apps sem a menor dificuldade.

Obs: é bom considerar que esse teste é bem relativo, uma vez que cada aparelho pode ter apps que iniciam automaticamente que também contam no consumo de memória. Ambos possuem 2 GB de RAM.

Tela

A tela recebeu um belo upgrade de meia polegada. Ela foi de 4,7’’ para 5,2’’ e a resolução também aumentou, indo de HD para Full HD. Com isso, a densidade de pixels deu um grande salto, tornando a tela do Novo Moto X muito bonita e nítida. Antes tínhamos 316 ppi e, agora, temos 423 ppi. Isso garante mais nitidez em tudo, mesmo o limite teórico de densidade de pixels identificável pelo olho humano sendo 300 ppi.

O painel é bem brilhoso, e você não terá problemas usando esse smartphone embaixo de sol forte ou em ângulos menos favoráveis. O vidro Gorilla Glass 3 não reflete muito e, por isso, você tem uma tela bonita e muito confortável para olhar.

Bateria

O Novo Moto X não é nenhum campeão em autonomia de bateria. A capacidade desse componente aumentou muito pouco da primeira para a segunda geração e, por isso, pouca coisa mudou por aqui. Ela foi de 2.200 mAh para 2.300 mAh.

A maior parte dos testes mostra que a autonomia da nova geração é praticamente a mesma do modelo de 2013. Portanto, se você tinha o aparelho anterior, o use como base para comparar o desempenho do aparelho de 2014.

Em uma avaliação mais metódica, nós conseguimos acabar com toda a carga do Novo Moto X em 6 horas e 15 minutos. Isso executando um vídeo em Full HD, com brilho da tela no máximo e WiFi ligado. Essas condições são consideradas intensas e realmente sugam a bateria com eficiência. Você pode comparar esse desempenho no mesmo teste realizado no LG G3, no Galaxy S5, Xperia Z2 e no Lumia 930.

O resultado é bom para a categoria, mas não chega a surpreender, como o que vemos no aparelho da Sony. De qualquer forma, é possível passar um dia inteiro usando o Novo Moto X de forma intensa ou até dois dias se você não mexer muito com ele.

Armazenamento

Como o Novo Moto X não tem memória expansível, a Motorola resolveu lançar no Brasil apenas os modelos com 32 GB de armazenamento. Com isso, sobram para o usuário 24,39 GB de espaço livre. Nesse ponto é bom lembrar que este aparelho é o top de linha mais barato que você pode encontrar e, mesmo assim, ele tem o dobro do armazenamento interno dos concorrentes.

O ponto fraco mesmo é a impossibilidade de usar cartões micro SD. A Motorola passou a adotar essa prática quando foi comprada pela Google, mas parece que já está mudando de filosofia. O antigo Moto G também não tinha memória expansível, mas a nova geração veio com esse recurso. Quem sabe o terceiro Moto X também tenha. Para 2014/2015, entretanto, você terá que se contentar com 32 GB, o que não é pouco.

Câmeras

Traseira

Fotografia também não é um dos pontos fortes do novo top de linha da Motorola. A câmera traseira foi de 10 MP para 13 MP, mas ainda tem um desempenho abaixo do esperado para um top de linha. Mesmo assim, em ambientes externos, ele consegue fotografar com muita qualidade. As cores são sempre bem realistas, a nitidez das fotos é muito boa e o smartphone consegue lidar bem com várias situações de incidência de luz.

Mas, quando cai a noite, a câmera do Novo Moto X mostra suas limitações. Não é fácil conseguir uma boa foto em ambientes com pouca luz. Na maior parte das vezes, as imagens ficam bem granuladas e com um aspecto desfocado.

Mesmo assim, dá para fazer boas fotos com esse aparelho durante essas condições adversas. Você tem que ter paciência para lidar com o foco, movimentando ele sempre para o objeto mais brilhante do quadro. Com esse macete, os resultados melhoram bastante. Nesses casos, entretanto, você perde em agilidade.

O flash duplo com o sistema de difusão de luz em forma de anel em volta da câmera melhora bastante imagens feitas com esse recurso. Apesar disso, os efeitos só são percebidos mais de longe. Não adianta tentar fazer uma selfie com a câmera traseira muito próxima ao rosto e deixar o flash ligado. De modo geral, entretanto, essa novidade funciona razoavelmente bem.

O grande destaque por aqui é a velocidade de captura. Você toca na tela e a foto está pronta, quase instantaneamente. Você pode também manter o dedo pressionado e tirar dezenas de fotos em poucos segundos. Na Galeria, o smartphone vai mostrar todas elas para você e também sugere ficar com algumas das melhores. Fora isso, aquele movimento de pulso para abrir a câmera é mais prático que qualquer botão dedicado.

Frontal

O sensor frontal do Novo Moto X manteve a mesma resolução do modelo anterior. Os dois possuem 2 MP. Apesar disso, o software Câmera Motorola é um pouco diferente entre os aparelhos, especialmente na forma de captura. O aparelho deste ano conta a possibilidade de capturar imagens quadradas e retangulares, tanto na frente quanto atrás. O modelo de 2013 só faz imagens retangulares.

Esses detalhes não fazem muita diferença, mas o que realmente chama a atenção é o desempenho. O sensor frontal do antigo Moto X tira fotos melhores no que diz respeito a foco e balanço de luz, mas distorce um bocado as cores, deixando tudo mais intenso, com tons mais aquecidos. O Novo Moto X, por sua vez, peca no balanço de luz, mas tem cores muito mais naturais. Isso com o HDR desligado em ambos.

Com pouca luz, as duas câmeras têm um desempenho insatisfatório, mas a do novo smartphone parece que fica dando engasgos ao fazer o equilibro de cores. É algo bem estranho.

Áudio

O som do antigo Moto X já era considerado um dos melhores da sua época, e o Novo Moto X não fica para trás. Ele tem um alto-falante frontal que alcança um volume alto e apresenta pouca distorção. Mesmo assim, é um pouco decepcionante não ter o som estéreo nesse smartphone, já que Novo Moto G tem. Somente a saída frontal da parte de baixo é que realmente faz barulho. A parte de cima é usada apenas para fazer ligações.

Se você aumentar o volume até o fim, algumas distorções vão aparecer. A potência do som, entretanto, é quase comparável à do Novo Moto G. A qualidade, por sua vez, não é. Tudo isso por conta do som estéreo, que realmente faz diferença.

Comparando a primeira e a segunda geração dos top de linha da Motorola, podemos dizer que o novo smartphone tem um som melhor e mais alto. O posicionamento do alto-falante mono ajuda nesse departamento e, mesmo estando quase na borda, você não vai tapá-lo com as mãos ao jogar.

Acessórios

Incluídos no pacote

Na caixa, esse smartphone é acompanhado por um carregador com duas saídas USB para carregar dois aparelhos diferentes ao mesmo tempo, um cabo de dados e um fone de ouvido. Todos esses acessórios são de boa qualidade.

No caso do fone, especialmente, ele teve uma melhora significativa em sua aparência e também na qualidade de construção em relação ao que vinha com o antigo Moto X. Apesar disso, a qualidade de áudio piorou. Isso acontece porque a Motorola resolveu utilizar um formato diferente de saída de som, seguindo o mesmo modelo encontrado nos EarPods da Apple. Isso não quer dizer que o som é ruim, entretanto. Pelo contrário, é bastante aceitável, e o conforto ao usar é um destaque.

Vendidos à parte

Em breve, você poderá comprar ainda à parte o smartwatch Moto 360 (R$ 899 com lançamento em novembro), novo smartwatch da Motorola, e o fone sem fio Moto Hint(US$ 150 nos EUA,  chega ao Brasil no Natal). É possível que você já conheça ambos, mas, clicando nos links dos nomes, você será levado para nossas páginas acerca dos aparelhos.

Os carregadores portáteis Power Pack Micro (US$ 40 nos EUA) e Slim (US$ 50 nos EUA) ainda não têm data para vir ao Brasil. Eles podem servir como uma bateria extra para o Novo Moto X e ainda se conectar a ele via Bluetooth. Assim, caso o acessório seja perdido, você pode encontrá-lo através de um bip. Se você usar o acessório como um chaveiro no bolso e marcá-lo como confiável, seu smartphone pode inclusive dispensar senhas e padrões para desbloqueio da tela.

O carregador Motorola Turbo Charger (US$ 35 nos EUA) funciona apenas com o Novo Moto X, que possui a tecnologia Quick Charge 2.0. O resultado é 8 horas de bateria com apenas 15 minutos na tomada. Este produto também ainda não está à venda no Brasil, mas deve ser disponibilizado em breve.

SOFTWARE

Como já é tradição para a Motorola, o seu novo top de linha vem com o Android praticamente puro. A interface do SO está praticamente intocada e oferece uma experiência muito agradável e simples ao usuário. As modificações da Motorola são bem sutis e vêm em forma de aplicativos extras que são na verdade os grandes destaques do smartphone.

Obs. Vale notar que, em nosso vídeo, o smartphone aparece com vários botões na área de notificação para ligar e desligar algumas funções do sistema. Aquilo é proveniente do app Notification Toggle. O papel de parede também não é original, sendo proveniente do Zedge. O widget de tempo na tela inicial é do Yahoo! Tempo.

Funções especiais

As “Funções especiais” são o grande ponto forte do Novo Moto X. Ele tem vários comandos inteligentes que podem automatizar algumas operações. Tudo isso você encontra no app “Moto”, na gaveta de aplicativos ou no nas configurações, na opção “Moto”.

Sem tocar no smartphone, você pode fazer pesquisas no Google Now, ativar um alarme, ouvir seus SMS e até as notificações. Mas o mais útil de tudo isso talvez seja a possiblidade de ditar um endereço e ser levado até lá pelo GPS do aparelho.

Confira a lista de possibilidades dos comandos de voz do Novo Moto X

  • Definir alarme: Diga “definir alarme para as sete da manhã”. O celular vai confirmar a operação com um retorno também por voz.
  • Mensagens de voz da caixa postal: Diga “Verificar meu correio de voz”. O aparelho fará uma ligação para o correio de voz da sua operadora.
  • Google Maps: Diga “Navegue para (ou ir para): Rua Marechal Deodoro, número 9999”. O smartphone fará a pesquisa do endereço e iniciará a navegação curva a curva do Google Maps.
  • Encontrar o celular na sua bagunça: Diga “Cadê meu celular?”. O aparelho vai entender o comando e começará a tocar um bipe que só para quando você encontrar o smartphone.
  • Tirar uma foto: Diga “tirar uma foto” para fotografar com a câmera traseira ou “tirar uma selfie” para usar a câmera frontal. O aparelho começa uma contagem regressiva de três segundos após o comando de voz.
  • Executar aplicações: Diga “abrir” seguido do nome de um app instalado no smartphone para abri-lo.
  • Ligar para alguém: Diga “ligar para” seguido do nome de uma pessoa da sua agenda. Se tiver mais de uma pessoa com o mesmo nome, ele vai perguntar para qual delas deve ligar. Você confirma com a voz, e a ligação é iniciada.
  • SMS: Diga “enviar mensagem para”, seguido do nome de um contato na sua agenda, “dizendo” e dite a mensagem desejada.
  • Lembrete: Diga “lembrar-me de” e dite o lembrete. No fim do lembrete, você pode completar o comando dizendo “às sete horas da noite”, por exemplo, para marcar o horário.
  • Tempo: Diga “previsão do tempo” ou “como está o tempo” seguido do nome de uma cidade qualquer. O Google Now será aberto e mostrará a previsão.
  • Ler notificações: Diga “Novidades?” para que o celular lhe confirme o horário atual e leia todas as suas notificações.
  • Anunciar ligações e mensagens: Diga “fale comigo” e, em seguida, o aparelho manterá o sistema de anúncios de ligações e mensagens ativo por 30 minutos. Se alguém ligar ou mandar um SMS, o aparelho diz quem está ligando ou lê o conteúdo das mensagens.
  • Colocar no silencioso: Diga “Boa noite” para o smartphone silenciar todos os sons e deligar a Moto Tela.
  • Tirar do silencioso: Diga “Bom dia” para tirar o smartphone do silencioso e religar a Moto Tela.
  • Facebook: Diga “postar no Facebook” e dite uma mensagem. Com isso, o conteúdo da mensagem será enviado à rede social como uma atualização de status. O celular pede uma confirmação antes de completar a ação.
  • WhatsApp: Diga “Enviar um WhatsApp para” e diga o nome de um contato. Em seguida, o aparelho vai perguntar qual seria o conteúdo da mensagem e você poderá ditar. Por fim, será necessário mais uma confirmação para completar o envio.
  • Ouvir música: Diga “tocar Capital Inicial no YouTube” para ouvir as músicas dessa banda na plataforma de vídeos da Google. Você pode trocar o nome da banda por qualquer outra ou dizer o nome de uma música específica ou canal.
  • Conferir os comandos de voz: Diga “ajuda” ou “obter lista de comandos”. Uma tela vai mostrar as principais possibilidades do smartphone.
  • Pesquisar na web: Diga sua frase de inicialização e dite o conteúdo da pesquisa. O Google Now vai realizar a pesquisa na internet.
  • Perguntas específicas: Você pode fazer várias perguntas que possuem respostas na web. Por exemplo: “Quem é a presidente do Brasil?”, “Qual é a distância para a Lua?”, “Onde fica Piraquara?” e assim por diante.

Frase de inicialização personalizável

Para que tudo isso funcione, você deve primeiro ativar esses comandos no app Moto. Será necessário gravar uma frase de inicialização qualquer. A gente usou o “e aí Moto X”, mas você pode colocar “Fale comigo, Jarvis”, por exemplo. Essa frase de inicialização deve ser gravada em um local bem silencioso. Com isso, mesmo em ambientes barulhentos, o smartphone vai atender você.

Nesse ponto, ele é bem diferente do antigo Moto X, que só permitia usar o “Ok, Google Now”. Dessa forma, se tivesse mais de um aparelho igual ao seu redor, todos eles seriam ativados ao mesmo tempo. Eu, que testei o novo smartphone e tenho um Moto X 2013 como aparelho pessoal, já passei por uma situação como essa.

Reconhecimento do timbre de voz do dono

O reconhecimento do timbre de voz do dono ainda não está perfeito. Se alguém com a voz minimante parecida com a sua tentar ativar os comandos de voz com a sua frase de inicialização, é provável que o Novo Moto X responda.

Na hora da gravação, é possível fazer três registros. É bom falar com entonações diferentes em todas as gravações para que ele tenha mais formas de identificar seu timbre e a forma como você fala.

Moto Tela

O Novo Moto X ainda tem a Moto Tela, que acende apenas alguns pixels da tela AMOLED para mostrar prévias de notificações, as horas e outros detalhes para o usuário sem precisar desbloquear o aparelho. Isso deixa o manejo mais simples e economiza a bateria.

Até três notificações podem ser pré-visualizadas com a Moto Tela e, assim como na versão anterior, você arrasta o dedo sobre elas para realizar alguns comandos. Arrastando para cima, você desbloqueia o celular e vai direto ao app da notificação escolhida. Fazendo esse movimento para as laterais, você dispensa a notificação. Para baixo, ela é ignorada.

Sempre que você mexer no Novo Moto X, tirando-o do bolso ou tocando nele em uma mesa, a Moto Tela vai acender. Você pode então ver as horas e as notificações. Isso já estava presente na primeira geração, mas agora há uma atualização interessante. Você pode passar sua mão acima do Novo Moto X (a cerca 20 cm ou menos) e acender a Moto Tela.

Isso funciona graças aos quatro sensores infravermelho presentes ao redor da tela. Três deles são emissores e um é receptor. Por isso, é necessário passar a mão sobre todos ao mesmo tempo para ativar a função.

Esse recurso ainda permite silenciar ligações sem tocar no smartphone. Você passa a mão como se fosse ativar a Moto Tela e pronto.

Apps extras

O app Moto concentrou todas as funções dos antigos Assist, Comandos de Voz e Tela Inteligente. A novidade é a seção “Ações”, que basicamente permite configurar os sensores infravermelhos e o movimento de pulso da câmera.

Demais aplicações extras do Novo Moto X

Migração Motorola: serve para trazer seus dados e arquivos de um smartphone ou celular comum para o novo aparelho. A transferência ocorre via WiFi ou Bluetooth e permite trazer sua agenda, registros de ligações, mensagens, fotos, músicas, vídeos e outros. No Android e no iOS, é necessário ter um app instalado para realizar a transferência.

Motorola Conect: esse recurso funciona pareado a uma extensão que deve ser instalada no seu Google Chrome do computador. Assim, todas as notificações, ligações e SMS serão sincronizadas com o navegador e mostrarão avisos instantâneos.

Alerta: este app permite ao usuário definir algumas configurações de contatos de emergência. Assim, se você estiver em perigo, pode usar o app para enviar sua localização para as pessoas selecionadas.

Spotlight Stories: é uma ferramenta que traz algumas histórias interativas. Atualmente, apenas duas delas podem ser vistas. O resultado é muito interessante e as animações muito bem feitas. Vale a pena conferir.

Ajuda: é a central de suporte da Motorola. Você pode entrar em contato com os atendentes da marca por esse app — que conta com um chat em tempo real —, mandar emails e conferir um FAQ com perguntas e respostas frequentes.

BR Apps: este é apenas um atalho para uma seção de apps desenvolvidos no Brasil. Isso garante que o Moto X receba os incentivos da Lei do Bem.

 VALE A PENA?

O Novo Moto X é o top de linha mais barato do Brasil entre os aparelhos das marcas mais conhecidas. Como ele entrega um hardware muito similar ao da concorrência e tem um preço bem em conta, dá pra dizer que ele é campeão na relação custo-benefício. Oficialmente, ele é vendido a R$ 1.499, mas é fácil encontrá-lo por até R$ 1,3 mil.

A seu favor, o Novo Moto X tem uma tela muito bonita e espaçosa, um belo design com acabamento em metal e um desempenho invejável. Ele ainda tem um monte de funções exclusivas que o tornam único. Sem dúvida, ele é o mais prático da sua categoria, principalmente por causa dos comandos de voz e da Moto Tela.

Esses dois recursos são os principais destaques da Motorola atualmente e foram bastante melhorados. A Moto Tela agora traz mais notificações e acorda com um movimento no ar sobre o visor. Os comandos de voz estão muito mais precisos que antes e a frase de inicialização agora pode ser personalizada.

Somente o desempenho da câmera pesa contra o Novo Moto X. Se ela tivesse um foco tão ágil quanto o do LG G3 ou fizesse imagens tão boas quanto os top de linha da Sony, este seria sim o “melhor Android já produzido”. Fotografia é realmente algo importante em um top de linha, e a Motorola precisa melhorar nesse departamento, principalmente para fotos noturnas.

Mesmo assim, nenhum outro aparelho da categoria à venda no Brasil hoje traz o que o Novo Moto X tem por R$ 1,5 mil. É bom lembrar que esse é o valor de lançamento e ele pode baixar com o tempo.

Por tudo isso, podemos dizer que adquirir um Novo Moto X é um ótimo investimento e ele realmente vale a pena. Além do mais, qualquer pessoa que tenha adquirido o Moto X da primeira geração não vai ter dúvidas na hora de fazer o upgrade. Para eles, esse Novo Moto X pode ser a única opção plausível da atualidade.

FAQ

1. Qual o motivo de tanta demora para publicar essa superanálise, TecMundo?

Nós sentimos muito pela demora na publicação da análise do Novo Moto X. Sabemos que os leitores têm grande interesse no dispositivo, mas tivemos alguns problemas. A Motorola só nos enviou este modelo depois que devolvemos o Novo Moto G e, por esse motivo, demoramos a começar o trabalho. Além do mais, a produção de uma superanálise é complexa e envolve várias pessoas. Desculpem pelo atraso, mas esperamos que tenham gostado do resultado final.

2. Um Novo Moto X comprado em uma operadora dos EUA oferecer mais dificuldade para conseguir o root?

Sim. As operadoras norte-americanas costumam mexer bastante no Android para evitar que sua base de clientes migre de uma empresa para a outra. Há questões avançadas com as quais lidar para liberar todas as permissões do sistema, o que requer inclusive um processo de root diferente para os aparelhos de cada operadora dos EUA. Isso não se aplica somente ao Novo Moto X: a regra geral ao comprar smartphones nos Estados Unidos é passar bem longe de qualquer operadora.

3. Teremos a personalização do Novo Moto X pelo MotoMaker no Brasil dessa vez?

Resposta oficial da Motorola: O MotoMaker foi idealizado inicialmente para o mercado norte-americano e, por ser um projeto grande e complexo, que envolve muitos fornecedores, a empresa ainda estuda a possibilidade de trazê-lo para o Brasil. Assim que tivermos mais detalhes, divulgaremos para todos.

4. Seria o Novo Moto X algo como o smartphone Nexus deste ano, já que o Nexus 6 é um phablet?

Oficialmente e praticamente, isso não deve se confirmar. A linha Nexus tem uma filosofia de desligamento da marca da fabricante e o Novo Moto X é simplesmente o que a Motorola tem de melhor atualmente no Brasil. Além do mais, o suporte será oferecido por essa empresa e não pela Google, como no caso dos Nexus. O Nexus 6 realmente é um phablet, mas a criadora do Android não parece vê-lo muito dessa forma. Mesmo com a Motorola oferecendo o SO puro e com atualizações muito rápidas, o Novo Moto X não será exatamente um smartphone Nexus, apensar de ser o mais próximo disso que temos hoje.

5. Ele é compatível com USB OTG, que permite conectar periféricos e pendrives no celular?

Resposta oficial da Motorola: O Novo Moto X é compatível com USB on the go (OTG).

6. Ele é à prova d’água?

Não. Ele tem vedação resistente a respingos e não deve sofrer maiores danos na chuva ou quando você derrubar algum líquido acidentalmente nele. Apesar disso, não é bom ficar sambando na cara do perigo e tentar testar essa capacidade. Vai que alguma coisa aconteça e, por azar seu, a Motorola não queira se responsabilizar pelos danos? Aí já era.

7. Ele vai receber o Android Lollipop 5.0?

Sim. A Motorola já confirmou a atualização de toda a sua linha Moto, de 2014 e 2013, para o Android Lollipop 5.0. Isso quer dizer que o Novo Moto X vai receber o novo SO, assim como os Moto X, G (2013 e 2014) e E.

8. Tem TV e Rádio FM?

Não. Esses recursos não são muito populares entre smartphones top de linha, e o Novo Moto X não foge a essa regra. O Moto G 2014 tem ambos, mas ele é um intermediário. O Sony Xperia Z3 deve chegar ao Brasil em uma versão com TV e FM.

9. Roda jogos pesados?

Sim. Na verdade, roda qualquer jogo que você encontrar na Google Play. Como se trata de um hardware potente e atual, o smartphone da Motorola não terá dificuldades em rodar absolutamente nada. Mais detalhes sobre essa característica estão especificados no texto completo da superanálise.

10. Onde compro esse aparelho? Tem versões que não estão disponíveis em lugar algum.

Resposta oficial da Motorola: Inicialmente, colocamos um volume maior do modelo black do Moto X segunda geração, feito com resina especial, e outras versões vieram em volumes menores. Tivemos uma demanda maior do que o esperado dos outros modelos, como é o caso do aparelho com traseira em couro. No entanto, já colocamos nossa fábrica de Jaguariúna para atender à crescente demanda dos consumidores por esses outros modelos.

11. Tem bateria removível e dual-chip?

Não. A Motorola optou por deixar a bateria presa em seus smartphones da linha Moto. Portanto, não há como removê-la por meios tradicionais. Quanto à possibilidade de utilizar dois chips de operadoras, o Novo Moto X também não tem essa funcionalidade.

12. Entorta?

Ele é um aparelho bastante rígido e nossa aposta é de que ele não vai entornar em condições normais. Não fizemos o teste e nem vamos fazer para preservar o aparelho que a Motorola nos enviou.

13. Compro o Novo Moto X ou o Nexus 5?

O Novo Moto X é um smartphone muito superior ao LG Nexus 5 em muitos aspectos. O poder de processamento do aparelho da Motorola é bem mais interessante e está nos padrões dos atuais top de linha do mercado. O Nexus 5 é um smartphone da geração passada e já não é mais tão interessante no quesito desempenho. Além do mais, o Novo Moto X tem um preço muito bom para a sua categoria. Portanto, não há por que considerar ficar com Nexus 5 nessa comparação, uma vez que a Motorola atualiza o Android tão rápido no Brasil quanto a Google faz com os Nexus por aqui.

14. Ele tem codecs de vídeo adicionais?

A lista de codecs de vídeo do Novo Moto X está disponível na tabela de especificações completa do aparelho apresentada acima. Não há muitas possibilidades de execução além das mais comuns, mas elas devem ser suficientes para tocar os arquivos mais comumente compartilhados por aí.

15. Ele tem problemas de má construção da carcaça, como a logo da Motorola que dizem ser frouxa?

Ele não tem maiores problemas de construção na carcaça, e a logo da Motorola na traseira não é completamente frouxa, como tem circulado pela internet. Essa peça de metal, entretanto, pode se mover se você fizer bastante força. De outra forma, ela fica paradinha no lugar.

16. Tem memória expansível?

Não. Assim como o seu antecessor, o Novo Moto X não aceita cartões micro SD para expandir sua memória interna. Apesar disso, ele conta com 32 GB de fábrica, o que deve ser suficiente para a maior parte dos usuários. Além do mais, praticamente todos os concorrentes são mais caros e possuem apenas metade dessa memória nativa.

17. Ele cabe no bolso confortavelmente como o antigo Moto X?

Na maior parte dos casos, sim, ele cabe confortavelmente no seu bolso. Como ele tem bordas bem finas e uma traseira curva, você não vai ver nada protuberante no bolso da sua calça ou vai sentir qualquer desconforto. O problema é com as mulheres, que podem ter bolsos bem pequenos quando usam shorts, por exemplo. Aí a coisa fica um pouco complicada.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Análise: smartphone Motorola Novo Moto X