A Motorola deu a volta por cima e agora quer consolidar a sua posição. O Novo Moto X é o “garoto propaganda” da marca e tem a missão de popularizar o segmento dos top de linha no Brasil.

Especificações

Novo Moto X

Comparativo em imagens

Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X

Desempenho do cotidiano

Como você já sabe que o Novo Moto X se sai muito bem em atividades mais exigentes, é natural que isso seja ainda mais notável em atividades cotidianas. Em nossos testes, o aparelho da Motorola não mostrou engasgos ou lentidão em momento algum. A velocidade para a navegação web é exemplar. O teste Vellamo Mobile mostra isso em números mais precisos.

O aparelho tem 2 GB de RAM e isso é suficiente para praticamente qualquer tarefa que você tente realizar no Android. Quando você começa a encher esse espaço com apps abertos, o SO começa a fechá-los automaticamente para não comprometer o desempenho. Assim que você inicia o Novo Moto X, todos os recursos do sistema e da interface ocupam 771 MB de RAM. No antigo modelo, essa marca era de 730 MB.

Fizemos esse mesmo teste, mas agora com alguns apps usuais abertos. Reiniciamos os aparelhos e, em seguida, abrimos: cinco abas do TecMundo no Chrome, o WhatsApp, o Facebook Messenger, o YouTube, o Fotos, o Calendário e a Play Store. Os resultados foram 790 MB para o antigo Moto X e 820 MB para o Novo Moto X. Ambos conseguiram lidar com a alternação entre apps sem a menor dificuldade.

Obs: é bom considerar que esse teste é bem relativo, uma vez que cada aparelho pode ter apps que iniciam automaticamente que também contam no consumo de memória. Ambos possuem 2 GB de RAM.

Design

Tela

A tela recebeu um belo upgrade de meia polegada. Ela foi de 4,7’’ para 5,2’’ e a resolução também aumentou, indo de HD para Full HD. Com isso, a densidade de pixels deu um grande salto, tornando a tela do Novo Moto X muito bonita e nítida. Antes tínhamos 316 ppi e, agora, temos 423 ppi. Isso garante mais nitidez em tudo, mesmo o limite teórico de densidade de pixels identificável pelo olho humano sendo 300 ppi.

O painel é bem brilhoso, e você não terá problemas usando esse smartphone embaixo de sol forte ou em ângulos menos favoráveis. O vidro Gorilla Glass 3 não reflete muito e, por isso, você tem uma tela bonita e muito confortável para olhar.

Design

Bateria

O Novo Moto X não é nenhum campeão em autonomia de bateria. A capacidade desse componente aumentou muito pouco da primeira para a segunda geração e, por isso, pouca coisa mudou por aqui. Ela foi de 2.200 mAh para 2.300 mAh.

A maior parte dos testes mostra que a autonomia da nova geração é praticamente a mesma do modelo de 2013. Portanto, se você tinha o aparelho anterior, o use como base para comparar o desempenho do aparelho de 2014.

Design

Em uma avaliação mais metódica, nós conseguimos acabar com toda a carga do Novo Moto X em 6 horas e 15 minutos. Isso executando um vídeo em Full HD, com brilho da tela no máximo e WiFi ligado. Essas condições são consideradas intensas e realmente sugam a bateria com eficiência. Você pode comparar esse desempenho no mesmo teste realizado no LG G3, no Galaxy S5, Xperia Z2 e no Lumia 930.

6:15 h de duração.

O resultado é bom para a categoria, mas não chega a surpreender, como o que vemos no aparelho da Sony. De qualquer forma, é possível passar um dia inteiro usando o Novo Moto X de forma intensa ou até dois dias se você não mexer muito com ele.

Armazenamento

Como o Novo Moto X não tem memória expansível, a Motorola resolveu lançar no Brasil apenas os modelos com 32 GB de armazenamento. Com isso, sobram para o usuário 24,39 GB de espaço livre. Nesse ponto é bom lembrar que este aparelho é o top de linha mais barato que você pode encontrar e, mesmo assim, ele tem o dobro do armazenamento interno dos concorrentes.

Dos 32 GB sobram 24,39 GB de espaço livre.

O ponto fraco mesmo é a impossibilidade de usar cartões micro SD. A Motorola passou a adotar essa prática quando foi comprada pela Google, mas parece que já está mudando de filosofia. O antigo Moto G também não tinha memória expansível, mas a nova geração veio com esse recurso. Quem sabe o terceiro Moto X também tenha. Para 2014/2015, entretanto, você terá que se contentar com 32 GB, o que não é pouco.

Câmera

Traseira

Fotografia também não é um dos pontos fortes do novo top de linha da Motorola. A câmera traseira foi de 10 MP para 13 MP, mas ainda tem um desempenho abaixo do esperado para um top de linha. Mesmo assim, em ambientes externos, ele consegue fotografar com muita qualidade. As cores são sempre bem realistas, a nitidez das fotos é muito boa e o smartphone consegue lidar bem com várias situações de incidência de luz.

Mas, quando cai a noite, a câmera do Novo Moto X mostra suas limitações. Não é fácil conseguir uma boa foto em ambientes com pouca luz. Na maior parte das vezes, as imagens ficam bem granuladas e com um aspecto desfocado.

Design

Mesmo assim, dá para fazer boas fotos com esse aparelho durante essas condições adversas. Você tem que ter paciência para lidar com o foco, movimentando ele sempre para o objeto mais brilhante do quadro. Com esse macete, os resultados melhoram bastante. Nesses casos, entretanto, você perde em agilidade.

O flash duplo com o sistema de difusão de luz em forma de anel em volta da câmera melhora bastante imagens feitas com esse recurso. Apesar disso, os efeitos só são percebidos mais de longe. Não adianta tentar fazer uma selfie com a câmera traseira muito próxima ao rosto e deixar o flash ligado. De modo geral, entretanto, essa novidade funciona razoavelmente bem.

O grande destaque por aqui é a velocidade de captura. Você toca na tela e a foto está pronta, quase instantaneamente. Você pode também manter o dedo pressionado e tirar dezenas de fotos em poucos segundos. Na Galeria, o smartphone vai mostrar todas elas para você e também sugere ficar com algumas das melhores. Fora isso, aquele movimento de pulso para abrir a câmera é mais prático que qualquer botão dedicado.

Design

Fotos com a câmera do aparelho

Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X Fotos do Novo Moto X

Frontal

O sensor frontal do Novo Moto X manteve a mesma resolução do modelo anterior. Os dois possuem 2 MP. Apesar disso, o software Câmera Motorola é um pouco diferente entre os aparelhos, especialmente na forma de captura. O aparelho deste ano conta a possibilidade de capturar imagens quadradas e retangulares, tanto na frente quanto atrás. O modelo de 2013 só faz imagens retangulares.

Design

Esses detalhes não fazem muita diferença, mas o que realmente chama a atenção é o desempenho. O sensor frontal do antigo Moto X tira fotos melhores no que diz respeito a foco e balanço de luz, mas distorce um bocado as cores, deixando tudo mais intenso, com tons mais aquecidos. O Novo Moto X, por sua vez, peca no balanço de luz, mas tem cores muito mais naturais. Isso com o HDR desligado em ambos.

Com pouca luz, as duas câmeras têm um desempenho insatisfatório, mas a do novo smartphone parece que fica dando engasgos ao fazer o equilibro de cores. É algo bem estranho.

Áudio

O som do antigo Moto X já era considerado um dos melhores da sua época, e o Novo Moto X não fica para trás. Ele tem um alto-falante frontal que alcança um volume alto e apresenta pouca distorção. Mesmo assim, é um pouco decepcionante não ter o som estéreo nesse smartphone, já que Novo Moto G tem. Somente a saída frontal da parte de baixo é que realmente faz barulho. A parte de cima é usada apenas para fazer ligações.

Se você aumentar o volume até o fim, algumas distorções vão aparecer. A potência do som, entretanto, é quase comparável à do Novo Moto G. A qualidade, por sua vez, não é. Tudo isso por conta do som estéreo, que realmente faz diferença.

Design

Comparando a primeira e a segunda geração dos top de linha da Motorola, podemos dizer que o novo smartphone tem um som melhor e mais alto. O posicionamento do alto-falante mono ajuda nesse departamento e, mesmo estando quase na borda, você não vai tapá-lo com as mãos ao jogar.

Acessórios

Incluídos no pacote

Na caixa, esse smartphone é acompanhado por um carregador com duas saídas USB para carregar dois aparelhos diferentes ao mesmo tempo, um cabo de dados e um fone de ouvido. Todos esses acessórios são de boa qualidade.

No caso do fone, especialmente, ele teve uma melhora significativa em sua aparência e também na qualidade de construção em relação ao que vinha com o antigo Moto X. Apesar disso, a qualidade de áudio piorou. Isso acontece porque a Motorola resolveu utilizar um formato diferente de saída de som, seguindo o mesmo modelo encontrado nos EarPods da Apple. Isso não quer dizer que o som é ruim, entretanto. Pelo contrário, é bastante aceitável, e o conforto ao usar é um destaque.

Design

Vendidos à parte

Em breve, você poderá comprar ainda à parte o smartwatch Moto 360 (R$ 899 com lançamento em novembro), novo smartwatch da Motorola, e o fone sem fio Moto Hint(US$ 150 nos EUA, chega ao Brasil no Natal). É possível que você já conheça ambos, mas, clicando nos links dos nomes, você será levado para nossas páginas acerca dos aparelhos.

Os carregadores portáteis Power Pack Micro (US$ 40 nos EUA) e Slim (US$ 50 nos EUA) ainda não têm data para vir ao Brasil. Eles podem servir como uma bateria extra para o Novo Moto X e ainda se conectar a ele via Bluetooth. Assim, caso o acessório seja perdido, você pode encontrá-lo através de um bip. Se você usar o acessório como um chaveiro no bolso e marcá-lo como confiável, seu smartphone pode inclusive dispensar senhas e padrões para desbloqueio da tela.

O carregador Motorola Turbo Charger (US$ 35 nos EUA) funciona apenas com o Novo Moto X, que possui a tecnologia Quick Charge 2.0. O resultado é 8 horas de bateria com apenas 15 minutos na tomada. Este produto também ainda não está à venda no Brasil, mas deve ser disponibilizado em breve.

Design