O Moto G Edição Turbo é o Moto G mais potente já desenvolvido pela Motorola. Lançado menos de seis meses depois de seu antecessor, esse modelo nada mais é do que uma versão turbinada do Moto G de terceira geração, mas que manteve alguns aspectos de seu antecessor.

Será que vale a pena investir o seu dinheiro no Moto G Turbo? E qual é o posicionamento desse smartphone no mercado, especialmente se considerarmos o lançamento recente do Moto X Play, aparelho com hardware e preço bastante semelhantes? É isso que você confere nesta análise do TecMundo.

Especificações técnicas

  • Sistema operacional: Android 5.1.1 (Lollipop)
  • Tela: LCD IPS de 5 polegadas (com proteção Gorilla Glass 3)
  • Resolução de tela: 1280x720 pixels (HD)
  • Densidade de pixels: 294 ppi
  • Chipset: Qualcomm Snapdragon 615
  • CPU: octa-core (quad-core de 1,7 GHz + quad-core de 1 GHz)
  • GPU: Adreno 405
  • Memória RAM: 2 GB
  • Armazenamento interno: 16 GB
  • Armazenamento externo: 32 GB
  • Câmera traseira: 13 MP, abertura ƒ/2.0 e flash LED duplo
  • Câmera frontal: 5 MP e abertura ƒ/2.2
  • Bateria: 2.470 mAh
  • Conectividade: WiFi 802.11 b/g/n, Bluetooth 4.0, GPS (A-GPS e GLONASS), micro USB
  • Sensores: acelerômetro, sensor de luz ambiente, proximidade e hub de sensor
  • Extra: certificação IP67 (resistência a água e poeira) e dual chip
  • Dimensões: 142,1 mm (altura) x 72,4 mm (largura)
  • Espessura: de 6,1 mm a 11,6 mm
  • Peso: 155 gramas
  • Preço de lançamento: R$1.289

Design

O Moto G Turbo é idêntico ao Moto G de terceira geração no aspecto visual. O smartphone tem as mesmas proporções e características físicas, como a tampa traseira removível, o detalhe metálico da câmera, a posição dos botões e a distribuição dos componentes na parte frontal.

A versão turbinada do Moto G também pode ser customizada através do Moto Maker, que permite as mesmas modificações do modelo básico. No geral, o design é bem agradável, e a construção favorece bastante a pegada. Vale ressaltar que o Moto G Turbo é resistente a água e poeira por causa da certificação IP67.

Tela

O display da edição turbo não mudou em relação ao Moto G de terceira geração, que, por sua vez, também não é diferente se comparado ao seu antecessor. Capaz de manter as 5 polegadas em uma resolução HD, o aparelho permite que as imagens exibidas tenham boa qualidade, mas nada excepcional.

A tecnologia Gorilla Glass 3 está presente, garantindo maior proteção da tela contra riscos e arranhões. No Moto G Turbo, a Motorola certamente poderia ter incluído uma tela Full HD, o que proporcionaria maior nitidez e densidade de pixels.

Interface

Também não há diferenças com relação ao sistema operacional do Moto G Turbo quando comparado ao seu antecessor. O smartphone é equipado com a versão pura do Android, o que garante uma interface rápida e a certeza de atualização. O app Moto ainda traz recursos úteis, como o Moto Tela e a ativação da câmera e da lanterna com movimento das mãos.

Desempenho

Mas é na performance que o Moto G Edição Turbo realmente se destaca. O smartphone possui um hardware muito competente, capaz de lidar com tranquilidade com jogos pesados e aplicações simultâneas. O chipset que equipa o Moto G turbinado é o mesmo presente no Moto X Play, o que explica a semelhança de desempenho entre os aparelhos.

Diferente do que acontece com o Moto G de terceira geração, o modelo turbo só tem a opção de 2 GB de memória RAM e 16 GB de armazenamento interno. O suporte ao cartão micro SD ajuda a expandir o espaço para arquivos, mas uma versão com 32 GB de armazenamento teria sido muito bem-vinda.

Benchmark

Na realização desta análise, foram utilizados três aplicativos de benchmark para avaliar o Moto G Edição Turbo: o 3D Mark (Ice Storm Unlimited), o AnTuTu Benchmark 5 e o Vellamo Mobile Benchmark (HTML5 e Metal).

3D Mark (Ice Storm Unlimited)

O 3D Mark é um dos testes de benchmark mais conceituados do mercado. Para a análise do Moto G Edição Turbo, executamos o Ice Storm Unlimited, uma das opções oferecidas pelo aplicativo. Quanto maior a pontuação, melhor o desempenho.

AnTuTu Benchmark 5

Esse aplicativo é um dos mais completos da categoria quando se trata de analisar o hardware de um aparelho. O AnTuTu Benchmark 5 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Pontuações maiores representam um desempenho melhor.

Vellamo Mobile Benchmark

Essa opção é bastante versátil por oferecer dois testes para os aparelhos: o HTML5 e o Metal. No primeiro deles, o desempenho do smartphone para navegação na web é colocado à prova. No Metal, o processador é avaliado, e uma nota final é atribuída à sua performance. Maiores pontuações indicam melhor desempenho.

Câmera

A câmera do Moto G Turbo é a mesma que equipa o seu antecessor. As imagens capturadas apresentam um bom equilíbrio de luz, fidelidade de cores e nitidez. Para garantir ainda mais qualidade nas fotos, o smartphone tem flash duplo com uma tecnologia que ajusta automaticamente a intensidade da luz para deixar as cores mais naturais. Já a câmera frontal de foco fixo é razoável e não deve desagradar aqueles que querem aproveitar as selfies e realizar videochamadas ocasionais.

Bateria

Assim como aconteceu com o Moto G de terceira geração, não há muitas surpresas quando o assunto é a bateria. A edição turbo até consegue aguentar um dia inteiro de uso moderado, mas o verdadeiro destaque é o carregamento turbo, capaz de proporcionar horas de uso com apenas alguns minutos na tomada.

Áudio

Infelizmente, o Moto G Turbo deixou de lado o áudio estéreo e deu lugar a uma saída mono sem muita qualidade. Esse é um dos maiores pontos negativos do smartphone, já que a experiência sonora não é muito satisfatória. Os fones de ouvido também não se destacam, pois são simples demais, pouco confortáveis e oferecem um som apenas mediano.

Vale a pena?

Lançado menos de seis meses depois do Moto G de terceira geração, o Moto G Turbo vem para ocupar um espaço muito estreito no mercado. Se considerarmos o Moto X Play, fica um pouco difícil entender o que a Motorola pretendia com esse modelo.

Rivalizando com um smartphone que oferece muitos outros atrativos, como uma bateria monstruosa e câmera de melhor qualidade, fica difícil justificar a aquisição do Moto G Turbo. Se pelo menos a Motorola tivesse investido um pouco mais nesse aparelho, talvez sua aquisição valesse a pena. Diante de seu preço, o melhor mesmo é apostar no Moto X Play.

Análise do Motorola Moto G Edição Turbo: o que você acha desse smartphone? Comente no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: