Os monitores operam com duas frequências. Uma delas é a vertical (também chamada de taxa de atualização ou "refresh rate"), que é aquela que estamos especificamente tratando neste artigo. Ela mede a quantidade de imagens (quadros) por segundo montada na tela. Quanto maior esse valor, melhor.

A outra frequência é chamada horizontal (ou "velocidade de varredura"), que é a quantidade de linhas da tela que o monitor é capaz de desenhar por segundo. Essa é a mais crítica na qualidade do monitor e o valor depende da resolução usada. Quanto mais alta a resolução, maior o número de linhas a ser desenhadas.

Agora, de volta à pergunta original

Para responder da melhor forma possível, primeiramente vamos modificar um pouquinho a pergunta tema deste artigo: mudar a frequência padrão do monitor pode estragá-lo? A resposta é não, porém com uma série de observações em seguida.

A configuração padrão de frequência (nas configurações, é chamada de frequência de atualização da tela) do monitor é 60 Hertz. Provavelmente, se você não possui um monitor muito antigo, ele pode suportar um valor maior. Se esse for o caso, certamente você pode mudar a frequência tranquilo: seu monitor não vai estragar.

Porém, antes de sair simplesmente alterando, lembre-se de que as taxas de frequências suportadas por cada monitor variam conforme marca e modelo. É extremamente recomendado que você verifique no manual do fabricante que faixas de frequência ele pode aguentar para evitar problemas futuros.

Desde que o monitor suporte, alterar a frequência não vai estragá-lo.

Agora, respondendo à pergunta da forma que aparece no título do artigo, quando você utiliza uma frequência de atualização mais alta, a oscilação da tela é reduzida. Entretanto, se você especificar uma taxa maior do que aquela suportada pelo seu monitor, ele pode não conseguir mais ligar, apresentar mau funcionamento ou até mesmo queimar.

Sempre é bom lembrar que as frequências de atualização trabalham em conjunto com a resolução do monitor e é bom que ambas as configurações estejam em harmonia para um resultado melhor. Tenha também em mente que alterar a frequência do monitor faz com que a modificação seja válida para todos os usuários do computador.

Aumentar a frequência diminui a vida útil do monitor?

Depende... No caso de monitores muito antigos (especialmente os do tip CRT), quando a taxa de frequência é aumentada, a vida útil do computador pode sofrer alterações. De uma forma geral (e para monitores mais novos) se o seu monitor suporta a taxa especificada, não há esse problema.

Já se você está tentando utilizar uma frequência maior do que a suportada, como explicado no tópico acima, diminuir a vida útil será o menor dos seus problemas.

Aumentar a frequência evita problemas na visão?

Essa pergunta tinha uma resposta afirmativa no caso de monitores CRT e dos mais antigos de uma forma geral. Os monitores novos, de uma forma geral, já são menos agressivos à visão. Ainda assim, a proporção "quanto maior a frequência, menos seus olhos se esforçam", continua verdadeira.

Sempre é bom ter cuidado

Se você não quer ter problemas posteriormente devido a uma alteração na frequência, lembre-se sempre de verificar o manual do fabricante do monitor antes de modificá-la. Frequências não suportadas podem causar danos, o processo de reversão nem sempre é fácil (algumas vezes o monitor liga novamente e a alteração pode ser feita em modo de segurança, em outros casos isso não ocorre) e até mesmo a perda total do monitor talvez ocorra.

Cupons de desconto TecMundo: