iFood lança moto elétrica para entregadores por R$ 10 mil

3 min de leitura
Imagem de: iFood lança moto elétrica para entregadores por R$ 10 mil
Imagem: iFood/Reprodução
Avatar do autor

O iFood lançou nesta terça-feira (31) a EVS Work, uma moto elétrica para entregadores da plataforma. Produzida em parceria com a montadora brasileira Voltz, o veículo custa R$ 9.999,90 na pré-venda e surge com a promessa de ser uma alternativa mais rentável para os trabalhadores e sustentável para o meio ambiente, pois tem zero emissão de carbono.

A motocicleta, que foi anunciada no início de 2022, pode reduzir os custos em 60% com combustível e até 70% em manutenção, de acordo com o app de entregas. As 300 primeiras unidades ainda podem ser compradas com um financiamento especial que garantirá ao entregador um desconto de R$ 2 mil, fazendo que a moto seja vendida por R$ 8 mil.

A EVS Work, que é uma versão da EVS, principal linha de motos elétricas da Voltz, está disponível em versões sem bateria ou até com duas baterias (que podem ser alugadas por preços de R$ 129/mês a R$ 319/mês). Com as duas baterias, a autonomia total é de 180 km.

EVS Work Moto EVS Work do iFood. (Foto: Carlos Palmeira/TecMundo)

Por enquanto, o público-alvo é composto apenas de entregadores de São Paulo, já que os 19 pontos de troca (em parceria com o Posto Ipiranga) de baterias estarão espalhados por bairros da capital paulista como Lapa, República, Consolação, Pinheiros e Moema. A ideia é ter 100 estações espalhadas (cada ponto pode ter mais de uma estação) na cidade nos próximos meses, onde será possível realizar a troca da bateria em poucos minutos.

E apesar da possibilidade de troca de bateria, também é possível recarregar o veículo em tomadas comuns de casa, já que junto da motocicleta vem um carregador. A carga completa demora cerca de 5 horas. A EVS Work também está programada para alcançar até 85 km/h, mas pode chegar a velocidades maiores em outras configurações.

Moto somente para trabalho?

Apesar de ser uma iniciativa do iFood, a moto elétrica não precisará ser utilizada somente para entregas. Ou seja, os compradores poderão utilizar o veículo para passeios e lazer, por exemplo. Aliás, a EVS Work pode até mesmo ser utilizada para entregas em outros aplicativos.

“A gente não está preocupado com isso agora [com a possibilidade de que a moto seja utilizada por entregadores em outros apps]. A gente está muito mais preocupado em conseguir eletrificar de verdade a cidade de São Paulo e mostrar que o modelo é escalável”, argumentou João Barreto, diretor de estratégias do iFood.

Apesar disso, o representante lembrou que tanto a moto quanto as baterias estão conectadas a um aplicativo que consegue fazer um rastreio em tempo real (a justificativa da tecnologia é a segurança). Por causa disso, é possível saber se as entregas estão sendo realizadas ou não, por exemplo.

EVS Work Para comprar a EVS Work, o entregador não assina nenhum contrato de exclusividade para usá-la somente no iFood. (Foto: Carlos Palmeira/TecMundo)

“Mas isso não significa que o entregador será prejudicado caso ele compre e depois de um mês pare de trabalhar com o iFood”, garantiu.

O diretor de inovação e logística do iFood, Fernando Martins, também pontuou que a moto estará disponível para qualquer entregador do iFood, mas que nessa fase de pré-venda foram privilegiados quem faz mais uso e tem boas médias de notas na plataforma.

Tecnologia e disponibilidade da EVS Work

Martins disse que as motos chegam agora neste final de maio ao mercado após passarem por vários meses de teste com 30 entregadores da capital paulista. De acordo com ele, a expectativa é que 10 mil veículos elétricos estejam rodando pelas ruas de outras cidades até o final de 2023.

O executivo afirmou que a partir do aplicativo poderão ser acessadas diversas informações como a carga da moto, localização, recurso de travamento das rodas em caso de roubo, locais onde há pontos de troca de bateria, quantas baterias estão disponíveis no ponto e mais.

Lucas Vitale, gerente de contas estratégicas da Voltz, afirmou que as motos estão sendo entregues para os compradores em um período de 30 dias. A EVS Work tem garantia de 2 anos e a montadora brasileira oferece check-ups a cada 5 mil km rodados.

EVS Work A EVS Work é completamente silenciosa. (Foto: Carlos Palmeira/TecMundo)

“Os clientes poderão ser atendidos em uma oficina nossa no [bairro] Jardins e a gente têm mais de 300 oficinas credenciadas autorizadas no país todo”, revelou Vitale.

Vitale disse ainda que a Voltz vende cerca de 2 mil motos elétricas por mês e que a marca já abriu a primeira fábrica de motocicletas elétricas do país em Manaus (AM). O local deve ter, no futuro, uma capacidade produtiva de até 180 mil unidades por ano.