Imagem de: Celulares em SP poderão entrar em colapso sem antena, diz SindiTelebrasil

Celulares em SP poderão entrar em colapso sem antena, diz SindiTelebrasil

1 min de leitura
Avatar do autor

De acordo com Carlos Duprat, diretor executivo do SindiTelebrasil, ao TeleSíntese, o poder público não permite investimentos em telecomunicações no Brasil pela demora a autorizar a instalação de antenas e desonerar o direito de passagem nas áreas rurais. Pior: que a cidade de São Paulo estaria à beira de um colapso pela falta de antenas.

Segundo Duprat, uma CPI na Câmara Municipal tem travado os investimentos em telecomunicações: “Temos a principal cidade da América Latina, com 1.200 processos de licenciamento com espera de dois anos. São Paulo está à beira de um colapso. Se a gente não instalar antena, o que vai acontecer: não poderemos garantir o aumento da demanda com a chegada do 5G”, declarou.

Precisamos aumentar a atratividade dos investimentos com regras claras e bem definidas

O diretor ainda comenta que esse problema aumenta o buraco da desigualdade social na cidade e afeta a periferia paulistana. “Não tem qualquer coisa mais desigual do que isso [falta de acesso a telecom]”, afirmou no evento da TeleSíntese.

Para resolver essa questão, Carlos Duprat aguarda uma efetivação do “princípio do silêncio positivo”: caso a prefeitura não entregue uma decisão sobre um pedido de instalação de antenas em 60 dias, a empresa entenderá a falta de direcionamento como uma autorização. O diretor nota que o “silêncio positivo” é previsto na Medida Provisória 881, da Liberdade Econômica.

“Precisamos aumentar a atratividade dos investimentos com regras claras e bem definidas”, afirmou Duprat, complementando que o tempo de discussões no poder público não vem acompanhando a evolução tecnológica. “Toda e qualquer melhoria no ambiente de negócios é extremamente relevante para acompanhar o aumento dos investimentos”, finalizou.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Celulares em SP poderão entrar em colapso sem antena, diz SindiTelebrasil